InícioEditorialPolítica NacionalDatafolha para prefeitura de SP traz Boulos com 24% e Nunes com...

Datafolha para prefeitura de SP traz Boulos com 24% e Nunes com 23%: empate técnico

Pesquisa também revelou que Boulos mantém estabilidade nas intenções de voto, enquanto Nunes é visto como a opção principal por eleitores que votaram em Bolsonaro; Boulos é o pré-candidato com maior rejeição

Montagem/Estadão Conteúdo

Em cenário apresentado com a ausência de Datena e Kim, Nunes se destaca como o principal beneficiado entre os líderes, herdando votos dos demais candidatos

A disputa pela Prefeitura de São Paulo está acirrada, com um empate técnico entre os candidatos nos cenários testados pela pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira (29). No cenário mais completo, Guilherme Boulos (PSOL) lidera com 24%, seguido de perto pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB) com 23%. Sem a presença de José Luiz Datena (PSDB) e Kim Kataguiri (União Brasil) na disputa, as posições se invertem numericamente, com 26% para o atual prefeito. A pesquisa foi realizada com 1.092 eleitores da cidade e tem margem de erro de três pontos percentuais. A presença de novos candidatos na pesquisa, como Datena e Pablo Marçal (PRTB), trouxe uma nova dinâmica à corrida eleitoral. No segundo cenário, com a ausência de Datena e Kim, Nunes se destaca como o principal beneficiado entre os líderes, herdando votos dos demais candidatos. A pesquisa também revelou que Boulos mantém estabilidade nas intenções de voto, enquanto Nunes é visto como a opção principal por eleitores que votaram em Bolsonaro e aprovam sua gestão. A presença de Marçal como candidato pode impactar a corrida eleitoral, drenando apoio dos líderes da disputa.

Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

Rejeição O pré-candidato Guilherme Boulos é o mais rejeitado pelo eleitorado de São Paulo, com 32% de rejeição. Em seguida, aparecem Pablo Marçal com 25% e o atual prefeito Ricardo Nunes com 24%. Outros nomes como José Luiz Datena, Kim Kataguiri, José Pimenta (PCO), Altino (PSTU), Tabata Amaral (PSB) e Marina Helena (Novo) também enfrentam altos índices de rejeição. Guilherme Boulos, conhecido por liderar movimentos sociais, manteve seu patamar de rejeição em 34%, um número elevado que apenas dois ex-prefeitos conseguiram superar. Enquanto isso, o prefeito Ricardo Nunes enfrenta acusações administrativas e viu um de seus aliados, o presidente da Câmara Milton Leite (União Brasil), ser acusado de corrupção. Ambos negam as acusações, mas precisam lidar com a desconfiança do eleitorado. Outros nomes em destaque na pesquisa são José Luiz Datena, conhecido por sua atuação na TV, e Pablo Marçal, ligado à esfera bolsonarista. Enquanto Datena tem alta visibilidade e baixa rejeição, Marçal já aparece em segundo lugar em rejeição, apesar de ter um índice de conhecimento menor. A deputada Tabata Amaral também busca se destacar como uma alternativa à polarização política.

Alguns candidatos, como Kim Kataguiri e Marina Helena, enfrentam desafios de visibilidade e rejeição. Enquanto Kim é pouco conhecido pelos eleitores, Marina Helena viu sua taxa de conhecimento oscilar negativamente desde a última pesquisa. A pesquisa foi encomendada pela Folha e registrada no Tribunal Superior Eleitoral, ouvindo 1.092 pessoas para traçar o cenário das eleições municipais de São Paulo em 2024.

Publicado por Heverton Nascimento

*Reportagem produzida com auxílio de IA

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Brasil derrete e dólar dispara quando Lula abre a boca, diz Flávio

Filho do ex-presidente Bolsonaro declara que ao final do mandato do petista o brasileiro...

Moraes ironiza e diz que é chamado de “único comunista” do STF

O ministro Alexandre de Moraes brincou com a alcunha de “comunista”, muitas vezes dirigida...

Análise de Sistemas está entre as profissões com futuro garantido

A carreira de especialista em Análise de Sistemas está entre as mais promissoras do...

TCU aprova contas do governo em 2023, mas aponta distorções de R$ 20 bi

A auditoria apurou, ainda, R$ 114,6 bilhões em limitações de escopo no ativo total,...

Mais para você