Em Brasília, estudante da zona rural da Bahia toma posse no parlamento Juvenil do Mercosul

O Estudante Admilson dos Santos Boaventura, morador do povoado Sítio da Conceição, na zona rural de Adustina (383 km de Salvador) está vivendo momentos especiais e inesquecíveis. Eleito para o Parlamento Juvenil do Mercosul com um projeto sobre gestão escolar, o estudante embarcou, nesta segunda-feira (12) para Brasília, no Distrito Federal, para tomar posse e fazer um curso de formação sobre o papel do parlamentar juvenil. Filho de agricultora e com cinco irmãos, o estudante conta que está emocionado com esta nova experiência de vida.

“Quero dar o melhor de mim e orgulhar minha mãe que me criou sozinha e, apesar das dificuldades, nunca deixou de me apoiar. Esta é uma oportunidade incrível e que vai ser muito importante para a minha carreira”, comenta, ao acrescentar que esta é a primeira de muitas conquistas pelas quais ele irá alcançar. “Sou muito esforçado e nunca desisto de meus objetivos. Estou muito feliz porque viajei de avião pela primeira vez e vou poder conhecer outros Estados brasileiros e países”, comemora.

Admilson é um dos 27 brasileiros, um de cada Estado, a exercer um mandato de dois anos (2016 a 2018) no PJM e, também, participará de encontros nacionais e internacionais para a troca de experiências com estudantes dos demais países participantes. Já no primeiro semestre de 2017, irá para um destes encontros no Uruguai.

O estudante foi eleito por votação na Internet, totalizando 1.127 votos, com um projeto intitulado “Progresso Conjunto – Sua opinião faz a mudança”, que propõe um modelo educacional no qual o aluno opine e participe das tomadas de decisões, juntamente com a gestão escolar. Filho de lavradora, com cinco irmãos, nunca saiu da região Nordeste, pois só conhece a Bahia e o Estado de Sergipe, por morar na divisa entre os dois Estados.

Durante os dois anos de mandato, Admilson e demais membros eleitos participarão de discussões e contribuirão na elaboração da Declaração do Parlamento Juvenil, documento produzido pelo coletivo do PJM, formado pelos parlamentares juvenis de todos os países-membros e associados. Cada estudante elaborou um projeto dentro do tema “O Ensino Médio que queremos” e que aborda temas como: inclusão educativa, participação cidadã, direitos humanos, diversidade de raça, etnia e gênero, integração regional e trabalho. São propostas de intervenções na sociedade que retratam as necessidades e objetivos da juventude dos países que fazem parte do Mercosul.

Mais dois estudantes da rede estadual de ensino concorrem à eleição do PJM. O estudante indígena da etnia Pataxó, Emerson Torres Ferreira, 17 anos, do Colégio Estadual Indígena Coroa Vermelha, em Santa Cruz Cabrália (708 km de Salvador), apresentou o projeto “Velhos Jovens” sobre a valorização e o reconhecimento das lutas pelos direitos humanos dos povos indígenas. O estudante Bruno William da Conceição Jorge, 15 anos, do Colégio Estadual Maria Isabel de Melo Goes, localizado no município de Catu (93,3 km da capital), concorreu com o projeto “Jovem trabalhador: possibilidades e perspectivas de inserção no mercado de trabalho, a partir do contexto escolar”.

Por | Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *