Escolas estaduais têm agenda de debates no mês da Consciência Negra

Várias ações alusivas ao Novembro Negro, marcado pelo Dia da Consciência Negra (20), estão sendo desenvolvidas nas escolas estaduais e no âmbito da Secretaria da Educação do Estado da Bahia. Em todas as atividades são abordadas questões como o combate ao racismo, que visam fortalecer a implantação da educação para as relações étnico-raciais no currículo escolar e no Projeto Político-Pedagógico (PPP) das escolas.

Dentre as atividades programadas está a reunião/encontro formativo e deliberativo do Fórum Permanente da Educação Quilombola, de 16 a 18, das 8h30 às 17hs, no Instituto Anísio Teixeira, em Salvador.  Em uma realização da Coordenação da Educação para Diversidade, da Secretaria da Educação do Estado, na quarta-feira (16) também está prevista uma palestra com o tema Educar para a Diversidade, para a turma da Educação de Jovens e Adultos (EJA), na Escola Nossa Senhora de Fátima. O mesmo tema será apresentado na quinta (17), na Escola Municipal Santa Terezinha. Na quinta e na sexta (17 e 18) acontecerá a Caravana da Igualdade/Diálogos Formativos, em Jacobina.itamaraju-capa-n-2017-10-22-1-ss

A programação do Novembro Negro na Educação segue até o dia 30. No dia 21, às 14h, acontecerá uma videoconferência sobre a Lei nº 10.639/03: Conquistas e Desafios, no Instituto Anísio Teixeira (IAT), com retransmissão para as telessalas dos Núcleos Regionais de Educação (NRE). Esta Lei estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, tornando o estudo sobre a “História e Cultura Afro-Brasileira” obrigatório no currículo oficial da rede de ensino. Nos dias 21 e 22, das 8h às 18h, acontecerá o V Encontro de Educação para a Diversidade: desafios e perspectivas inclusivas em Educação no Século XXI, no auditório da Secretaria da Educação do Estado, no Centro Administrativo.

Educação quilombola – Nos dias 23 e 24, o Colégio Estadual Eraldo Tinoco, instalado na comunidade quilombola, no distrito de Santiago do Iguape, em Cachoeira, sediará o seminário Educação Escolar Quilombola, em Santiago do Iguape (23), das 9h às 11h30, e o Projeto Consciência Negra, em Santiago do Iguape (24). O Colégio Estadual Eraldo Tinoco é a primeira unidade da rede estadual a implantar as Diretrizes Curriculares da Educação Quilombola.

A coordenadora de Educação para a Diversidade da Secretaria da Educação do Estado, Erica Capinan, destaca a importância das ações: “A ideia é discutir para além de Zumbi e Dandara. É debater quem somos, qual a contribuição da população negra para a construção da Bahia e, ao mesmo tempo, resgatar essa identidade e esse empoderamento de ser negro,” explica.

Erica Capinan ressalta algumas práticas pedagógicas exitosas que vêm sendo desenvolvidas, nesse sentido, nas escolas estaduais. “Tivemos a implementação da Lei nº 10.639/03 e ações bem-sucedidas em todo o Estado que revelam o esforço de trabalhar as relações étnico-raciais na escola, como o Colégio Estadual Eraldo Tinoco, instalado na comunidade quilombola, no distrito de Santiago do Iguape, em Cachoeira, referência na implantação das Diretrizes Curriculares da Educação Quilombola. Mas o nosso desafio é implantar uma política que institucionalize a lei no currículo da Educação Básica”, enfatiza.

Por | Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *