InícioEditorialNotíciasFernanda King alerta: Baixa adesão à educação infantil compromete desenvolvimento e alfabetização...

Fernanda King alerta: Baixa adesão à educação infantil compromete desenvolvimento e alfabetização das crianças no Brasil

É chegado um momento crucial para muitas crianças nessa época do ano – a mudança da educação infantil para o Ensino Fundamental. Algumas escolas infantis realizam até festas de formatura para celebrar essa transição. Mas será que estamos preparando corretamente esses alunos para a alfabetização? E num país como o nosso, onde os índices de analfabetismo e de evasão escolar são alarmantes, quais seriam os motivos?

O Brasil tem 2,5 milhões de crianças de até 3 anos de idade fora das creches, segundo levantamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV). De acordo com o estudo, apenas 30% das crianças dessa faixa etária estão matriculadas na educação infantil. A meta do Plano Nacional de Educação (PNE), do Ministério da Educação, é de que até o próximo ano 50% delas estejam frequentando escolas.

Fernanda King, CEO da escola infantil Petit Kids Cultural Center e da King Educacional, empresa que atua no ramo de palestras na área da educação, afirma que restringir o acesso das crianças pequenas a uma educação de qualidade é um retrocesso social e traz consequências que não podem ser revertidas. Segundo ela, a alfabetização deve começar desde cedo para garantir o pleno desenvolvimento infantil. “Muitos pais deixam a educação infantil de lado na primeira infância e ela é fundamental para criar toda a base de conhecimento. É preciso levar em consideração o desenvolvimento da criança e não apenas a conveniência ou vontade dos pais”, afirma.

Fernanda defende que o incentivo à leitura começa junto com a fala. “Com 1 ano a criança precisa conhecer livros, ouvir as histórias desses livros, ver figuras para que tenha vontade de aprender a ler”, comenta. A educadora explica que a educação antes dos 3 anos não é somente um recurso para as mães que trabalham, mas sim uma necessidade das crianças. “Não dá para querer que criança simplesmente entre na escola aos 6 anos e aprenda a ler e escrever. Há todo um processo de desenvolvimento da educação antes disso”, alega.

Para a pedagoga Fernanda King, que é especialista em desenvolvimento infantil e renomada palestrante nessa área, muitas coisas precisam ser revistas. A educadora reconhece que ainda há tabus sobre bebês frequentarem escolas, mas defende que a educação nessa fase é fundamental para o desenvolvimento integral da criança, o avanço na formação escolar nos anos seguintes e a profissionalização. Estudos mostram que a evolução do cérebro humano acontece muito rapidamente nos três primeiros anos de vida, com 1 milhão de novas conexões entre neurônios por segundo, e que 90% das conexões cerebrais são estabelecidas até os 6 anos. Portanto, esse é o período em que o cérebro mais precisa de estímulos. “A educação nessa fase é transformadora”, garante Fernanda, que é referência em educação infantil.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Holocausto “não pode ser comparado a nada”, diz chanceler alemã

Annalena Baerbock está no Brasil para o encontro de ministros do G20 e foi...

Grupo que matou jovem fez outra vítima com “mesmo modus operandi”

Os envolvidos na morte do vendedor Matheus Silva Cruz (foto em destaque), 23 anos,...

Rio de Janeiro decreta epidemia de dengue

O Estado do Rio de Janeiro decretou nesta quarta-feira, 21, epidemia de dengue em...

Tudo acordado com o Executivo sobre emendas foi sancionado, diz Haddad

“Isso foi reconhecido pelo próprio Arthur Lira”, afirma o ministro da Fazenda em relação...

Mais para você