InícioEditorialPolítica NacionalDepois de se tornar réu, Moro diz que denúncia é improcedente

Depois de se tornar réu, Moro diz que denúncia é improcedente

A 1ª Turma do STF aceitou denúncia da PGR, que acusou o senador de calúnia contra o ministro Gilmar Mendes

“O recebimento da denúncia não envolve análise do mérito da acusação e no decorrer do processo a minha defesa demonstrará a sua total improcedência”, afirmou Moro Sérgio Lima/Poder360 – 22.mar.2023

Letícia Pille 4.jun.2024 (terça-feira) – 18h10

O senador e ex-juiz da operação Lava Jato, Sergio Moro (União Brasil-PR), afirmou nesta 3ª feira (4.jun.2024) que a sua defesa mostrará a “total improcedência” da denúncia por calúnia apresentada pela PGR (Procuradoria Geral da República) contra ele por fala sobre o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes.

“O recebimento da denúncia não envolve análise do mérito da acusação e no decorrer do processo a minha defesa demonstrará a sua total improcedência”, afirmou o congressista no X (ex-Twitter) depois de a Corte tornar ele réu pelo caso.

Moro ainda disse que a 1ª Turma recebeu a denúncia por ele ter feito uma “piada em festa junina” antes do exercício do seu atual mandato de senador. A data da gravação do vídeo foi a justificativa usada pela defesa do senador para pedir que o caso não fosse analisado pelo STF, uma vez que teria sido gravada antes do mandato.

No entanto, os ministros rejeitaram o pedido porque entenderam que o vídeo foi divulgado em 2023, quando Moro já exercia cargo eletivo e, portanto, dá ao senador prerrogativa de foro para julgamento.

O caso estava sob análise da 1ª Turma do STF, composta por Cármen Lúcia (relatora), Alexandre de Moraes, Luiz Fux, Cristiano Zanin e Flávio Dino. Com decisão unânime, todos eles acompanharam a relatora para tornar o senador réu.

A relatora entendeu que a peça acusatória atende aos requisitos do artigo 41 do Código de Processo Penal –que determina que uma denúncia deve expor o fato criminoso em todas as suas circunstâncias. A ministra também afirmou que, para aceitar a denúncia, é suficiente a “materialidade” da conduta do senador e que, mesmo em um cenário de brincadeira, as falas não se justificam.

Moro foi denunciado por calúnia pelo MPF (Ministério Público Federal) depois de um vídeo, em que ele aparece ironizando o ministro do STF, viralizou nas redes em 2023. Na gravação, ele sugere comprar um “habeas corpus do Gilmar Mendes”. 

O trecho do registro mostra Moro respondendo a uma voz feminina que diz: “Está subornando o velho”. O ex-juiz responde em seguida: “Não, isso é fiança. Instituto. Para comprar… para comprar um habeas corpus do Gilmar Mendes”.

Depois da repercussão, sua assessoria disse que a fala foi retirada de contexto. 

Assista (18s):

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Alvo de Aras, jornalista tenta tirar vice do ex-PGR de ação no STF

O jornalista André Barrocal, alvo de uma ação movida pelo ex-procurador-geral da República Augusto...

STF retoma julgamento sobre atendimento de pessoas trans no SUS

Ação protocolada pelo PT defende que grupo tenha acesso assegurado aos serviços públicos de...

Silvio de Almeida é aplaudido em culto evangélico ao falar de aborto

São Paulo — O ministro de Direitos Humanos, Silvio Almeida, participou, na noite dessa...

Renascer: abandonada por Rachid, dona Patroa tem virada inédita

Reprodução/Globo 1 de 1 Foto colorida de Dona Patroa (Camila Morgado), em Renascer -...

Mais para você