InícioEditorialPolítica NacionalGravação foi estopim para suspeita de ‘rachadinha’ contra Janones

Gravação foi estopim para suspeita de ‘rachadinha’ contra Janones

Foto: Gilmar Félix/Câmara dos Deputados

O deputado federal André Janones (Avante-MG) 29 de novembro de 2023 | 18:09

Uma gravação em áudio de 49 minutos foi o estopim que envolve o nome do deputado federal André Janones (Avante-MG) na suspeita de promover um esquema de “rachadinha” em seu gabinete na Câmara.

A gravação é de uma reunião que ocorreu no Congresso em 2019, possivelmente em fevereiro, mês em que os parlamentares da legislatura 2019-2022 tomaram posse.

Janones integrou a linha de frente da campanha de Lula (PT) nas redes sociais em 2022.

O áudio —revelado pelo site Metrópoles e também obtido pelo jornal Folha de S.Paulo— mostra que o deputado reuniu seus então assessores com quatro objetivos que vão se desenrolando ao longo dos 49 minutos.

O primeiro era consultar os assessores que residiam em Ituiutaba (MG) sobre a disponibilidade de morarem ou irem semanalmente a Brasília, com o intuito de reforçar sua equipe na capital federal.

“Você tem deputados que são deputados em Brasília e deputados que são deputados só na base deles”, disse Janones na ocasião, frisando aos assessores que o seu propósito era ser um parlamentar de atuação nacional.

O segundo objetivo da reunião fica claro pouco mais de 15 minutos após o início da conversa, quando Janones diz que precisa falar uma coisa “extremamente delicada”.

É quando ele diz que alguns dos assessores vão receber um salário maior e que parte desse valor será usada para a recomposição do patrimônio particular que o deputado afirma ter perdido na malfadada campanha a prefeito de Ituiutaba, em 2016.

“Não é [corrupção], porque o ‘devolver salário’ você manda na minha conta e eu faço o que quiser. São simplesmente algumas pessoas que eu confio e que participaram comigo em 2016 [nas eleições municipais, em que ele saiu derrotado], e que eu acho que elas entendem que realmente o meu patrimônio foi todo dilapidado. Eu perdi uma casa de R$ 380 mil, um carro, uma poupança de R$ 200 mil e uma previdência de R$ 70 mil. Eu acho justo que essas pessoas também hoje participem comigo dessa reconstrução disso”, afirma o parlamentar em trecho da gravação.

Janones, que reconhece a autenticidade do áudio, nega ter cometido qualquer ilegalidade. Ele afirma entender que esses assessores que devolveriam parte do salário também assumiram o compromisso de quitar dívidas da campanha de 2016. Além disso, afirma também que a proposta não foi efetivada. Ele nega ter recebido qualquer valor de salário de assessores.

Dois ex-auxiliares de gabinete do parlamentar, porém, dizem que o esquema de “rachadinha” foi implantado no gabinete.

O terceiro objetivo da reunião era estimular os assessores a participar de uma vaquinha que poderia reunir até R$ 200 mil para bancar a eleição de alguns deles na disputa municipal de 2020.

“[o ano de] 2020 tá aí eu pensei de a gente fazer uma vaquinha entre nós. Aí nós vamos decidir se vai ser R$ 50, R$ 100, R$ 200, se cada um dá proporcional ao salário. Isso a gente decide entre nós e a gente começa a vaquinha já no primeiro mês de salário para a gente poder disputar as eleições de 2020 com o básico pelo menos”, diz o parlamentar na reunião.

Cada deputado federal tem direito a contratar até 25 assessores, cujos salários são bancados pelos cofres públicos. A verba para isso é de R$ 118 mil ao mês, por gabinete.

Janones também manifesta ao longo da reunião um discurso de que não vai se corromper, que não tem apego ao mandato e que pode renunciar sem maiores traumas. Isso é dito, principalmente, para frisar a sia afirmação de que não manteria funcionários fantasmas, ou seja, assessores recebendo salário sem trabalhar.

Ele também estimula os auxiliares a atuar em benefício do próximo. “Eu tô aqui para servir o país, para fazer o melhor de mim e quem não tiver com esse espírito não não vai ter a mínima condição de ficar”.

Ranier Bragon/Folhapress

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Barroso defende reforma tributária e regulamentação das plataformas digitais

Em Oxford, durante o Brazil UK Forum, o presidente do STF disse que há...

Alvo de Aras, jornalista tenta tirar vice do ex-PGR de ação no STF

O jornalista André Barrocal, alvo de uma ação movida pelo ex-procurador-geral da República Augusto...

STF retoma julgamento sobre atendimento de pessoas trans no SUS

Ação protocolada pelo PT defende que grupo tenha acesso assegurado aos serviços públicos de...

Silvio de Almeida é aplaudido em culto evangélico ao falar de aborto

São Paulo — O ministro de Direitos Humanos, Silvio Almeida, participou, na noite dessa...

Mais para você