InícioEditorialPolítica NacionalEntidades criticam decisão do BC de manter Selic a 10,5%

Entidades criticam decisão do BC de manter Selic a 10,5%

Copom votou em unanimidade para manter a taxa nesta 4ª feira (19.jun); só a FecomercioSP elogiou a decisão

Havia 7 reuniões que o BC diminuía a Selic. Foram 6 quedas de 0,50 p.p. (ponto percentual) e uma de 0,25 p.p. A taxa básica continua no patamar mais baixo desde dezembro de 2021, quando era de 9,25%; na imagem, prédio do BC Banco Central – 18.jun.2015

PODER360 19.jun.2024 (quarta-feira) – 20h14

Entidades, como CNI (Confederação Nacional da Indústria) e Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), criticaram a decisão do BC (Banco Central) desta 4ª feira (19.jun.2024) de manter a Selic em 10,50% ao ano.

Com isso, terminou o ciclo de cortes da taxa básica de juros iniciado em agosto de 2023. Só a FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de São Paulo) considerou importante pausar as reduções.

O Copom (Comitê de Política Monetária) também foi contra aos pedidos de diminuição do patamar feitos pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e por seus aliados. A manutenção se deu por unanimidade dos diretores da autoridade monetária, incluindo os 4 indicados pelo petista.

Leia abaixo as manifestações:

CNI – escreveu que a decisão “só irá impor restrições adicionais à atividade econômica –com reflexos negativos sobre o emprego e a renda–, sem que o quadro inflacionário exija tamanho sacrifício”; Sebrae – Décio Lima, presidente da entidade, defendeu que “ao manter em 10,5% ao ano o patamar da taxa básico de juros (Selic), o Banco Central não apenas quebra uma sequência de sete reduções consecutivas, mas coloca um freio, artificialmente e sem nenhuma razão, no desenvolvimento econômico e social do país”; Firjan (Federação das Indústrias do Rio Janeiro) ­– disse que “a manutenção da taxa de juros em 10,5% prejudica a recuperação da economia, limitando a expansão dos investimentos”; FecomercioSP – disse que “caso a instituição decidisse cortar mais a Selic, poderia causar um aumento imediato das expectativas de inflação no longo prazo, e o empresariado já sentiria, no presente, um aumento das taxas de juros nos financiamentos de longo prazo”; CUT (Central Única dos Trabalhadores) – a vice-presidenta da CUT, Juvandia Moreira, afirmou que “o Brasil segue com a inflação sob controle e, portanto, as justificativas do Copom são falhas e prejudicam diretamente uma das obrigações do BC, que é colaborar com aumento do nível de empregos no país”. Havia 7 reuniões que o BC diminuía a Selic. Foram 6 quedas de 0,50 p.p. (ponto percentual) e uma de 0,25 p.p. A taxa básica continua no patamar mais baixo desde dezembro de 2021, quando era de 9,25%.

A Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Influencia diretamente as alíquotas que serão cobradas de empréstimos, financiamentos e investimentos. No mercado financeiro, impacta o rendimento de aplicações.

Leia abaixo a evolução do indicador:

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

“Tudo bem corintiano bater em mulher, Lula?”, diz Ciro Nogueira

Senador afirma ser “inaceitável” fala do presidente “perdoando” violência doméstica praticada por torcedores do...

Sem furar bolha da esquerda, Boulos anuncia 8º partido em coligação

São Paulo – Polarizando com o prefeito Ricardo Nunes (MDB) nestas eleições, o deputado...

Erik Cardoso busca medalha olímpica após quebrar recorde de 35 anos

Principal velocista do Brasil na atualidade, Erik Cardoso é uma das grandes promessas...

Presidente do Conselho da Vale reafirma “lisura” na escolha de novo CEO

Daniel Stieler disse que o cronograma está sendo seguido “rigorosamente”, mas ainda não há...

Mais para você