InícioEditorialPolítica NacionalDonato chora após agressão de petista: "Fui humilhado e tenho medo"

Donato chora após agressão de petista: “Fui humilhado e tenho medo”

Deputado levou um tapa no rosto de Washington Quaquá (PT-RJ) em sessão de promulgação da tributária no Congresso

Ao centro, o deputado Messias Donato (foto) é consolado por colegas na tribuna da Câmara depois de levar tapa de Washington Quaquá (PT-PR) reprodução/Youtube – 20.dez.2023

PODER360 20.dez.2023 (quarta-feira) – 22h45

O deputado Messias Donato (Republicanos-ES) chorou ao falar sobre a agressão sofrida na sessão de promulgação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da reforma tributária no Congresso Nacional nesta 4ª feira (20.dez.2023). Ele levou um tapa no rosto do também deputado e vice-presidente do PT, Washington Quaquá (RJ). 

“Confesso que não conhecia esse deputado e nunca tinha ouvido falar. Eu respeito e tenho amigos, pessoas que a gente convive e diverge aqui no parlamento nas questões de ideias. Deputados que estão e que são de esquerda, mas que são pessoas decentes. Mas ao mesmo tempo, hoje, eu me senti, assim, muito humilhado”, declarou. 

Assista (9min11s):

O congressista disse ter colocado a mão esquerda em frente ao celular de Washington Quaquá, pedindo para que o petista parasse de falar palavras “de baixo calão”. 

“Foi quando fui surpreendido com um tapa na face direita. Lado no qual, inclusive, eu fiz uma cirurgia com meu cirurgião-dentista”, afirmou. 

Donato falou que, quando tomava as providências cabíveis diante do caso, leu a declaração do vice-presidente do PT sobre o episódio: “Bati mesmo e se eu puder, bato de novo”. Nesse momento, o deputado começou a chorar na tribuna da Câmara dos Deputados. 

“Essa Casa não serve para isso. Não é um ringue. A discussão, a briga, é no campo de ideias, cada um fica nas trincheiras que defende. Eu não tenho culpa se eu defendo a vida, a família e os valores cristãos”, declarou, com a voz embargada.

O deputado também afirmou ter “medo” de Washington Quaquá. “Não sei de onde esse deputado pode vir novamente, mas também confesso que estou muito abalado psicologicamente. Agora, voltando para casa, eu não sei”, disse. 

“Só peço uma coisa aos brasileiros e às pessoas de bem, que independente daquilo que você defende, o comportamento desse indivíduo, que não posso chamar de parlamentar, não pode ser copiado desse Congresso para as ruas do Brasil”, declarou.

Messias Donato foi abraçado por colegas da Casa Baixa durante o discurso. Parte dos presentes no plenário também o aplaudiram. 

Entre os deputados que consolaram Donato estiveram:

Adriana Ventura (Novo-SP); Silvia Waiãpi (PL-AP); Marcos Pollon (PL-MS); Luciano Zucco (Republicanos-RS); Bibo Nunes (PL-RS); André Fernandes (PL-CE); e  Gilberto Silva (PL-PB). ENTENDA O CASO O deputado Washington Quaquá deu um tapa no rosto do também deputado Messias Donato no plenário do Congresso Nacional. A discussão se deu durante a promulgação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da reforma tributária. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, estavam presentes.

Em vídeo que circula nas redes sociais, é possível ver o início da discussão após deputados da oposição puxarem gritos de “Lula, ladrão, seu lugar é na prisão” pouco antes da fala do presidente. Nesse momento, Washington Quaquá se aproxima do grupo com o celular na mão e diz que vai apresentar uma ação no Conselho de Ética contra as manifestações.

Messias Donato pede então para que Quaquá se afaste do grupo. O petista reage dando um tapa no rosto do congressista do Republicanos.

Assista ao momento (1min39s): 

Ao Poder360, o Washington Quaquá afirmou que que estava tentando gravar o momento em que os “bolsonaristas” estavam xingando Lula, quando teria sido chamado de “ladrão” pelo congressista Nikolas Ferreira (PL-MG).

Em resposta, Quaquá teria chamado Nikolas de “viadinho”. Nessa hora, Messias Donato pegou em seu braço. “Ele tenta pegar meu celular e me empurra. Aí ele toma um tapa no meio da cara”, disse o petista.

“Dei 1, dou 2 e dou 3, não tem problema nenhum. Se me agredir, eu agrido eles. Os bolsonaristas estão acostumados a querer dar uma de machão e bater nos outros. Comigo a porrada canta. Então, dei-lhe um tapa na cara e muito bem dado”, declarou.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Lula envia ao Congresso novas regras para motoristas de apps

Proposta estabelece pagamento mínimo por hora trabalhada e contribuição para a Previdência; regras valem...

O BBB e a expulsão de Wanessa

Foto: Reprodução 1 de 1 Wanessa Camargo ...

Os queridos diários do capitão comunista e do general bolsonarista

A agenda pessoal mais famosa de um militar no Brasil até aqui foi a...

Mais para você