InícioEditorialInvestigador agride advogado no interior de São Paulo; OAB pede afastamento do...

Investigador agride advogado no interior de São Paulo; OAB pede afastamento do policial

Um advogado foi agredido por um investigador da Polícia Civil na tarde da quarta-feira, 5, em Batatais, no interior de São Paulo. De acordo com informações do Boletim de Ocorrência (B.O), obtidos pelo site da Jovem Pan, Lucas de Lima Roberto recusou a entrada das autoridades no imóvel de um suspeito de furto, alegando que não havia um mandado de busca e apreensão para os agentes entrarem na casa de sue cliente, localizada no bairro de Antônio Romagnolli. Os agentes foram ao local porque tinham informações de que havia produtos furtados e roubados na residência. O suspeito pelas agressões é o investigador Leonardo Toffeti, segundo o registro da Polícia Civil. A reportagem da Jovem Pan teve acesso ao vídeo que mostra o momento da agressão. O advogado levou uma cabeçada e caiu no meio da rua. Na sequência, o investigador desfere chutes e tapas na vítima, que estava caída. Em outro vídeo, o policial empurra o advogado contra uma parede. Uma mulher que grava as agressões pede para o policial deixar o celular com o advogado. Depois, o agente é contido pelos colegas. O caso será investigado pela Corregedoria da Polícia Civil.

A Ordem de Advogados do Brasil (OAB), subseção Batatais, se manifestou sobre o ocorrido. Em nota, a entidade repudiou o episódio e afirmou que a “humilhação verbal e física atingiu a esfera moral e ética de toda a classe advocatícia”. Na sequência, a OAB se solidarizou com a vítima e diz esperar que situações semelhantes voltem a acontecer, “principalmente contra colegas de profissão”. A entidade afirmou que seguirá acompanhando as investigações. “A construção de uma sociedade igualitária, livre de qualquer forma de discriminação e violência, é uma tarefa de todos e sempre será objetivo norteador desta Subseção”, diz a nota. A OAB-SP disse, nesta quinta-feira, 6, que solicitou o afastamento imediato do policial e sua demissão da corporação, “após rigoroso processo administrativo” e irá propor a concessão de desagravo de ofício. A reportagem também consultou a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP), que informou que o caso é investigado pela 3º Corregedoria Auxiliar de Ribeirão Preto, que faz as diligências para “esclarecer as circunstâncias relativas aos fatos”. A pasta informou que os detalhes serão preservados para garantir a autonomia do trabalho policial.

 

 

 

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Lula disse que não quer confusão na Petrobras, diz Magda Chambriard, em cerimônia de posse

“A missão dada pelo presidente foi a de movimentar a Petrobras, porque ela impulsiona...

Autor do PL do Aborto diz não abrir mão do texto, mas admite ajustes

Durante entrevista para jornalistas nesta quarta-feira (19), o deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), que é...

CCJ do Senado aprova liberação de cassino, bingo, jogo do bicho e corrida de cavalos

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (19) o...

Mais para você