Itamaraju: Posse do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional

No dia 25 de setembro de 2013 o Secretário Municipal de Desenvolvimento Social, Evando Rodrigues da Silva, no uso de suas atribuições, enquanto gestor do órgão responsável pelo Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, empossou os membros titulares e suplentes representantes da Sociedade Civil e do Poder Público. da Sociedade Civil estiveram presentes o Sr. Reges Gonçalves representando a Associação Arco Íris, a Srª. Larissa Rodrigues Caldeira representando a CDL, a Srª Maria Irany e a Srª Sandra Moreno, representando a APAE, a Srª Maristela Santos Silva e a Srª Vilma Araújo representando o SINTRASPESBA, a Srª Mariana Pires representando a OAB, a Srª Maria Estela Muniz e a Srª Elis Faiane representando as instituições religiosas; e por parte do Poder Público estiveram presentes a Srª Marleide Lima, representando a Secretaria de Finanças, a Srª. Acricia Santos e o Sr. Ronaldo Ferreira Santos representando a Secretaria de Agricultura, a Srª. Raianne Paixão Santana e a Srª. Luíza de Souza representando a Secretaria de Saúde, e a Srª Adiléia Matos e a Srª Cristiane Freire representando a Secretaria de Desenvolvimento Social. Na oportunidade foram eleitos entre os pares o Presidente e o Vice-presidente, onde a Srª Adiléia Matos enquanto Presidente e o Sr. Reges Gonçalves enquanto Vice-presidente, e para a atribuição de  Secretária Executiva, o Secretário Evando nomeou a Assistente Social Bárbara Fagundes.

itamaraju - in - conselho 2013-09-25

O Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional é um órgão cujas decisões são tomadas coletivamente com o objetivo de propor as diretrizes gerais da Política de Segurança Alimentar e Nutricional, com o objetivo de garantir o direito ao alimento e à nutrição para a população itamarajuense. Compete ao conselho propor e coordenar campanhas de conscientização da opinião pública, incentivar parcerias que garantam mobilização e racionalização no uso dos recursos disponíveis, sugerir ações emergenciais para o atendimento da população em situação de insegurança alimentar, propor diretrizes para a Política e o Plano Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional, além de proteger e resgatar os valores do patrimônio cultural alimentar.

Por | Bárbara Gonçalves Fagundes – Assistente Social

Deixe seu comentário