Caraíva: prisão preventiva é decretada após segunda vítima denunciar índio por estupro

Foi decretada na tarde desta quarta-feira (29) a prisão preventiva de Tacio da Conceição Bonfim, o índio pataxó acusado de estuprar a jovem Maria do Carmo Ribeiro, de 27 anos, no dia 21 de janeiro, em Caraíva, distrito de Porto Seguro.

Preso desde o dia seguinte ao crime na 1ª Delegacia de Porto Seguro, o suspeito teve o direito à fiança concedido, mas não efetuou o pagamento de R$ 3.500. O advogado da vítima, Alex Ornelas, que explicou que fatos novos culminaram no decreto da prisão.

“Houve uma oitiva complementar de Maria e outras duas testemunhas também foram ouvidas. Teve um fato importante também, que foi o surgimento de uma segunda vítima que alegou ter sido abusada sexualmente pelo mesmo agressor. Ela foi ouvida lá no Prado, mas é uma turista que foi a Caraíva”, explica o advogado. Os depoimentos foram colhidos terça (28).

Segundo Ornelas, com os novos fatos, a Justiça entendeu que o suspeito oferece risco à sociedade e, por isso, será preso em breve. O cumprimento do mandado deve ocorrer até a manhã desta quinta (30).

Em relação a uma possível modificação na tipificação do crime, inicialmente enquadrado como abuso sexual, e não estupro, o advogado diz que é cedo para saber o que será feito. “Essa mudança ou não só será conhecida com a conclusão do inquérito”, declarou.

Por | Correio da Bahia

Deixe seu comentário. Interaja Você Também!

Itamaraju Notícias
Enviar para o WhatsApp