InícioEditorialPolítica Nacional‘Bruno Covas não aceitaria excesso de bolsonarismo de Nunes’, diz Orlando Faria

‘Bruno Covas não aceitaria excesso de bolsonarismo de Nunes’, diz Orlando Faria

O ex-presidente do diretório municipal do PSDB de São Paulo, Orlando Faria, dará o pontapé inicial publicamente no trabalho como coordenador político de Tabata Amaral (PSB) à Prefeitura de São Paulo na quinta-feira, 25. Ele vai participar do lançamento da pré campanha da deputada federal na cidade. Em conversa com a Jovem Pan News, Faria relatou que o convite para atuar na campanha de Tabata. “Com a notícia da minha saída [do diretório municipal], Tabata foi rápida no processo. Me ligou no final do dia na segunda-feira e me fez o convite para atuar como coordenador politico – uma função que também desempenhei com Bruno [Covas]”, conta. O tucano explica que resolveu deixar a função no partido por motivos pessoais e políticos. Para ele, o entrave que atinge o PSDB de São Paulo – com lideranças nacionais, como Marconi Perillo, Eduardo Leite e Aécio Neves defendendo uma candidatura própria enquanto uma ala defende o apoio à Ricardo Nunes e, outra, à Tabata – é uma “confusão” que “não parece ter solução a curto prazo”.

cta_logo_jp
Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

Por isso, ele resolveu sair da função, mas não tem intenção de deixar o partido. Pelo menos por enquanto. A ideia de Orlando Faria é criar, dentro do PSDB de São Paulo, uma “Frente de apoio à Tabata”. “É provável que; nas próximas semanas, vejamos bons quadros, de ex-secretários e líderes do PSDB vindo [para o apoio à Tabata]. Eu vou atrás deles e eles também vão vir. Já recebi diversas ligações de gente que quer vir com Tabata”, garante. Mas continua: “Se o PSDB lançar um candidato próprio, vou respeitar. Se me pedirem pra sair do partido, saio sem problemas e vou trabalhar com a Tabata. Mas se não lançarem, fico nessa frente”.

‘Tabata é mais digna e Nunes tem excesso de bolsonarismo’

Orlando Faria acredita que a campanha de Tabata pode chamar um número maior de tucanos por ser “mais digna e com mais aderência ao que o PSDB acredita”. Crítico a gestão do atual prefeito da capital paulista e pré-candidato à reeleição, ele diz que Ricardo Nunes (MDB) se aproximou demais do bolsonarismo. “É algo que o Bruno [Covas] não aceitaria, na minha opinião. Acho que ele não toparia o excesso de bolsonarismo de Ricardo Nunes. Acho que Nunes transformou todo governo do Bruno, você tem aí mudanças em pelo menos 80% do primeiro escalao do Bruno. Realmente sou critico a gestão Nunes, ele deformou e deturpou o governo Bruno Covas”, afirma Orlando. Ricardo Nunes assumiu a Prefeitura de São Paulo em maio de 2021, após o falecimento de Covas. Agora, uma ala grande do PSDB – principalmente formada por vereadores – defende o apoio à reeleição dele.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Lula diz que lançará consignado para todos os trabalhadores

Em entrevista à “RedeTV!”, o presidente afirmou que mais de 40 milhões de pessoas...

Distrito Federal ultrapassa 100 mil casos de dengue em 2024

O Distrito Federal atingiu a marca de mais de 100 mil casos de dengue...

PEC que amplia isenção tributária para templos religiosos avança em comissão da Câmara

A comissão especial da Câmara dos Deputados encarregada de avaliar a Proposta de Emenda...

8 de Janeiro me preocupa mais que golpe militar de 1964, diz Lula

A 1 mês dos 60 anos da tomada de poder pelos militares, presidente declarou...

Mais para você