InícioNotíciasPolíticaAdolescente mata pais e irmã: entenda a cronologia do crime macabro

Adolescente mata pais e irmã: entenda a cronologia do crime macabro

São Paulo — Um adolescente de 16 anos matou a família adotiva dentro de casa, na Vila Jaguara, zona oeste de São Paulo. O caso aconteceu na última sexta-feira (17/5), mas ganhou repercussão nesta segunda (20/5), após o menor confessar o crime e dizer que “faria de novo“. Entenda a linha cronológica do crime e quando aconteceram as mortes das vítimas:

Quinta-feira (16/5) O adolescente é chamado de vagabundo e tem o celular confiscado. Sem o aparelho, o menino não poderia usá-lo para fazer uma apresentação da escola. Com o ocorrido, o menor começa a planejar o crime que colocaria em prática no dia seguinte.

Foto da família morta pelo adolescente de 16 anos

Foto da família morta pelo adolescente de 16 anos Reprodução/ Redes Sociais

adolescente-mata-pais5

Viaturas da GCM de Jundiaí nas proximidades da casa de adolescente que confessou ter matado a tiros os pais adotivos e a irmã em SP Reprodução/TV Globo

Adolescente de 16 anos mata a tiros e facadas pais adotivos e irmã

Reprodução Tv Globo

adolescente-mata-pais

Policiais na frente da casa de adolescente que confessou ter matado a tiros os pais adotivos e a irmã em SP Reprodução/TV Globo

adolescente-mata-pais2

Carro em frente à casa de adolescente que confessou ter matado a tiros os pais adotivos e a irmã em SP Reprodução/TV Globo

adolescente-mata-pais3

Viaturas da GCM de Jundiaí nas proximidades da casa de adolescente que confessou ter matado a tiros os pais adotivos e a irmã em SP Reprodução/TV Globo

87-dp-adolescente-mata-pais

Fachada do 87º DP (Vila Pereira Barreto), que investiga caso de adolescente que matou pais e irmã a tiros em SP Reprodução/TV Globo

foto colorida de carro em frente à casa de adolescente que confessou ter matado a tiros os pais adotivos e a irmã em SP – Metrópoles

Reprodução/TV Globo

adolescente-mata-pais6

Movimentação de GCMs e PMs em frente à casa onde adolescente matou os pais e a irmã na Vila Jaguara, em SP Reprodução/SBT

adolescente-mata7

GCMs em frente à casa de adolescente que matou a família na Vila Jaguara, em SP Reprodução/SBT

Sexta-feira (17/5) O menino pega a arma do pai, que tinha 57 anos, a qual sabia onde estava escondida, e a testa disparando contra a cama de casal dos responsáveis. O genitor era um guarda municipal.

Por volta das 13h23 do mesmo dia, o adolescente espera o pais e a irmã, de 16 anos, chegarem da escola da adolescente e mata ambos. O homem é morto com um tiro na nuca quando estava na cozinha e a menina é executada no andar de cima, com um disparo no rosto, após questionar o que havia acontecido com o pai.

Após matar os dois, o infrator ainda almoça ao lado dos cadáveres e vai à academia. Ao voltar ao local, fica aguardando sua mãe, que tinha 50 anos, chegar do trabalho para também matá-la.

Às 19h, a mulher é recebida em casa pelo menino, que abre o portão da garagem e a acompanha até a cozinha. No cômodo, a mulher se depara com o corpo do marido e começa a gritar. Nesse momento é atingida por um disparo quando estava de costas e cai sob o corpo do homem.

Sábado (18/5) No dia seguinte, o adolescente volta a academia e, ao retornar para casa, fixa uma faca nas costas da matriarca, por ainda estar com muita raiva por conta do confisco de seu celular.

Segundo depoimento policial, o menor continua a sua rotina normalmente, com atos como o de ir à padaria comprar alimentos.

Domingo (19/5) Por volta das 22h55 do último domingo (19/5), os policiais são acionados pelo próprio autor do crime. Uma fonte policial afirmou ao Metrópoles que o menor teria ficado incomodado com a grande quantidade de moscas na casa, atraídas pela decomposição dos corpos, e por isso chamou as autoridades.

No local, os agentes prendem o adolescente infrator, que confessa todo o crime.

“Faria de novo” O adolescente afirmou aos policiais que já planejava matar os pais, mas não incluía a irmã neste plano. Porém, pelo fato de a vítima estar no local, também foi morta.

Em depoimento à polícia, o menor ainda reafirmou que o objetivo era só matar, que não se arrependeu de seus atos e, que se pudesse, “faria de novo”.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o caso foi registrado como ato infracional de homicídio – feminicídio; ato infracional de posse ou porte ilegal de arma de fogo e ato infracional – vilipêndio a cadáver.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Damares quer youtuber petista no inquérito de milícias digitais

Senadora envia pedido para Moraes com base em reportagem que afirma que Thiago dos...

Prefeitura convida cidadãos para inauguração de chafariz no Kaikan Sul nesta quinta (13)

A Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas convida os cidadãos para a inauguração de...

Jean Wyllys diz que Grazi Massafera só existe porque ele estava no BBB

Jean Wyllys foi o campeão do BBB 5, ao desbancar Grazi Massafera na final...

Aluguel de loja e buraco na parede: como bando furtou 100 armas no DF

As investigações da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) revelaram que os criminosos responsáveis...

Mais para você