Pré-candidato a prefeito com habilitação falsa atropela e mata policial militar em Serra dos Aimorés

O delegado Luiz Henrique dos Santos, da Delegacia Regional da Polícia Civil de Nanuque, deve remeter à justiça até o dia 15 de abril, o inquérito policial do acidente automobilístico ocorrido na rodovia MG-713, na noite de sábado do último dia 24 de março, nas proximidades da Escola Agrícola e da Prefeitura Municipal de Serra dos Aimorés, cidade da região do nordeste de Minas Gerais e que faz divisa com os municípios baianos de Lajedão e Mucuri, por ocasião que o empresário do ramo da engenharia civil, candidato em 2008 e pré-candidato a prefeito em 2012 pelo PMDB no município de Serra dos Aimorés, Antonio Carlos Santos Lima, o “Toninho Lima” e popularmente também conhecido por “Toninho Prefeitura”, atropelou e matou um policial militar que pilotava uma motocicleta.

O acidente aconteceu por volta das 23h de sábado (24/03), quando “Toninho Lima” no comando do seu Jeep Cherokee, descia a pista de chegava à cidade de Serra dos Aimorés e colheu frontalmente a motocicleta que subia o asfalto pilotada pelo policial militar Rafael Ricardo dos Santos, 28 anos, que morreu instantaneamente no local da tragédia com múltiplas fraturas expostas pelo corpo, quando a sua moto ainda explodiu pelo impacto da batida.
Conforme o 1º tenente Leonardo Marques, da 24ª Companhia Independente da Polícia Militar de Nanuque, que auxiliou a Polícia Rodoviária Estadual Militar no atendimento da ocorrência, o soldado Rafael Ricardo dos Santos, pilotava a sua moto no sentido Serra dos Aimorés a Nanuque, enquanto o motorista do veiculo Antonio Carlos Santos Lima, o “Toninho Lima”, dirigia no sentido contrário. O oficial explica que o acidente teve uma diligente dinâmica para promoção do seu cenário, porque o impacto foi tão violento contra o militar, que a moto da vítima incendiou e uma das rodas dianteiras da Cherokee foi literalmente arrancada.

Lembra o 1º tenente Leonardo Marques, que após o acidente fatal, o motorista do veículo atropelador, Antonio Carlos Santos Lima, o “Toninho Lima”, se subterfugiu do local do sinistro, mas acabou sendo preso horas depois na vizinha cidade de Nanuque, apresentando sinais visíveis de embriaguez. Contudo, após ter sido localizado e preso, “Toninho Lima” foi conduzido ao pronto socorro de uma unidade hospitalar onde foi realizado um diagnóstico clínico, mesmo não tendo sido lesionado no acidente e, conduzido na seqüência para a carceragem da Delegacia Regional da Polícia Civil de Nanuque, onde foi autuado em flagrante delito, mas 40 horas depois, na manhã de segunda-feira (26/03), os seus advogados conseguiram na justiça a sua liberdade provisória após o pagamento de uma fiança de 10 salários mínimos.
A narrativa do boletim de ocorrência lavrada pelos agentes da Polícia Rodoviária Estadual Militar de Minas Gerais, sob o comando da 3ª Sargento Nayanny Ramalho de Souza, consta que o condutor do Jeep Cherokee invadiu a mão de direção da moto, ao curvar fechado na descida da pista, colhendo de frente o policial militar que subia. Os peritos criminais também evidenciaram que a colisão ocorreu na faixa de direção da motocicleta, onde se houve a invasão de pista que ofertou a causa da tragédia. Outro agravante é que a Carteira Nacional de Habilitação encontrada com o motorista “Toninho Lima” que seria originária do DETRAN do Espírito Santo, estava vencida desde 4 de setembro de 2001, contudo, o seu prontuário não foi encontrado no sistema nacional, também evidenciando que a sua habilitação é falsa.

O delegado que apura o caso, Luiz Henrique dos Santos, disse que na primeira hora foi lavrado o flagrante, feita as oitivas das testemunhas e a do condutor do veículo, e comunicado de imediato à justiça sobre a prisão do autor, todavia, disse que deve concluir o inquérito do caso no final da primeira quinzena de abril quando estiver municiado dos laudos periciais. Mas adiantou que pode indiciar o autor por crime de homicídio, com tipificação no dolo eventual, por considerar que o autor assumiu o risco de matar, ao ingerir bebida alcoólica e fazer uso de um veiculo automotor. Mas segundo o delegado, os autos do inquérito estão em parte prejudicados porque não foi feito o teste do etilômetro no acusado no momento do fato, sob alegação que os aparelhos de bafômetro existentes nas corporações ostensivas da cidade estavam na revisão naquele final de semana do acidente fatal.
O delegado Luiz Henrique disse ainda que vai aguardar o resultado oficial do laudo médico de diagnóstico do autor e dos laudos de medicina legal e de criminalística local da Polícia Cientifica, para poder concluir seu relatório processante, e se nada puder provar que o acusado estava embriagado quando atropelou e matou o policial militar, corre-se a possibilidade de lhe indiciar somente por crime de homicídio culposo, dando-lhe a causa ao resultado por imprudência, negligência ou imperícia (quando não se tem a intenção de matar). No entanto, informa o delegado, que nada ainda sobre a conclusão do inquérito é oficial, até porque o acusado pode incorrer em outros crimes, a exemplo do crime de uso de documento falso por ter sido encontrada com o acusado “Toninho Lima”, uma CNH inexistente no sistema nacional do DETRAN, assumindo de qualquer forma o risco de matar porque não é habilitado para o exercício de dirigir.

O soldado Rafael Ricardo dos Santos, 28 anos, morto neste trágico acidente em Serra dos Aimorés, estava há 3 anos nos quadros da Polícia Militar de Minas Gerais e se preparava para o vestibular de oficial a tenente. Ele servia no 2º Pelotão da Polícia Militar de Serra dos Aimorés e morava em Nanuque. O seu sepultamento ocorreu com honras militares no cemitério de Nanuque no final da tarde do último domingo, 25 de março.

Fonte / Fotos –  Teixeira News 

Deixe seu comentário