InícioEditorialPolítica Nacional‘Ainda não entrei na Justiça contra privatização da Eletrobras, mas pretendo entrar’,...

‘Ainda não entrei na Justiça contra privatização da Eletrobras, mas pretendo entrar’, diz Lula

Segundo petista, processos movidos até o momento questionam apenas o fato de o governo ter um direito a voto inferior à sua participação na companhia

Ricardo Stuckert/PR/Divulgação

Lula fala com jornalistas em Londres após coroação do rei Charles III

Em entrevista coletiva em Londres, para onde viajou a fim de participar da coroação do rei Charles III, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi questionado sobre uma ação que pediria a revisão da privatização da Eletrobras. O petista fez questão de salientar que ainda não procurou a Justiça, mas o fará. “Eu não entrei contra a privatização da Eletrobras, eu ainda pretendo entrar”, disse. Segundo ele, os processos movidos até o momento questionam apenas o fato de o governo ter um direito a voto inferior à sua participação na companhia que foi privatizada no ano passado. Lula disse que não concorda com os termos colocados à época da operação, que estabelecem valores elevados para uma reestatização da companhia, e sinalizou que não considera justo o governo ter 43% da empresa, mas estar limitado a 8% dos votos. “Pense se é possível uma coisa dessa.”

Além disso, o presidente questionou os valores pagos aos dirigentes e conselheiros da empresa, que reajustaram os vencimentos em mais de 3.576%. “Os diretores aumentaram seus salários de R$ 60 mil por mês para mais de R$ 360 por mês, e um conselheiro para fazer uma reunião ganha mais de R$ 200 milhões. Não é possível, num país em que 33 milhões de pessoas passam forme, vivermos numa situação como essa”. Na época do reajuste, o presidente da estatal, Wilson Ferreira Júnior, havia dito que o aumento nos salários seria justificável porque encontrava comparativos com qualquer empresa privada do mesmo porte, e que as remunerações estavam congeladas desde 2015

Ontem, a Advocacia-Geral da União (AGU) entrou com uma ação de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF) questionando o poder de voto que o Estado tem na Eletrobras. A ação, porém, não reivindica a reestatização da empresa, objetivo de outras ações que tramitam na Justiça no momento. O governo pede que essa restrição seja suspensa até o julgamento do processo pelo STF. A justificativa do pedido é de que a limitação do voto “é uma afronta aos princípios constitucionais de razoabilidade, proporcionalidade, impessoalidade, da moralidade e da eficiência da administração pública”.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

STF valida uso de vestimenta religiosa em fotos oficiais

Por unanimidade, Corte estabeleceu que é constitucional o uso de acessórios de cunho religioso...

PETO recupera veículo, onde vítima chegou a ser baleado durante assalto

Nesta quarta-feira (17) de abril, militares do PETO conseguiram recuperar um veículo com restrição...

Com plenário vazio, deputados veem futebol em meio a articulação quente entre Lira e governo Lula

Foto: Levy Teles/Estadão Deputados assistem à cobrança de pênaltis entre Manchester City e...

Regulamentos sobre a nova Lei de Licitações e Contratos Administrativos

A Lei Federal nº 14.133/2021 representa um marco importante no cenário das licitações públicas...

Mais para você