InícioNotíciasPolíticaGrupos no Telegram apoiam ataques terroristas: “Aqui é o Brasil conservador”

Grupos no Telegram apoiam ataques terroristas: “Aqui é o Brasil conservador”

Em grupos públicos do Telegram, terroristas divulgam imagens e vídeos exaltando os ataques contra a democracia deste domingo (8/1) que levaram à depredação das sedes dos Três Poderes: Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Supremo Tribunal Federal (STF).

Grupos identificados como “Sparta News” (3.148 membros), “Intervenção Pátria Amada” (1.822 membros), “A queda da Babilônia” (35.319 membros); “Dr. Marcelo Frazão” (21.999 membros)  e “Nós somos o Brasil” (2.425 membros) são apenas alguns deles e já reúnem mais de 60 mil pessoas em ambientes que apoiam os atos golpistas ou divulgam versões fantasiosas sobre eles, como terem sido feito por supostos infiltrados de esquerda.

Os membros dos grupos usam termos como “tomamos de assalto”, “aqui é o Brasil conservador”, além de referências chulas contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes.

Uma das figuras exaltadas por um dos grupos é a extremista Ana Priscila Azevedo. Ela administra o grupo “A queda da Babilônia” e também é apontada como uma suposta funcionária do banco Bradesco. A informação ainda não foi confirmada pela instituição.

“Chora pelegada, chora. O choro é livre! Aqui é Brasil conservador, porra. Enfiem esse STF no rabo. Estamos vomitando essa fraude na cara de vocês! Estamos loucos para ver a justiça militar da União entrar em ação fuder com vocês até os dentes”, diz uma publicação do grupo “A queda da Babilônia” sobre a destruição dos órgãos públicos.

O Metrópoles entrou em contato com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) sobre o possível envolvimento de funcionários de outras instituições financeiras em atos golpistas e qual seria o procedimento interno que deveria ser adotado pelos bancos como demissões e denúncias. Ainda não houve uma resposta.

O site também tentou a assessoria de imprensa do Telegram para questionar grupos extremistas nas plataformas e se há algum monitoramento dessas células terroristas, mas o assessoria não foi encontrada.

De acordo com a Polícia Federal (PF) já foram realizadas cerca de 1.200 prisões relacionadas ao ato terrorista.

Imagens de grupos com apoio ao terrorismoWhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.48 (1)

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.47 (7)

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.47 (6)

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.47 (5)

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.46 (6)

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.47 (4)

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.47 (3)

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.46 (5)

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.46 (4)

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.46 (3)

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.48

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.47 (2)

WhatsApp Image 2023-01-09 at 11.16.42

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.47 (1)

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.47

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.46 (2)

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.46 (1)

WhatsApp Image 2023-01-09 at 10.20.46

DR. Marcelo Frazão

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Líder da União Europeia critica Milei por falas sobre o governo espanhol

Javier Milei chamou a mulher do presidente espanhol Pedro Sáchez de “corrupta”, durante evento...

Equipes de resgate encontram helicóptero do presidente iraniano

Agência de Notícias da República Islâmica (Irna)/Reprodução 1 de 1 imagem colorida mostra...

Enchentes no RS afetam 2,3 milhões de moradores e causam 157 mortes

As enchentes no Rio Grande do Sul elevaram neste domingo (19) o número de...

Bahia mobiliza especialistas para auxiliar no enfrentamento das enchentes no Rio Grande do Sul

Em resposta à crise hidrológica que afeta o Rio Grande do Sul, o Estado...

Mais para você