[Itamaraju] Internauta denuncia descaso contra meio ambiente

Duas coisas partilham de fatos irrefutáveis, uma que a população vive e sempre é aparado por decisões divinas. E a segunda seria que os gestores, gerentes e secretários são dotados de total inércia, pois esperam decisões da natureza ou acaso, para gerir os recursos do município.

Podemos afirmar isso com base na atual realidade dos moradores que precisam de água potável e são deparados com uma realidade “Se não chover vou ficar sem água”.

Planejamentos devem ser realizados com média de 10 anos, o que devem ser feito a curto prazo são as fiscalizações, dotada apenas de papéis.

Itamaraju - in - ambiente- 2016.03.16.1

Com base nesta última, recebemos de um morador do bairro Tarcisão, uma denúncia, onde  trata de prática que destrói e traz danos aos leitos do rios, que se encontra as margens do Rio do Ouro, a remoção de barro para a área de cerâmicas.

Questionamos um engenheiro ambiental sobre a realidade das imagens, o mesmo alegou ser um crime. No entanto os órgãos, apenas se apegam a documentos e não atentam a fiscalizar de perto os danos ao meio ambiente.

Recentemente uma onda de queimadas, nas proximidades de bairros criou nuvem fumaça e criava risco a saúde de toda a comunidade. Pouco se sabe sobre fiscalizações nas propriedades ou algum tipo de punição.

Apenas com as palavras voltava didática de economizar, o país conseguiu reduzir o consumo energético e hídrico, mas investimentos regionais não são direcionados de forma uniforme. Uma solução era planejada a pouco mais de 3 meses, que aparentemente foram deixadas de lado, após a intervenção divina.

O que devemos pedir a Deus por esse município é a iluminação de homens bons dotados de planejamento.

A única regra valida é dedicar respeito ao contribuintes. Que muito paga e pouco recebe referente aos seus direitos.

Deixe seu comentário