Fiat Argo 2018 tem preço inicial de R$ 46.800

Fiat Argo 2018 tem preço inicial de R$ 46.800

O Fiat Argo 2018 já é vendido em todas as concessionárias do Brasil. O modelo será comercializado nas versões 1.0 Drive, 1.3 Drive, 1.3 Drive GSR, 1.8 Precision, 1.8 Precision AT6, 1.8 HGT e 1.8 HGT AT6. Os preços partem de R$ 46.800 para a versão 1.0 Drive e chega aos R$ 70.600 para opção topo de linha HGT AT6.

Veja aqui a lista de itens de série e opcionais de todas as versões do Argo.

Confira os preços do Fiat Argo 2018:

Argo 1.0 Drive (manual) – R$ 46.800
Argo 1.3 Drive (manual) – R$ 53.900
Argo 1.3 GSR (automatizado) – R$ 58.900
Argo 1.8 Precision (manual) – R$ 61.800
Argo 1.8 Precision AT6 (automático) – R$ 67.800
Argo 1.8 HGT (manual) – R$ 64.600
Argo 1.8 HGT AT6 (automático) – R$ 70.600

Tamanho e peso

O Fiat Argo tem 4 metros de comprimento; 1,75 m de largura; 1,5 m de altura e 2,52 m de entre-eixos. A capacidade do porta-malas é de 300 litros. Já o tanqu de combustível tem capacidade para 48 litros de combustível. A versão 1.0 Drive pesa 1.105 kg; a 1.3 Drive, 1.140 kg; 1.3 Drive GSR, 1.148 kg; 1.8 Precision, 1.229 kg; 1.8 Precision AT6, 1.264 kg; 1.8 HGT, 1.243 kg; 1.8 HGT AT6, 1.279 kg e 1.8 HGT Opening Edition, 1.279 kg.

Motores e câmbios

As versões Drive podem ser equipadas com os motores 1.0 e 1.3 Firefly. O propulsor 1.0 rende potência de 72 cv a 6.000 rpm e torque de 10,4 kgfm a 3.250 rpm quando abastecido com gasolina e 77 cv a 6.250 rpm e torque 10,9 kgfm a 3.250 rpm com etanol no tanque. Com motor 1.0 o câmbio será sempre o manual de cinco velocidades.

Já o 1.3 Firefly tem potência de 101 cv 6.000 rpm e torque de 13,7 kgfm a 3.250 rpm rodando com gasolina e 109 cv a 6.250 rpm e torque de 14,2 kgfm a 3.500 rpm com etanol. No caso do propulsor 1.3 os câmbios serão o manual de cinco velocidades e automatizado GSR também de cinco posições.

Por | UOL

Fiat Uno 2018 tem preço inicial de R$ 42.980

Fiat Uno 2018 tem preço inicial de R$ 42.980

Como antecipamos em abril, o Fiat Uno 2018 ganha a versão Drive. A nova opção chega com preço inicial de R$ 42.980 e passa a ocupar o lugar da Attractive. Além da Drive, o compacto será comercializado nas opções Way e Sporting. Os motores são os 1.0 e 1.3 Firefly. As versões 1.3 ainda contam com a opção de câmbio automatizado.

Sistema ITPMS

Uma das novidades do Fiat Uno 2018 é o sistema de monitoramento da pressão dos pneus (ITPMS). Pelo quadro de instrumentos em TFT, depois de efetuar o RESET, o sistema alertará o condutor, informando a necessidade de verificação da pressão dos pneus.

Itens de série

Desde a versão Drive 1.0, o Fiat Uno 2018 vem equipado com ar-condicionado, direção elétrica com função CITY, vidros elétricos dianteiros, travas elétricas nas quatro portas, computador de bordo, volante com regulagem de altura, entre outros itens.

Segurança

As versões equipadas com o câmbio automatizado passam a ser chamar GSR como no Mobi. Já os equipamentos de auxílio à segurança: Hill Holder, controle de estabilidade (ESP), controle de tração (TC) e o antitravamento das rodas em frenagem (ASR) são itens de série somente nas versões equipadas com o câmbio automatizado. Nas demais, os itens são ofertados como opcionais.

Acessórios

Além dos itens de série e opcionais que podem vir de fábrica, o Fiat Uno 2018 pode ser equipado com mais de 160 itens presentes na linha de acessórios Mopar, como central multimidia com tela touchscreem de 6,2”, alarme, kit parafusos anti roubo, retrovisor interno com câmera de ré, e muito mais.

Confira os novos preços do Fiat Uno 2018:

Uno Drive 1.0 – R$ 42.980
Uno Way 1.0 – R$ 44.150
Uno Way 1.3 – R$ 49.120
Uno Way 1.3 GSR – R$ 53.630
Uno Sporting 1.3 – R$ 51.080
Uno Sporting 1.3 GSR – R$ 55.580

Por | Uol

Volkswagen anuncia recall de 54 mil veículos

Volkswagen anuncia recall de 54 mil veículos

A Volkswagen anunciou o recall de 54.170 veículos, com data de fabricação entre 01º de março do ano passado e 12 de janeiro deste ano. Os automóveis incluídos têm possibilidade de inoperância do alternador, que pode deixar de gerar energia para a bateria e levar o sistema elétrico do veículo a parar. Recall é o processo pelo qual fabricantes convocam seus clientes para substituição ou devolução de produtos quando se detecta algum defeito de fabricação.

“Em situações em que a carga da bateria não for suficiente para o funcionamento do veículo, poderão ocorrer panes elétricas, e até o desligamento do motor, com risco de acidentes”, alerta comunicado da montadora. O número dos chassis dos veículos afetados pode ser encontrado no site da empresa ou pelo telefone 0800 019 8866.

Estão incluídos no recall os modelos Up!, Novo Gol, NovoVoyage, Nova Saveiro, Fox, CrossFox, SpaceFox e Space Cross. A partir da próxima quarta-feira (10), os proprietários dos carros afetados devem marcar inspeção em uma concessionária Volkswagen e, se necessário, será feita a substituição do alternador.

Procon
O Procon orienta os consumidores a exigir que a empresa apresente os esclarecimentos necessários, conforme determina o Código de Defesa do Consumidor, com informações claras e precisas sobre os riscos para os usuários dos veículos. A entidade de defesa do consumidor destaca que os consumidores deverão obrigatoriamente receber um comprovante de que o serviço de reparo foi efetuado. Esse documento deverá ser conservado e repassado ao novo proprietário, em caso de venda.

O veículo que não for reparado em até 12 meses após o início da campanha de recall terá a informação lançada no campo “observações” do próximo Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), emitido pela autoridade de trânsito.

De acordo com o Procon, o consumidor que tiver passado por algum acidente causado pelo defeito apontado no recall poderá pedir, por meio do Poder Judiciário, reparação pelos danos morais e patrimoniais sofridos.Um banco de dados com informações sobre todas as campanhas de recalls realizadas no Brasil pode ser consultado no Portal do Governo do Estado de São Paulo na internet

Por | VW

Gol 2017 briga por seu espaço

Gol 2017 briga por seu espaço

O hatch Gol ficou quase 30 anos no topo das vendas no Brasil. Com a chegada de novos modelos, modernos e com a opção da tecnologia de três cilindros, mais eficiente, potente e econômica, a Volkswagen perdeu o bonde no segmento de entrada no país.

 

Na briga dos hatches compactos, é necessário ter novidades. A Volks correu contra o tempo e oferece o Gol 2017 na versão Trendline com carroceria de duas portas. Tem visual renovado, novo multimídia para conectividade e o motor de 3 cilindros 12V similar ao do pequeno Up. Aspirado e flex, o propulsor tem fôlego e gera 82 cavalos e torque máximo de 10,4 kgfm entre 3.000 e 3.800 rpm, auxiliado pelo câmbio manual de cinco marchas.

Uma certeza é que o hatch da Volkswagen não terá mais o volume de vendas para chegar ao topo dos mais vendidos. No mercado, modelos como o Hyundai HB20 e o líder Onix, da Chevrolet, são maiores, bem equipados, de mecânica ajustada (direção elétrica) e visual mais atual.

Simplicidade

No passado, o Gol reinou e era a melhor opção no mercado. Hoje, é mais um hatch. Mesmo assim, a Volks reúne qualidades para posicionar o Gol em nono lugar na lista dos 10 carros mais vendidos no país. Entre os hatches, fica atrás ainda do Ford Ka (3º), Fiat Palio (6º) e Renault Sandero (7º lugar).

O Gol Trendline preza pela simplicidade. Seu pacote de série não é dos mais generosos. Esqueça o sistema de ar-condicionado e os retrovisores são manuais. O ar-condicionado sai por R$ 2.940. De fábrica, já vem com direção hidráulica, freios com ABS e EBD, airbag duplo, pneus 175/70 R14, alerta sonoro e visual para não utilização do cinto de segurança do motorista, luz de freio (brake light) e antena no teto. O hatch tem ainda faróis com máscara escurecida, lavador e limpador do vidro traseiro, para-sol com espelho para motorista e passageiro, preparação para som com fiação, retrovisores com comando interno manual, tomada 12V no console e travamento e vidros elétricos nas portas. A Volks cobra R$ 35.960 e R$ 37.950 (quatro portas).

É cada vez mais difícil chegar novamente ao topo das vendas. Mas, a Volks oferece um hatch justo em sua versão de entrada e de carroceria de duas portas. O Gol ainda é um carro bom de revenda. Tem uma mecânica confiável e de fácil manutenção. No dia a dia, o hatch anda bem. Seu novo motor de três cilindros empurra com vontade os 901 kg do carro. A Volks equipa o Gol com sistema “E-Flex” de partida a frio sem o reservatório adicional de gasolina. Indica assim que o motor é mais moderno e isto é essencial na briga dos hatches compactos.

Por | Atarde

Fiat Punto terá sua produção encerrada neste mês

Fiat Punto terá sua produção encerrada neste mês

Ao longo de seus nove anos de produção, o Punto teve altos e baixos no mercado nacional. Em 2007, com apenas alguns meses de mercado, o hatch emplacou 3.756 unidades. No seguinte, foram comercializadas 38.571 unidades. O melhor ano do Punto no mercado nacional, foi em 2012 quando emplacou 42.361 unidades. Já em 2016, o modelo emplacou apenas 7.709 unidades no Brasil. Confira em nossa infografia o desempenho de vendas do Punto ao longo de seus nove anos de mercado.

  

Quando foi lançado, o Punto chegou ao mercado nas versões Punto 1.4, ELX 1.4, HLX 1.8, Sporting 1.8, em 2009 veio à opção 1.4 T-Jet. O propulsor 1.4 era da família Fire e o 1.8 era o motor Powertrain, fruto da parceira com a Chevrolet.

Já em 2010, o hatch ganhou os novos motores E.torQ. Na época, o Punto era comercializado nas versões Attractive 1.4, Essence 1.6 16V, Essence 1.8 16V, Essence 1.8 16V Dualogic, Sporting 1.8 16V, Sporting 1.8 16V Dualogic e T-Jet.

Em 2012, em seu melhor momento no Brasil, o Punto foi reestilizado. As mudanças eram os novos para-choques dianteiro e traseiro, além do interior todo remodelado. As versões eram Attractive 1.4, Essence 1.6, Essence 1.6, Sporting 1.8 e 1.4 T-Jet.

A linha 2012 era equipada com os motores 1.6 16V E.torQ, 1.8 16V E.torQ e 1.4 16V Turbo, que já fazem parte da linha atual, e agora passa a incorporar o moderno motor Fire EVO 1.4 em sua linha 2013.

Já na linha 2017, o compacto perdeu a versão esportiva 1.4 T-jet. Em sua despedida o compacto era comercializado nas versões: Punto Attractive 1.4, Punto Essence 1.6, Punto Essence Dualogic 1.6, Punto Blackmotion 1.8 e Punto Blackmotion Dualogic 1.8. Os preços, que não tiveram reajustes neste mês são de R$ 53.310 para opção de entrada Attractive e R$ 69.680 para a topo de linha Blackmotion Dualogic.

Consultada, a Fiat apenas confirma que Linea, Bravo, Idea e Freemont estão descontinuados. “Os demais carros estão em produção, normalmente, para atender à demanda atual do mercado”, afirma o fabricante.

Fotos | Fiat divulgação

Do Salão de SP para as ruas: Nova Nissan Frontier

Do Salão de SP para as ruas: Nova Nissan Frontier

[dropcap]A[/dropcap] nova geração da Nissan Frontier chegará ao marcado no primeiro trimestre de 2017. Apresentada no Salão do Automóvel de São Paulo, a picape chegará com novo motor diesel 2.3 com duplo turbo, de 190 cavalos de potência.

nissan_frontier_2018_12

Inicialmente, a picape chegará em versão topo de linha importada do México, novas opções só serão disponibilizadas quando começar ar produção argentina no fim de 2017.

Segundo a Nissan, a nova geração da picape ganhou chassi reforçado, quatro vezes mais durável, ao mesmo tempo que é mais leve e eficiente. Com oito barras transversais, o chassi conta um outro sobreposto por dentro com soldas contínuas, solução chamada de duplo “C”.

O desenho da picape segue o DNA da marca e aparece em itens como a grade “V Motion” e os faróis com formato de bumerangue. Nesta nova geração a picape tem 5,25 m de comprimento, 1,75 m de altura e 1,85 m de largura total.

A marca japonesa afirma que o interior foi concebido com dimensões, segurança e conforto adequados para condutor e passageiros, ampliando o espaço do painel, console central e assentos para oferecer funcionalidade avançada e muito mais tranquilidade na condução.

nissan_frontier_2018_6

A versão topo de linha terá bancos revestidos em couro, e o novo desenho distribui o peso de forma otimizada e equilibrada. Os assentos traseiros são dobráveis, oferecendo fácil acesso à parte inferior para acomodar ferramentas e o macaco para trocar as rodas.

TECNOLOGIA

A Frontier conta com três tomadas 12V; entradas auxiliares; conexão para iPod; Bluetooth, suportes para copos, controles de áudio no volante e um completo sistema multimídia.

Entre os equipamentos que deverão ser ofertados na picape estão o controle automático de descida (HDC) e o sistema de auxílio de partida em rampa (HSA).  A picape também contará com limitador de carga e ajuste de altura para os dois cintos de segurança da frente, luz de freio de LED (CHMSL), sensor de estacionamento, entre outros itens.

MOTOR/CÂMBIO

Nesta nova geração, a picape será equipada com o novo motor 2.3 turbodiesel, que desenvolve 190 cavalos e entrega 45,8 kgfm de torque. O câmbio também é novo, a picape terá a transmissão automática de sete velocidades, que permite trocas em modo manual.

SEGURANÇA

No quesito segurança a picape vem equipada com o Vehicle Dinamic Control (VDC), que reúne os sistemas eletrônicos de controle de estabilidade de tração para dar ainda mais tranquilidade e segurança à condução do utilitário. Ainda fazem parte do pacote airbags frontais, cintos de segurança de três pontos, trava de segurança para crianças nas portas traseiras e alarme com imobilizador.

Por | Uol

Volkswagen apresenta a Amarok reestilizada

Volkswagen apresenta a Amarok reestilizada

[dropcap]A[/dropcap] Volkswagen apresenta a linha 2017 da Amarok, a picape chega com visual externo renovado, mudanças no interior e novidades tecnológicas. O modelo comercializado nas versões S (cabine simples e cabine dupla), SE, Trendline, Highline e Highline Série Extreme (com carroceria de cabine dupla).

A Volkswagen começa a distribuir neste mês, a Amarok reestilizada. Entre as novidades tecnológicas estão os sistemas de infotainment mais avançados do mercado, capazes de espelhar o celular com as plataformas MirrorLink, Google Android Auto e Apple Carplay.

nova_vw_amarok_20171

Veja os preços da linha 2017 da Amarok:

Amarok S Cabine Simples MT – R$ 113.990

AmarokS Cabine Dupla – R$ 126.990

Amarok SE Cabine Dupla AT – R$ 130.990

Amarok Trendline Cabine Dupla AT – R$ 148.990

Amarok Highline Cabine Dupla AT – R$ 167.990

Amarok Extreme Cabine Dupla AT – R$ 177.990

A opção S vem equipada com o motor 2.0 turbodiesel com 140 cv de potência e 34,7 kgfm de torque, sempre associado ao câmbio manual de seis marchas. As demais versões são equipadas com o motor 2.0 diesel com dois turbocompressores com potência de 180 cv e torque de 40,8 kgfm com câmbio manual (versão SE) e 42,8 kgfm com transmissão automática de oito velocidades (item de série nas demais versões).

nova_vw_amarok_2017_12

Na linha 2017 da picape, todas as versões passam a ter sistema de frenagem pós-colisão, que aciona automaticamente os freios do veículo quando ele se envolve em um acidente, sistema de freios ABS off-road, sistemas ISOFIX, controle de tração e bloqueio eletrônico do diferencial.

De série, todas as versões da Amarok vêm equipadas com sistema de alarme acústico e visual para os cintos de segurança não afivelados nos bancos dianteiros. Uma nova tomada de 12V posicionada atrás do apoia braço dos bancos dianteiros equipa as versões Highline e Highline Série Extreme.

nova_vw_amarok_2017_2

Já a versão Highline passa a vir de série com indicador de perda de pressão dos pneus, airbags laterais de tórax e de cabeça para motorista e passageiro e faróis bixenônio com luz de condução diurna (DRL) em LED.

No interior, a picape conta com novo painel e quadro de instrumentos. Nas versões S e SE o quadro de instrumentos tem iluminação branca. As saídas de ar passam a ter formas retangulares e há uma nova faixa decorativa horizontal, que nas versões S, SE e Trendline é na tonalidade “deep inox”, e na Highline, é “bright silver”. Comandos do ar-condicionado, disposição da régua central dos controles no painel e um porta-objetos na parte central superior do painel.

A versão Extreme tem quadro de instrumentos combinado “Premium Color” com tela colorida 3D de 3,5”. A opção ainda tem as capas dos pedais de aço inoxidável e os tapetes em carpete com a inscrição “Extreme”.

nova_vw_amarok_2017_4Além do novo painel, a Amarok 2017 ganhou novos bancos com ajustes elétricos da Amarok (de série nas versões Highline e Extreme). Os bancos também ganharam novos revestimentos. A configuração Trendline passa a contar com Tear “Kemisu” cinza. A Highline traz bancos de couro “Vienna” cinza e a Extreme tem como item de série o revestimento em couro “Nappa” Preto.

São três opções de sistema infotainment. A versão SE traz de série o sistema “RCD 230G”, que já conta com as funções principais de conectividade, tais como: Bluetooth com função streaming de áudio, entradas USB/ AUX-IN e para cartões de memória do tipo SD-card e leitor de CD e MP3.

Já a Trendline oferece o “Composition Media”, com tela colorida de alta resolução com 6,33” sensível ao toque, sensor de aproximação e conectividade avançada com os smartphones por meio da tecnologia Volkswagen App-Connect. Assim como o “Discover Media” (disponível nas configurações Highline e Extreme), proporciona a reprodução e operação da tela do telefone celular (smartphone) diretamente na tela de alta resolução do sistema de infotainment, como se fosse um espelho, e sem comprometer a segurança na condução do veículo.

O sistema de infotainment “Discover Media” traz adicionalmente recurso de navegação que se destaca pela facilidade de uso e interatividade com o painel de instrumentos, possibilitando uma condução mais segura e confortável. Esse sistema também contempla o “MapCare”, que permite a atualização periódica gratuita da base de mapas durante toda a vida do veículo. Fotos, vídeos e músicas em diversos formatos são alguns exemplos de mídias que podem ser “lidas”.

O “Discover Media” conta ainda com leitor de CD, duas entradas para SD-Card, Aux in e porta USB. É possível parear via Bluetooth dois celulares simultaneamente e operar telefone e áudio (streaming). A central de infotainment “Discover Media” permite a locução de mensagens de texto (SMS) do celular por meio dos alto-falantes e também responder por meio de comando de voz a mensagem, enviada em formato SMS.

Além disso, o “Discover Media” realiza a interface com o sistema de assistência de estacionamento ‘Park Pilot’, que além de demonstrar a aproximação de obstáculos na dianteira em manobras de estacionamento, transmite (na tela central do console) a imagem da câmera traseira de estacionamento.

Fotos | Volkswagen divulgação

Chegou o fim para Fiat Freemont e 500

Chegou o fim para Fiat Freemont e 500

Mais dois modelos da Fiat dão adeus ao mercado nacional. Os mexicanos Freemont e 500 já não são importados desde 2015 e restam somente estoques antigos nas revendas. Cada um sai de cena por um motivo diferente, o crossover deixa de ser comercializado pelo baixo volume de vendas, já o compacto deixa ser vendido pelo alto preço do dólar.

Oficialmente, o fabricante nega que os modelos foram descontinuados e diz que apenas não importou novos lotes. Porém, fontes ligadas a Fiat e concessionários confirmam que os modelos não fazem mais parte dos planos dos fabricantes.

Lançado em 2011, o Freemont era uma versão Fiat do Dodge Journey. No visual o que mudava era a grade dianteira e emblemas. A maior alteração em relação ao irmão era o motor menos potente. O Freemont usava motor 2.4.

 teste_fiat_freemont_12-1024x587

De 2011 a 2015, o Freemont emplacou 22.593 unidades. Em 2016, até setembro, o modelo não figurou entre os 40 mais vendidos, o que indica que ele vendeu menos 450 unidades. O melhor ano do Freemont no Brasil foi em 2012, quando emplacou 11.330 unidades.

O Freemont era vendido nas versões Emotion (cinco lugares) por R$ 109.500 e na Precision (sete lugares) por R$ 119.900.

Comercializado no Brasil desde 2009, o 500 teve duas nacionalidades e duas fases distintas no mercado nacional. De 2009 a 2010, o compacto veio da Polônia e não fez muito sucesso vendendo apenas 1.902 unidades.

teste_fiat_500c_37-1024x682

O modelo polonês era comercializado com motor 1.4 16V e opções de câmbio manual de seis velocidades e o Dualogic de cinco marchas. A partir do segundo semestre de 2011, o 500 passou a vir do México e viu suas vendas crescerem. Mexicano, o modelo era vendido com motor 1.4 EVO, com câmbios manual e Dualogic de cinco velocidades, o 1.4 16 Multiair com câmbio automático de seis velocidades e o 1.4 Multiair Turbo.

Em 2012, 0 500 teve sua melhor participação no mercado nacional quando emplacou 15.920 unidades. No total, de 2012 até setembro de 2016, o compacto vendeu 31.376 modelos.

Ainda figurando no site da marca por conta dos estoques nas concessionárias, o 500 era vendido nas versões Cult 1.4 EVO Flex (R$ 56.900), Cult 1.4 EVO Dualogic (R$ 59.900), Cabrio 1.4 8V (R$ 64.900), Cabrio Dualogic 1.4 EVO (R$ 67.900), Cabrio Automático 1.4 16V (R$ 82 mil) e na Abarth 1.4 16V Multiair Turbo (R$ 94 mil).

Veja abaixo as versões do 500 ao longo de sua jornada no mercado nacional:

500 Sport (2009-2011)
Motor: 1.4 16V (gasolina)

500 Lounge (2009-2011)
Motor: 1.4 16V (gasolina)

500Cult (2011-2016)
Motor: 1.4 EVO (gasolina/etanol)

500 Sport Air (2011-2013)
Motor: 1.4 16V MultiAir (gasolina)

500 Lounge Air (2011-2013)
Motor: 1.4 16V MultiAir (gasolina)

500 Cabrio (2012-2016)
Motores: 1.4 EVO e 1.4 16V Multiair

500 Abarth (2014-2016)
Motor: 1.4 16V Mulitiair Turbo

Por | UOL

Saiba tudo sobre o Honda Civic 2017

Saiba tudo sobre o Honda Civic 2017

Na próxima semana, a Honda fará o lançamento oficial do Civic 2017 para parte da imprensa especializada. O sedã chegará com preços partindo de R$ 87.900 para opção Sport 2.0 equipada com câmbio manual e chegará aos R$ 124.900 para a versão Touring 1.5 turbo equipada com câmbio automático. O modelo será comercializado em quatro versões: Sport, EX, EXL e Touring.

honda_strip_57678_6_full

O sedã contará com dois motores e duas opções de câmbio. As versões Sport, EX e EXL será equipadas com o motor 2.0 i-VTEC FlexOne que rende 155cv de potência e torque de 19.5kgfm. O câmbio será o automático do tipo CVT. Somente a versão Sport poderá contar com o câmbio manual de seis velocidades. Já topo de linha Touring será equipada com o motor 1.5 turbo movido somente a gasolina que rende 173cv de potência e torque de 22,4kgfm. O câmbio será o automático do tipo CVT.

A suspensão dianteira é do tipo MacPherson com coxins hidráulicos e a traseira é Multi-Link e a versão Touring ainda conta com coxins hidráulicos na traseira.

honda_strip_57678_7_full

Todas as versões vem de série com lanternas traseiras em LED com ESS, DRL em LED e farol de neblina, retrovisores elétricos na cor da carroceria, forro do teto em tecido escuro e acabamento com costuras, painéis de portas com plástico soft-touch, tapetes em carpete e revestimento do porta-malas, paddle Shift (CVT), freio de estacionamento eletrônico, controle de Cruzeiro, ar-condicionado automático digital, alarme na chave canivete com imoblizador, função ECON, airbags frontais, laterais e de cortina, assistente de estabilidade VSA com controle de tração, assistente de partida em aclive e assistente de dirigibilidade, freios a disco nas quatro rodas (ABS/EBD/EBA), Isofix e aviso de cintos de segurança dianteiros, câmera de ré multivisão, comandos de áudio no volante, HFT Bluetooth (chamadas/streaming) e conexão AUX, USB e tomada 12V, dois alto-falantes dianteiros e dois traseiros.

honda_strip_57678_4_full

A versão Sport que tem preço sugerido de R$ 87.900 quando equipada com câmbio manual e R$ 94.900 com transmissão CVT agrega rodas de 17″ escurecidas, grade frontal escurecida, bancos escuros revestidos em tecido premium, velocímetro digital/conta-giros analógico e sistema de áudio com tela de 5″. A Sport será comercializada nas cores branco tafetá sem custo adicional e nas opções preto cristal, branco estelar e prata platinum com custo de R$ 1.200.

Já opção EX que tem preço sugerido de R$ 98.400 acrescenta rodas de 17″ cromadas, grade frontal cromada, retrovisores com seta e LED e rebatíveis eletricamente, faróis com acendimento automático, bancos revestidos em couro escuro com costuras, velocímentro digital/conta-giros analógico e sistema de áudio com tela de 5″. As cores são o branco tafetá sem custo e as opções prata platinum, preto cristal e cinza barium com custo de R$ 1.200 e também a branco estelar com custo adicional de R$ 1.500.

honda_strip_57678_10_full

A versão EXL tem preço sugerido de R$ 105.900. Essa opção conta com todos os itens da EX e agrega painel de instrumentos TFT alta resolução, navegador com tela de 7″ touchscreen, interface Apple CarPlay/Android Auto, ar-condicionado com duas zonas de temperatura, conexão HDMI e USB (adicional) e quatro tweeters. As cores são o branco tafetá sem custo e as opções prata platinum, preto cristal e cinza barium com custo de R$ 1.200 e também a branco estelar com custo adicional de R$ 1.500.

A topo de linha Touring tem preço sugerido de R$ 124.900.Essa versão vem com todos itens da EXL e acrescenta rodas de 17″ e grade frontal cromadas, assistente de ponto cego, regulagem elétrica do banco do motorista, para-brisa com tratamento acústico, conjunto óptico FULL LED, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, botão de partida e partida remota, retrovisor interno eletrocrômico, teto solar, maçanetas cromadas, Smart Key com sensor de destravamento e limpador de para-brisa automático. As cores são o branco tafetá sem custo e as opções prata platinum, preto cristal e cinza barium com custo de R$ 1.200 e também a branco estelar com custo adicional de R$ 1.500.

O Civic 2017 tem 4,63 metros de comprimento, 2,70m de entre-eixos, 1,79m de largura e 1,43m de altura. O modelo usa o conceito M.M. da Honda (máximo para o homem, minímo para a máquina) que visa a maximizar o espaço disponível para as pessoas e minimizar o espaço para os componentes mecânicos. A versão Sport tem porta-malas com capacidade para 525 litros, já as opções EX, EXL e Touring contam com capacidade para 519 litros.

Por | Honda

Depois de 20 anos de mercado, Chevrolet Classic dá adeus ao Brasil

Depois de 20 anos de mercado, Chevrolet Classic dá adeus ao Brasil

Lançado em 1996, o Chevrolet Classic, que já foi chamado de Corsa Sedan dá adeus ao mercado nacional, depois de 20 anos de estrada. Durante o lançamento de Onix e Prisma Joy, nossa reportagem apurou que o modelo não passará de 2016. O sedã será comercializado até o fim dos estoques das revendas.

classic_ls-108

“O Classic não dá mais” afirmou um executivo. “Você viu os números de julho? Ele vendeu apenas 1.728 unidades”.

O sedã compacto derivado da primeira geração do Corsa nacional, conviveu por dez anos com a segunda geração, que foi produzida no Brasil de 2002 a 2012. O Highlander (Classic) assistiu de camarote o nascimento e morte de seu irmão mais novo. O veterano sedã foi produzido no Brasil e na Argentina e em seus últimos anos de vida o mercado nacional era abastecido por unidades fabricadas em terras Hermanas.

Durante muitos anos, o Classic foi o modelo mais vendido da Chevrolet. Mas, com a chegada dos novos modelos construídos sobre a plataforma GSV o sedã foi perdendo espaço.

Em 2000 o sedã passou por sua primeira mudança visual quando ganhou novos para-choques, além de lanternas traseiras com novas lentes e faróis dianteiros em policarbonato. Já em 2011 o modelo passou por uma mudança mais profunda ganhando faróis, lanternas traseiras e para-choque redesenhados.

No acumulado deste ano, de janeiro a julho o Classic ocupou a 28ª posição no mercado nacional emplacando 10.023 unidades emplacadas. Em julho o Classic o sedã vendeu 1.728 unidades ficando na 29°colocação.

Foto | Chevrolet/Divulgação

FECHAR