FBF esclarece contrato de patrocínio da Embasa

Criada para esclarecer informações e proporcionar ao torcedor e leitor o acesso às verdades, a coluna “Mentiras e Verdades” volta a rebater, pela quarta vez, informações equivocadas publicadas por veículos de comunicação do Estado.
 Em mais uma oportunidade, o jornal Correio*, através do jornalista Marcelo Sant’Ana, não exerceu um dos princípios básicos do jornalismo, apurar informações ouvindo todas as partes envolvidas em determinado assunto.

 

Na edição desta quinta-feira (26), Correio* apresentou informações não verdadeiras sobre valores do contrato de patrocínio da Embasa ao Baianão 2012 (foto). Se tivesse consultado a Federação Bahiana de Futebol (FBF), o profissional acima citado não exporia o Correio* com mais uma informação equivocada em sua coluna. Confira as verdadeiras informações:

 

O valor bruto do contrato é desmembrado em três contrapartidas, a saber:
 
1ª – R$ 1.600.000 (um milhão e seiscentos mil reais – valor bruto), que após as deduções dos impostos legais pertinentes, taxa da FBF e Ner Produções, o valor líquido será rateado proporcionalmente ao número de jogos realizados entre os dez clubes do interior.
 
2ª – R$ 110.000 (cento e dez mil reais – valor bruto), que após as deduções dos impostos legais pertinentes, taxa da FBF e NER Produções, o valor líquido será repassado ao Sindicato Baiano dos Árbitros de Futebol (Sinbaf).
 
3ª – R$ 100.000 (cem mil reais), valor que será utilizado exclusivamente em despesas operacionais que viabilizam a concretização do objeto do contrato, tais como, compra de placas com a logomarca da Embasa para os estádios que sediam jogos, Blimps (balões), impressões, colocações e manutenções e quaisquer outros materiais ou equipamentos relacionados ao contrato.
 
Portanto, não condiz com a verdade a informação de que cada clube do interior receberá R$ 155 mil, pois os clubes que avançarem à semifinal terão um valor maior do que os que ficarem na fase de classificação. Além disso, o(s) clube(s) que chegarem à final, sendo ele do interior, receberá um valor superior ao daqueles que avançaram apenas até as semifinais.
 
Diante dos esclarecimentos acima mencionados, teremos clubes do interior que poderão receber até mais do que os R$ 155.000 (cento e cinquenta e cinco mil reais) divulgados de forma equivocada pelo jornalista, bem como não existe no contrato o valor de R$ 150.000 (cento e cinquenta mil reais) que o jornalista divulga que a FBF receberia.

Fonte / FBF

Deixe seu comentário