Bahia: DHPP prende suspeitos de matar professor de caratê

Uma quadrilha suspeita do latrocínio contra o professor de caratê José Jorge Chaves, de 52 anos, encontrado morto, com dois tiros, na madrugada da terça-feira (30), na Rua Adelmário Pinheiro, bairro de Amaralina, foi presa por uma equipe da Operação Apolo da Polícia Militar e conduzida ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

bahia - in - pm- 2013-08-02-2

Residentes na Boca do Rio, os criminosos foram flagrados, na quarta-feira (31), próximo ao “Campo da Liga”, naquele bairro, quando saiam do Celta vermelho, de placa NZC 8785, roubado do professor pela quadrilha entre os bairros de Itapuã, onde havia deixado uma amiga, poucas horas antes do crime, e Piatã, local onde residia. . 

Ao perceber a aproximação dos soldados, no dia da prisão, o grupo, liderado por Jonathans Walace Fernandes Pereira, o “Dungala”, de 20 anos, fechou o carro, jogou a chave do veículo no campo de futebol e se refugiou numa casa abandonada, onde fora capturado. Dentro do carro, os policias encontraram diversos cartões de visita, os quais permitiram localizar a família da vítima, que lhes informou sobre o crime.

bahia - in - pm- 2013-08-02-1

Interrogados pela delegada Mariana Ouais, da 1ª DH/Atlântico “Dungala” e os comparsas Pedro Carlos dos Santos, 21, Jeferson Assis do Vale, 22, Felipe da Conceição, 22, e Lucas Souza Dantas, de 19, negaram participação no crime, dizendo que foram ao local apenas para fazer uso de maconha, mas, de acordo com a delegada, eles são os principais suspeitos pelo latrocínio, uma vez que todos estavam no veículo, que fora roubado do professor.

DEPOIMENTOS

“Diversas testemunhas foram ouvidas, inclusive familiares dos acusados, que afirmaram que o bando circulou com o veículo pelo bairro durante toda a quarta-feira”, revelou a Mariana Ouais, que, na companhia do capitão PM Baeta, da Operação Apolo, apresentou os cinco integrantes do bando à imprensa, nesta sexta-feira (2), no DHPP. “A mãe de Pedro, por exemplo, nos informou que os outros quatro integrantes passaram em sua casa, a bordo do veículo, para chamar o filho no dia anterior à prisão”, ilustrou a delegada, que colheu o depoimento da mulher.

“Dungala” já tem passagem pela polícia por associação ao tráfico de drogas e assalto. Já Jeferson, foi preso em 2012, por tráfico de drogas. Presos em flagrante e autuados por receptação e formação de quadrilha, o grupo será conduzido para o sistema prisional, onde permanecerá à disposição da Justiça. Um adolescente de 17 anos, que estava na companhia do bando, foi encaminhado à Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI), para aplicação de medidas socioeducativas.

Segundo o capitão PM Baeta, marcas de sangue foram encontradas no veículo já foram encaminhadas à perícia. José Jorge Chaves foi alvejado com dois tiros, que atingiram tórax e boca. Proprietário de uma escola de artes marciais no bairro de Piatã, o professor era faixa preta em caratê, divorciado e deixou um filho de 21 anos. 

 

Por | Ascom/PC

Deixe seu comentário