ITAMARAJU | Mau atendimento, vira caso de polícia

Um belo atendimento sempre cria laços amistosos, no entanto a falta de delicadeza, sempre promove desrespeito e indignação.

Com base nesta última afirmação um cliente de uma loja que comercializa [produtos agropecuários] mobilizou as autoridades policiais pela falta de respeito de uma atendente que demonstrou privilégios no tratamento de clientes.

No relato registrado num boletim de ocorrência o senhor Gilmar Nunes Pereira (48 anos), relatou ter sido constrangido, quando adentrou a loja localizada no centro da cidade procurando por um produto e solicitou a atendente o acesso para utilizar o banheiro, no entanto foi informando que estaria quebrado, minutos após sua solicitação um sucedido empresário adentrou a mesma loja e fez o mesmo pedido, onde recebeu a chave, além de guiado até o banheiro. O cliente por sentir cerceado do direito fisiológico devido seu status financeiro optou em notificar a central da polícia militar, que orientou as partes.

Após o registro do boletim o cliente convocou a imprensa, além de abrir uma denúncia na justiça especial sobre o caso.

“Sou cliente da loja e meu dinheiro tem o mesmo valor, comparado com qualquer outra pessoa”, disse Gilmar.

Grandes empresas frequentemente efetuam treinamentos e reciclagem aos funcionários para garantir melhor atendimentos, que sempre resulta em vendas e ampliação dos negócios.

A empresa em questão poderá sofrer punições pela conduta separatista. Mas a polícia ainda não ouviu a versão da atendente, o caso será apurado.

O município ainda registrar muitas vezes essa falta de respeito em órgãos públicos, que promovem enormes filas ou agilidades em casos de privilégios, porém a [Constituição Federal] assegura igualdade de direitos a todos os cidadãos.

Deixe seu comentário. Interaja Você Também!