ALCOBAÇA | Policial militar se envolve em confusão e mata agressor em lanchonete

Na manhã deste domingo, 05 de novembro, uma confusão em uma lanchonete, envolvendo um policial militar, acabou resultando em morte na cidade de Alcobaça. Segundo o militar, ele, seu irmão e outras duas pessoas pararam em uma lanchonete, localizada na conhecida “Praça dos Hippies”, logo após uma festa que estava ocorrendo na cidade, quando um indivíduo, já conhecido do militar por ter sido abordado pelo mesmo em algumas diligências, se aproximou dele e começou a insultá-lo.

A princípio, o militar ignorou as provocações, mas, o indivíduo continuou a provocá-lo, mesmo depois que o militar se apresentou como policial. O policial chegou a dar um tapa para conter o indivíduo, momento em que o primo do mesmo adentrou a lanchonete e começou a provocar o policial, que mesmo se apresentando como militar, foi agredido com um soco no rosto. O indivíduo tentou imobilizar o policial, sufocando-o, e ainda tentava a todo custo pegar a arma. O soldado conseguiu sacar sua pistola, mas, a luta não cessou.

Em seguida, houve um disparo e o militar percebeu que o agressor estava sangrando e se desfalecendo aos poucos. Imediatamente o militar chamou por socorro, acionando o SAMU. Porém, o irmão do agressor, que apareceu no local, começou a incitar a população contra o policial e as pessoas que estavam com ele. Temendo uma retaliação por parte dos populares contra si e seus acompanhantes, o militar saiu do local. Mas, antes de sair, o militar tentou um segundo contato com o SAMU, que estava em outra operação.

Na sequência, o militar acionou a Polícia Militar e foi orientado a se apresentar na Polícia Civil. O agressor acabou vindo a óbito no local. Trata-se de Marciel Mourão da Silva, 34 anos de idade. Segundo o policial, ele não conhecia o Marciel, apenas o seu primo, que começou as provocações. Ainda segundo o militar, o primo do Marciel já havia sido abordado umas três vezes pela guarnição do militar, e que a última abordagem o mesmo estava sem CNH, sem capacete e ainda pilotando sob efeito de bebida alcoólica. O militar informou ainda que existe uma motocicleta custodiada, que foi apreendida na posse do indivíduo em questão, pelo fato de ser produto de furto.

Em entrevista com o primo do Marciel, ele disse que quem começou a confusão foi o policial, que inclusive lhe deu um tapa no rosto, aí o primo que morreu, o Marciel, entrou para lhe defender e gerou toda confusão. Ele disse ainda que a moto foi apreendida por outra guarnição há dois meses atrás, alegando que a moto era produto de furto, mas segundo ele, a moto não é roubada, ele comprou a moto financiada e já quitou, só não havia transferido para o seu nome, por isso que a moto está apreendida até hoje.

A necropsia definiu que apenas um tiro matou o Marciel. A arma do militar, uma pistola 380, particular, foi apresentada na delegacia.

O procedimento será encaminhado ao delegado Bruno Ferrari, titular de Alcobaça para as devidas providências.

Por | Liberdadenews

Deixe seu comentário. Interaja Você Também!