InícioEntretenimentoCelebridadeJornalista revela demissão após denunciar assédio de diretor da Record

Jornalista revela demissão após denunciar assédio de diretor da Record

Rhiza Castro, ex-apresentadora da Record News, gravou um vídeo onde revelou ter sido assediada por um diretor da emissora. A jornalista contou que, dois dias após fazer a denúncia no RH, acabou desligada da empresa. Segundo ela, o profissional é casado e a esposa dele também trabalha na casa.

Devido a situação, Rhiza contou que decidiu acionar a Justiça e moveu dois processos, sendo um trabalhista contra a Record e um criminal contra o diretor.

“Hoje venho usar as redes sociais para falar de um assunto muito triste pra mim. A minha saída da empresa em que trabalhei como apresentadora em vários jornais em rede nacional. Eu sofri assédio sexual e retaliação por não ceder, no período de quase um ano. Quando eu já não tinha mais saúde para suportar o terror que estava vivendo, decidi denunciar o caso ao RH. Resultado: fui demitida dois dias depois da denúncia”, contou ela.

Rhiza Castro 3

Rhiza Castro Reprodução

Rhiza Castro 1

Rhiza Castro Reprodução

Rhiza Castro 2

Rhiza Castro Reprodução

Rhiza Castro – ABRE

Jornalista revela demissão após denunciar assédio de diretor da Record Reprodução

Rhiza Castro 4

Rhiza Castro Reprodução

E completou: “Com isso, estou movendo um processo trabalhista contra a empresa e criminal contra esse monstro que me assediou, na maior cara de pau, sem nem se sentir inibido com a esposa trabalhando no mesmo local. Não aceitem isso! Não ao assédio”, escreveu.

A coluna soube que Rhiza ganhou em partes o processo trabalhista, mas ainda cabe recurso. Já no caso da ação criminal, o diretor fez um acordo de transação penal, no qual o acusado aceita cumprir pena antecipada de multa ou restrição de direitos e o processo é arquivado. Os processos estão em segredo de Justiça.

Procurado pela coluna, o advogado Thiago Anastácio, que representa a jornalista, disse que: “A Justiça do Trabalho afirmou, por sentença, que Rizha sofreu assédio sexual. A Justiça criminal, por questões de política criminal, tem legislação que permite a suspensão do processo caso o acusado pague para não ser processado. E ele pagou. Fica a lição, por mais que a defesa do acusado tenha afirmado que os graves fatos que caracterizaram o assédio fossem brincadeiras aceitáveis no ambiente de trabalho, eles não são aceitáveis! Que a empresa e a sociedade em geral entendam que o que antes era uma brincadeira de homens toscos, velhacos, agora é ilícito grave”.

Já a Record, não se pronunciou sobre o caso envolvendo a jornalista.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Deniziane se manifesta após encontro com Matteus e Isabelle

Deniziane quebrou o silêncio e decidiu se manifestar sobre a relação de Matteus...

Deputada federal denuncia câmeras escondidas em ap alugado em Brasília

A deputada federal Dayany Bittencourt (União Brasil-CE) identificou câmeras de segurança escondidas no apartamento...

Câmara Municipal de SP aprova projeto que acelera privatização da Sabesp

Foram 36 votos favoráveis à adesão da capital à privatização da Sabesp e 18...

Lula e Petro destacam compromisso com democracia em encontro na Colômbia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participou nesta quarta-feira (17) de um...

Mais para você