InícioEditorialPolítica NacionalEquador decreta estado de exceção em todo o país

Equador decreta estado de exceção em todo o país

Nação vive uma crise na segurança; no domingo (7.jan.2024), um dos criminosos mais perigosos do país fugiu da prisão

Presidente do Equador, Daniel Noboa (foto) diz que seu governo “não negociará com terroristas” e “não descansará até devolver a paz” aos equatorianos WikimediaCommons

PODER360 9.jan.2024 (terça-feira) – 3h40

O presidente do Equador, Daniel Noboa, decretou na 2ª feira (8.jan.2024) estado de exceção em todo o país. A medida foi tomada em meio a uma crise na segurança, causada pelo fortalecimento de facções criminosas e do narcotráfico no país. Eis a íntegra do decreto, em espanhol (PDF – 3 MB).

No domingo (7.jan), o Ministério Público do Equador anunciou que José Adolfo Macías Villamar, conhecido como Fito, não foi encontrado na prisão onde deveria estar. Ele um dos líderes do grupo Los Choneros e é considerado um dos criminosos mais perigosos do Equador.

No Instagram, Noboa disse que sua gestão “não negociará com terroristas” e “não descansará até devolver a paz” aos equatorianos.

“O que estamos vendo nas prisões do país é resultado da nossa decisão de enfrentar [os criminosos]”, declarou, acrescentando que o governo está tomando medidas para “recuperar o controle dos centros de privação de liberdade, que se perdeu ao longo dos últimos anos”.

O estado de exceção vale por 60 dias e permite que as Forças Armadas auxiliem o trabalho da polícia nas ruas do país. Durante a vigência da medida, haverá toque de recolher das 23h às 5h e restrições ao direito:

de reunião; a privacidade de domicílio e de correspondência: não é preciso uma ordem judicial para que as autoridades entrem nas casas das pessoas. Noboa tomou posse em novembro do ano passado, para um “mandato tampão” de 1 ano e meio. O pleito que o elegeu deveria ter sido realizado em 2025, mas foi antecipado depois que o então presidente do Equador, Guillermo Lasso, usou a cláusula constitucional conhecida como “morte cruzada” para dissolver a Assembleia Nacional, em maio, depois de passar por um processo de impeachment. Lasso não disputou as eleições.

Sua plataforma política tem como foco principal a reforma do sistema prisional e judicial do Equador. Ele defende a formação de policiais em técnicas de resolução pacífica de conflitos e o desenvolvimento de programas de reabilitação para presos a fim de reduzir as taxas de reincidência.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Lewandowski determina inspeções em penitenciárias federais

Ministério da Justiça diz que câmeras defeituosas devem ser substituídas e o efetivo de...

Pomba ou rola? Chico Pinheiro detona Silas Malafaia. Entenda!

Chico Pinheiro virou assunto nesta quarta-feira (21/2), depois de fazer uma publicação bastante polêmica...

TV Globo toma atitude após atraso no pagamento de figurantes

Depois da coluna Fábia Oliveira noticiar que figurantes da TV Globo estavam reclamando da...

Mais para você