Greve: Prefeito expoe sua situação, mas profissionais da educação não aceitam

Na manhã da última sexta-feira (27), aconteceu na sala de reuniões da prefeitura municipal de Itamaraju, uma assembleia entre Dirigentes da APLB e poder Executivo, com a presença de alguns vereadores, que  acompanharam a exposição de dados gerados pela contabilidade do município.

Durante toda manhã dados contabeis foram revelado, sobre o municipio e o principal pontos fixado pela administração foi a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), onde segundo a administração hoje a folha já acumula valores superiores a 51%. Mas se o município garantir no vo reajuste do piso nacional, extrapolaria todo esse orçamento, colocando em risco a gestão do prefeito Manoel Pedro.

Diante das informações o gestor disse aos dirigentes, que o municipio não tem como efetuar o reajuste ao profissionais da educação.

Alegações foram feitas pela representante regional “Jovita Lima Silva dos Santos”, mas os representantes do governo municipal, reforçavam as informações e confirmavam o posicionamento do gestor.

Baseados nessa reaunião, os representantes da APLB de forma frustrada convocou uma reunião, onde pode informar ao educadores que o governo em seu posicionamento não pode oferecer nenhum posicionamento aos profissionais.

Muito foi discutido na reunião e também na assembléia dos profissionais de educação que aconteceu na tarde do mesmo dia, onde sobre forma energica pode chegar a uma decisão, que já era imaginada pela população, a deflagração de uma “Greve”.

O representante da APLB, o coordenador Noel Vieira, informou sobre a reunião ocorrida e ao final da assembléia, deixou exposto a situação e as possiveis decisões a serem prosseguidas.

Onde todos profissionais em forma unanime deciram na assembleia que a Greve, será iniciada na próxima sexta-feira (04) de Maio. De acordo com Noel, existe um prazo e tramites legais para que a greve possa iniciar. Seguindo esse processo, será então feito a paralização das unidades educacionais do municipio.

Possibilidades de piquetes, abordagens e medidas também energicas, serão utilizadas durante a greve, a APLB informou que tudo agirá dentro da legalidade e em forma pacifica.

Deixe seu comentário