Chame Táxi Uirislan

Abraham Weintraub deixa o Ministério da Educação

Entidades do setor reagiram ao anúncio da saída do ministro da Educação, Abraham Weintraub, nesta quinta-feira (18). Ele deixa o cargo depois de uma série de desgastes e polêmicas à frente do ministério. O nome do substituto não foi informado.

A Campanha Nacional pelo Direito à Educação compartilhou uma carta escrita pelo Daniel Cara, professor da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP) e membro da campanha com destaque para o trecho: “A educação no Brasil só vai respirar quando Bolsonaro deixar a presidência”.

A União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), celebraram a saída do ministro por meio de postagens em uma rede social. Segundo as entidades, a demissão seria uma “vitória” dos estudantes.

União Nacional dos Estudantes – UNE

JÁ VAI TARDE @AbrahamWeint !

Sai com a marca de pior ministro da história. Gestão deplorável. No MEC defendeu cortes de verbas, debochou da produção científica das universidades, caluniou professores e alunos. Nunca teve compromisso com a educação. #tchauweintraub

A UNE ainda classificou a gestão de Weintraub como “deplorável” e escreveu que ele sai “com a marca de pior ministro da história”. A entidade relembrou os cortes de verbas do Ministério da Educação, e disse que o ministro “nunca teve compromisso com a educação”.

A ANPG escreveu esperar que o sucessor de Weintraub retire a revogação de portaria do MEC sobre políticas de inclusão na pós-graduações, como o acesso a negros, indígenas e pessoas com deficiência.

ANPG

Esperamos que o próximo ministro revogue as últimas medidas do weintraub, especialmente as portarias 34 e 545. E que possam, no minimo, cumprir os Planos Nacionais de Educação e de Pós-Graduação. #Tchauweintraub

Fonte | G1

Deixe seu comentário. Interaja Você Também!