InícioEditorialPolítica NacionalDefesa de Roberto Jefferson pede para STF relaxar prisão preventiva

Defesa de Roberto Jefferson pede para STF relaxar prisão preventiva

Petição reforça que, apesar de Moraes manter a prisão, a Corte já havia reconhecido a sua incompetência para julgar o caso

Roberto Jefferson está preso desde outubro de 2022, depois de ter feito disparos com arma de fogo contra policiais federais Reprodução Seap-RJ

PODER360 2.jan.2024 (terça-feira) – 21h16

A defesa do ex-deputado federal Roberto Jefferson entrou com uma reclamação no STF (Supremo Tribunal Federal) na 2ª feira (1º.jan.2024) pelo relaxamento da prisão preventiva do ex-congressista.

Na petição, a defesa afirma que, apesar de o ministro Alexandre de Moraes ter mantido a prisão preventiva de Jefferson, o STF já havia reconhecido a sua incompetência para julgar o caso. O advogado João Pedro Barreto cita parecer da PGR (Procuradoria Geral da República) e pede para que os autos do processo sejam encaminhados à Justiça Federal do Distrito Federal. Eis a íntegra (PDF – 934 kB).

A defesa alega que o magistrado “insiste em desrespeitar” o entendimento da Corte acerca do caso, adotando “critérios equivocados” para manter a prisão de Jefferson. A petição afirma ainda que manter a decisão monocrática do ministro resultará em constrangimento ilegal e violação ao princípio da dignidade da pessoa humana.

Roberto Jefferson está preso desde outubro de 2022, depois de ter feito disparos com arma de fogo contra policiais federais que cumpriam mandados de busca e apreensão em sua casa, no município de Comendador Levy Gasparianm no Rio de Janeiro.

Depois da Seap-RJ (Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro) apresentou um laudo indicando que Jefferson apresentava tumores no pâncreas, testículos, intestino, além de diabetes, hipertensão, depressão, insônia e ansiedade, Moraes autorizou a transferência de Jefferson do presídio de Bangu 8 para um hospital privado em Botafogo.

O documento da Seap dizia que a situação médica do ex-deputado era “extremamente frágil” e que ele se encontrava com “quadro depressivo” e “incapacidade de se nutrir”.

Em setembro de 2023, a juíza federal Abby Ilharco Magalhães, da 1ª Vara Federal de Três Rios, decidiu manter a prisão preventiva de Jefferson. Além disso, ela determinou que o ex-deputado vá a júri popular.

À época, a defesa de Jefferson já havia pedido a conversão para prisão domiciliar, que foi negada pela juíza.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Janja se encontra com primeira-dama da Guiana

Conversaram sobre iniciativas públicas de dignidade menstrual e igualdade de gênero nos 2 países ...

Mutirão Contra a Dengue ocorreu em bairro teixeirense nesta quarta (28)

A Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas, através da Secretaria de Saúde, promoveu nesta...

Boninho dá bronca geral no BBB 24: “Psicóloga ficou brava”

As coisas ficaram tensas dentro da casa mais vigiada do Brasil na tarde desta...

Quantos dias duram sintomas da dengue? Médico explica fases da doença

O Brasil caminha a passos largos para atingir a marca de 1 milhão de...

Mais para você