Coordenadora do SAMU de Itamaraju apresenta dados de 2011

Em entrevista cedida ao Portal Itamaraju Notícias durante a tarde desta quinta-feira (09), a coordenadora do SAMU 192 de Itamaraju, Nívia Mansur apresentou os dados estatísticos das ocorrências do SAMU, ocorridas durante todo o ano de 2011.


Durante a entrevista Nívia expôs gráficos e números com dados que somam 3.633 atendimentos, não só dentro do município, mas na região circunvizinhas, desde o município de Itabela até Mucuri.

Os tipos de ocorrências mostram para o qual o SAMU foi chamado. Como se pode ver: clínico adulto com 46,6% foi o maior valor, que se refere a casos mais simples, como dor de cabeça, dor abdominal, dor nas costas, dor de estomago, falta de ar, vomito e diarreia, dor no peito, entre outros. O segundo foi Trauma com 25,7% dos atendimentos (creca de aproximadamente 1.000), que se refere a acidentes de carro e de moto e carro, atropelamento, quedas, vitima de arma de fogo, vitima de arma branca (faca). O outro valor é Obstétrico com 11%, gestantes em trabalho de parto, com 7% foi clínico pediátrico, atendimento em crianças menores de 14 anos, 5% surto psiquiátrico. 3,3% casos de pressão alta, e os demais foram Queimaduras com 0,1%, IAM – Infarto Agudo do Miocárdio com 0,5%, ICC – Insuficiência Cardíaca Congestiva com 0,1%, AVC – Acidente Vascular Cerebral (derrame) com 0,7%.

Os tipos de intercorrências são os acontecimentos que ocorrem quando somos chamados para uma ocorrência, explica à coordenadora.

De 919 atendimentos, 60% Deixado no Local (DE 3.633 ATENDIMENTOS, 559 FORAM DEIXADOS EM SUA RESIDENCIA, DIMINUINDO ASSIM O FLUXO DE ATENDIMENTOS QUE IRIA PARA O HOSPITAL DE ITAMARAJU), 16% foram Transferências, 9% recusaram atendimento, endereços que não foram localizados (provavelmente TROTES), ocorrências abortadas (a vítima já tinha sido removido do local) e Óbitos, cada um foram 5%.

2.885 atendimentos foram levados há algum hospital de referência da região. Os mais utilizados foram o Hospital Municipal de Itamaraju com 94% e o Hospital Municipal de Teixeira de Freitas com 4%.

O último gráfico apresenta os bairros que o SAMU mais efetuou ocorrências.
Para finalizar a entrevista a Coordenadora ainda fez uma avaliação positiva dos trabalhos desenvolvidos no Município e aproveitou o momento para sensibilizar a população em relação aos trotes e a passagem das ambulâncias nas vias.


“Acredito que a população poderia ter maior consciência quanto ao importante trabalho do SAMU, evitando trotes e dando passagem com seus veículos quando as ambulâncias estiverem passando com a sirene ligada,” finaliza Nívia ao lado dos socorristas do SAMU.

Deixe seu comentário