InícioEditorialPolítica NacionalEm meio à pressão de big techs e da oposição, Câmara fatia...

Em meio à pressão de big techs e da oposição, Câmara fatia PL das Fake News

Em meio à pressão de big techs e de integrantes da oposição, a Câmara dos Deputados deve votar nesta terça-feira, 9, o requerimento de urgência 1383/2023 para votação de um projeto de lei que regulamenta a remuneração de conteúdo jornalístico e o pagamento de direitos autorais nas plataformas digitais. Sob autoria da deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), o projeto de lei 2370/2019 tem como objetivo “estabelecer regras para a publicação na internet, sem autorização, de obras protegidas por direitos autorais” e garante ao titular dos direitos a possibilidade de notificar o provedor extrajudicialmente, exigindo a remoção do conteúdo indevidamente divulgado ou o pagamento de uma quantia, ainda que a disponibilização tenha sido feita por terceiro. Ao site da Jovem Pan, o deputado federal Jonas Donizette (PSB – SP) afirmou que a expectativa é que o requerimento de urgência, de autoria do deputado Elmar Nascimento (União Brasil), seja aprovado nesta terça. Já o mérito deve ser colocado para votação na próxima semana.

A mobilização para apreciação do texto de Jandira Feghali representa, na prática, o fatiamento do Projeto da Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet (PL 2630/2020), mais conhecido como PL das Fake News. Como a Jovem Pan mostrou, a matéria, que tem como relator o deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP) – colega de Jandira – foi retirada da pauta da Câmara na semana passada a pedido do próprio relator. O parlamentar argumentou que precisaria de mais tempo para analisar as emendas apresentadas e buscar um texto que encontrasse consenso entre os deputados. Na prática, no entanto, a matéria foi retirada por falta de votos para aprovação.

Parlamentares ouvidos pela reportagem confirmaram a construção de um acordo na Câmara dos Deputados para o fatiamento do PL das Fake News. Após pressão das big techs e de membros da oposição, que dominaram as redes sociais com campanhas contra o texto, a saída encontrada pelos parlamentares é, por meio do PL 2370/2019, analisar parcialmente o texto, deixando de fora os itens mais polêmicos e que impedem o consenso, como a obrigatoriedade das plataformas digitais de fazer a moderação dos conteúdos. Por outro lado, deputados também defendem que a discussão sobre regulamentação das redes sociais deve “recomeçar do zero”. O deputado federal Ricardo Salles (PL-SP) afirmou que o deputado federal Mendonça Filho (UNIÃO – PE) faz ajustes no texto de autoria dele para seja rediscutido futuramente. No entanto, neste semestre, o tema não deve prosperar na Casa. “Nós avisamos o relator [Orlando Silva] que esse projeto não terá apoio da oposição. Não adianta emendar, tem que arquivar e começar outro do zero”, afirmou. O site da Jovem Pan procurou o deputado Orlando Silva, relator do PL das Fake News, mas não teve retorno até a publicação desta matéria.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Discordo profundamente de Lula, diz Blinken após fala sobre Holocausto

Secretário de Estado norte-americano diz que apesar das discordâncias, EUA e Brasil precisam agir...

Zilu Godoi rebate discurso de Dado Dolabella sobre Wanessa: “Mentira”

Mãe de Wanessa Camargo, Zilu Godoi decidiu se manifestar nesta sexta-feira (22/2), depois de...

Blinken discorda de Lula, mas diz que “amigos podem ter discordâncias”

O secretário de Estado dos Estados Unidos (EUA), Antony Blinken, disse que discorda da...

Flávio Dino toma posse como ministro do Supremo Tribunal Federal

Novo membro assumirá cargo na Corte três meses após ser indicado pelo presidente Luiz...

Mais para você