InícioEditorialPolítica NacionalDefensorias e MPF cobram apuração de violência policial em comunidade quilombola, em...

Defensorias e MPF cobram apuração de violência policial em comunidade quilombola, em Cairu

Foto: Reprodução

Dois membros da comunidade Quilombo da Gamboa sofreram agressões por agentes policiais; episódio ocorreu no dia 24 de novembro 01 de dezembro de 2023 | 11:14

A Defensoria Pública da União (DPU), o Ministério Público Federal (MPF) e a Defensoria Pública do Estado da Bahia (DPE-BA) enviaram um ofício, nessa quarta-feira (29), ao Governo da Bahia, à Secretaria da Segurança Pública e à Corregedoria da Polícia Militar da Bahia, em que solicitam a apuração de um episódio de violência policial ocorrido na comunidade Quilombo da Gamboa, situada na Ilha de Tinharé, em Cairu, na Bahia, no dia 24 de novembro. O episódio, do qual participaram cerca de 40 policiais, aconteceu durante um suposto cumprimento de mandado de reintegração de posse emitido pela Justiça Estadual.

A DPU, o MPF e a DPE-BA tiveram acesso a imagens que revelam excessos cometidos pelos agentes policiais durante a abordagem de um dos moradores. “As imagens mostram o momento em que um membro do quilombo é atingido por um golpe desferido por policial militar, sem qualquer justificativa plausível, enquanto outro aguardava rendido”, diz o ofício. A mãe do agredido, ao presenciar a violência contra o filho, precisou ser socorrida a um hospital, falecendo dias depois.

Diante dos graves desdobramentos do episódio, que culminou com a morte de uma pessoa, a DPU, o MPF e a DPE-BA pedem que o Poder Público adote medidas estruturais imediatas, capazes de conter ou minimizar os episódios de violência contra comunidades tradicionais na Bahia. Os órgãos pedem, ainda, uma investigação sobre o episódio de violência policial, com responsabilização dos envolvidos, tanto no âmbito administrativo quanto no criminal.

O ofício foi encaminhado à Governadoria do Estado da Bahia, à Secretaria de Segurança Pública, ao Grupo de Atuação Especial Operacional de Segurança Pública (GEOSP) do Ministério Público do Estado da Bahia, à Superintendência de Prevenção à Violência (SPREV) da Secretaria da Segurança Pública e à Corregedoria da Polícia Militar da Bahia. As instituições aguardam um posicionamento das autoridades em um prazo de até dez dias.

Política Livre

Comentários

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Valdemar retira assassino de Chico Mendes do comando do PL no Pará

Darci Alves, atualmente conhecido como Pastor Daniel, cometeu o crime em 1988; tinha tomado...

Thaís Fersoza é detonada por esposa do ex-BBB Maycon: “Humilhou”

Franciane de Souza, mulher do ex-BBB Maycon Cosmer, desabafou sobre a diferença de tratamento...

Reforma tributária: relator cita preocupação com calendário eleitoral

O deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), relator da reforma tributária na Câmara dos Deputados,...

PF deflagra operação contra grupo que usava empresas ‘fantasmas’ para tráfico de drogas

A Polícia Federal e o GAECO/MPMT deflagraram na manhã desta quarta-feira, 28, a Operação...

Mais para você