InícioEditorialMais do que velocidade, 5G promete oportunidades

Mais do que velocidade, 5G promete oportunidades

Para o usuário comum de tecnologia, o acesso a uma rede com tecnologia 5G garante mais velocidade e estabilidade na transmissão de dados. Em resumo, a transmissão ao vivo chega mais rápido, o vídeo tem melhor resolução e as respostas aos comandos são praticamente instantâneas. Mas para desenvolvedores de soluções e aplicações a quinta geração de conectividade abre um imenso leque de oportunidades. Muitas ainda sequer foram imaginadas. Ao seu modo, cada uma das quatro gerações anteriores de conectividade modificou o modo de vida das pessoas e trouxe perguntas a serem respondidas com inovação e incremento de produtos. Com o 1G, descobriu-se que o telefone não precisava de fio para funcionar. Na segunda geração, surge o SMS; em seguida, a internet nos celulares. Agora, com o 4G, a internet funciona mesmo em deslocamento, dando sustentação para o surgimento de aplicativos de entrega ou transporte, entre outros, com acompanhamento em tempo real. Mas o que vem a seguir, à medida em que a rede 5G já se tornou uma realidade nas capitais do país e avança em direção às grandes e médias cidades do interior? A verdade é que, por mais projeções que se faça, as mais profundas transformações só serão conhecidas quando acontecerem, acredita Luiz Fernando Taboada, gerente de Negócios do Senai Cimatec. “O 5G deve conectar todas as coisas. A tendência é de um número muito maior de dispositivos. Temos a possibilidade de ter dezenas de dispositivos por pessoas e tudo vai ser conectado à rede através do 5G, que permite uma densidade muito maior de componentes”, explica. “A gente mapeia algumas soluções que o 5G vai viabilizar, porém dizem que existem até 5 vezes mais aplicações que ainda não conseguimos nem imaginar. Ninguém sabia que o 4G iria viabilizar o Uber, que hoje é o grande empregador do Brasil”, compara. Diversos exemplos de aplicações da tecnologia foram apresentados até a última segunda-feira através da Carreta do 5G, em parceria com a Huawey. Uma boa comparação entre o 4G e o 5G é a de uma estrada que tinha uma faixa em cada sentido e que, em seguida, passa a ter dez. “É uma rede que consegue gerenciar muitas coisas ao mesmo tempo, dar conta de diversas requisições simultâneas. O tempo de latência (resposta) diminui muito”, analisa Taboada. “Isso dá a possibilidade de conectar desde um smartphone a sensores inteligentes que já existem e que vão começar a surgir”, diz. “Como usuários, vamos demorar mais para notar a diferença. Quando o 4G chegou, vimos mais questão da videochamada. Para o usuário padrão o que vai ficar mais aparente é uma conexão mais rápida e estável”, acredita. A grande revolução deve acontecer no ambiente de negócios, ressalta Taboada. “As aplicações que demandem respostas rápidas serão impulsionadas. Vai ser possível movimentar um braço robótico ou um carro remotamente”, projeta. Além disso, os equipamentos eletrônicos usados para conexão, como celulares, tablets e computadores devem se tornar cada vez mais leves. “A tendência é que diminuamos a necessidade de processamento dentro dos equipamentos porque grande parte poderá ser processada na nuvem”, diz. No Cimatec, Taboada acredita que a tecnologia deverá ser cada vez mais incorporada aos projetos de Internet das Coisas (Iot, na sigla em inglês). “A gente tem muitos projetos na área de Iot e sempre tivemos uma discussão muito forte sobre a tecnologia que iria conectar, até agora não tinha uma convergência clara”, explica. Ele visualiza o uso através de redes de sensores e dispositivos dinâmicos. “A gente já desenvolveu um projeto para mineração, onde conseguimos monitorar por câmeras uma área da mina e o 5G nos permitiu tomar decisões muito rápidas”, conta. Outra possibilidade de uso, acrescenta, está na formação de redes privadas, com o uso do 5G. “Este é um nicho muito interessante em distritos industriais ou outras áreas em que empresas estejam muito próximas”, diz. Além da flexibilidade de permitir o acesso em locais que normalmente não são cobertas. redes privadas oferecem a possibilidade de um aprimoramento na segurança. Entre as aplicações mais prováveis, ele cita o uso em grandes hospitais, indústrias e no campo. “Carros autônomos, cirurgias remotas, realidade virtual e multiverso, que já são realidade hoje, vão se popularizar”, projeta. Ferramenta O analista do Sebrae Bahia, Tauan Souza, explica que o 5G é uma ferramenta e não uma tecnologia fim, que se esgota si mesmo. “É um meio para que outras tecnologias possam ser concretizadas. Tem velocidade maior e um nível de latência menor, portanto a velocidade e a qualidade de transmissão de dados é muito maior”, diz. Para ele, o impacto nos negócios vai ser muito maior naqueles voltados para a tecnologia digital. “Um produtor de entretenimento digital, por exemplo, terá liberdade para produzir vídeos com mais qualidade e duração maior. As qualidades 4K e 8K, que hoje dependem do wifi para transmissão, serão acessíveis com os dados móveis”, acredita. Tauan Souza destaca ainda o impacto na indústria de games, uma área em que o Brasil se destaca em relação a outros países. “Os jogos serão muito mais acessíveis porque estarão em nuvens, o que vai permitir que aparelhos mais simples e leves sejam usados para a transmissão”, aponta. E o fenômeno que deverá acontecer com os games tende a se repetir no mercado como um todo, projeta. Tauan explica que a tendência é que os equipamentos eletrônicos passem a ser produzido com menos capacidade de processamento, o que teoricamente justificaria um barateamento deles. “Muita coisa de processamento que hoje é feita dentro dos aparelhos passará a acontecer na nuvem”, explica. Segundo ele, o Sebrae tem investido bastante numa aproximação com produtores de games. “Este é um mercado que movimenta alguns bilhões de dólares. O Brasil é o terceiro mercado mundial, só perde para EUA e China”, ressalta. Segundo ele, o 5G abre uma janela de oportunidades para um setor que depende muito de criatividade, em que a Bahia tem tudo para se destacar. “A conectividade de quinta geração cria muitas oportunidades, tanto por tornar os jogos mais acessíveis, quanto por permitir novas experiências de jogos multiplayers”, acredita. Infraestrutura preparada As atividades de petróleo e gás, mineração, o setor financeiro, a agricultura, o mercado automotivo e o comércio devem ser profundamente impactados pela tecnologia, enumera Diego Aguiar, diretor de operações da Telefônica Tech IoTCo. “Olhando para o futuro, a IA (inteligência artificial) será fundamental em um mundo hiperconectado e no qual a internet das coisas será realidade com o 5G”, avalia. “A IA vai orquestrar o enorme volume de informações que estarão armazenadas na nuvem e que poderão ser acessadas pelo usuário a partir de diferentes telas, em diferentes locais, por meio de um login único, biométrico”, completa. Segundo ele, a operadora de telecomunicações trabalha para facilitar que as coisas conectadas possam se transformar em um hub de inovação em tempo real para os clientes. “Contribuindo com essa estratégia, temos uma equipe dedicada, composta por cientistas de dados, desenvolvedores e especialistas em tecnologia, que agrega desde soluções diversas para nossos clientes à execução de projetos e consultoria em dados, machine learning e inteligência artificial”, explica. Para Diego Aguiar, o papel das telecons é o de garantir que a estrutura esteja pronta quando as soluções forem criadas. Bruno Talento, diretor comercial da Tim Nordeste, destaca a amplitude da rede de cobertura da operadora, que já atende com o 5G 35% da população urbana do país e já chegou a 100% dos bairros de Salvador. “Por se tratar de uma tecnologia que veio para revolucionar sobretudo a indústria, gerando inúmeras possibilidades, a companhia planeja investir R$13,3 bilhões neste triênio (2023/25), com prioridade para o 5G, ampliando ainda mais a sua rede, gerando mais oportunidades em diversas regiões do país”, destaca. “Acreditamos que o 5G vai ser essencial para o avanço da chamada Indústria 4.0 e aplicações de IoT com eficiência, segurança, flexibilidade e sustentabilidade. Essa tecnologia de quinta geração tem proporcionado uma série de benefícios e soluções para a indústria, sendo a mais relevante a habilitação do IoT de forma massiva, de altíssima velocidade e soluções de baixa latência”, diz. O Agenda Bahia 2023 é uma realização do CORREIO, com patrocínio da Unipar, apoio institucional do Sebrae, apoio da Wilson Sons, Salvador Bahia Airport e 4events e parceria da Braskem e Rede+. Como será o impacto do 5G Gás e petróleo · A baixa latência gerada pela rede 5G é fundamental à automatização de setores de missão crítica, como a petrolífera, mineração, siderurgia, saúde. Temos uma parceria com a Petrobras na gestão de redes privativas LTE, para levar conexão móvel sem fio às áreas operacionais nos ambientes offshore, em unidades localizadas nas Bacias de Santos e Campos; e onshore, no atendimento em refinarias, armazéns logísticos, usinas termelétricas, unidades de tratamentos de gás e centro de pesquisa, na região sudeste. · São dezenas de unidades da petroleira atendidas, viabilizando a massificação de dispositivos baseados em Internet das Coisas, transformando dados em inteligência, com melhorias diretas no aumento de eficiência, na redução de custos e no ganho em produtividade. · A parceria alavanca diversas iniciativas de transformação digital da Petrobras, pavimentando o caminho à migração ao 5G. O formato desenhado à Petrobras atende aos requisitos das aplicações críticas que demandam segurança, mobilidade nas linhas de produção, espectro livre de interferências e priorização de tráfego, conectando um alto volume de dispositivos IoT em um ecossistema aberto e amplamente disponível. · A solução da Vivo oferece confiabilidade e robustez para uma ampla gama de aplicações, além de segurança e a possibilidade de convergir diferentes tipos de tráfego numa mesma rede, como dados, voz, vídeo etc. Mineração · O setor de mineração tende a ser um dos setores mais beneficiados com uma operação baseada na rede 5G e redes privativas, tornando as minas mais produtivas e seguras e com maior margem de lucro a partir de uma gestão mais eficiente e digital. · A Vivo e Vale foram as primeiras empresas no Brasil a operar uma rede privativa LTE em ambiente de mineração, de modo que essa experiencia pavimenta o caminho para o 5G. O projeto tem foco em otimizar o uso de equipamentos autônomos que exigem cobertura em áreas amplas e tráfego de um volume expressivo de dados. · O projeto impulsionou o programa de veículos autônomos da Vale, aumentando a segurança e tornando a operação ainda mais digital. Os autônomos trazem também ganhos de eficiência operacional e sustentabilidade ao aumentar sua vida útil e reduzir o consumo de combustível e os gastos com manutenção. Financeiro · O 5G, com a baixa latência e alta largura de banda, permitirá que as instituições financeiras tradicionais se tornem altamente interativas e utilizem informações processadas praticamente em tempo real para oferecer uma melhor experiência aos seus clientes. · Clientes no setor financeiro já começam a tornar suas operações em pontos de atendimento ainda mais ágeis e robustas, utilizando uma infraestrutura tecnológica mais eficiente, em especial com menos cabos; como exemplo, podemos citar as soluções de 5G usando roteadores FWA. · Conectamos a primeira agência bancária com redes 5G, em parceria com o Itaú Unibanco e já estamos caminhando para a ativação de 100 agências, possibilitando que cada operação tenha uma arquitetura de rede móvel mais limpa e eficiente. · Com o 5G, os bancos podem oferecer serviços online mais rápidos tornando os serviços bancários mais convenientes e confiáveis. Uma rede de quinta geração permitirá que os bancos forneçam serviços mais personalizado e melhor segurança para os dados financeiros dos clientes, pois as redes 5G permitem protocolos de criptografia mais avançados. · Mas essa evolução só será possível com o desenvolvimento de um ecossistema baseado em: computação em nuvem, computação de borda, visão computacional, realidade virtual, machine learning e muitas outras novas tecnologias que estão sendo alavancadas pelo 5G. Agricultura · Nosso objetivo é levar inovação e aumento de produtividade ao agronegócio, com serviços que de fato ajudam a resolver os desafios de automatização e eficiência no campo. Fazemos isso através de uma estratégia de orquestração de ecossistema digital que, além de conectividade – agora com 5G – entrega aos nossos clientes um leque de soluções completas com dispositivos, aplicações, dados e serviços profissionais, tudo isso dedicado ao campo. São soluções digitais, muitas delas baseadas em Internet das Coisas, que extraem o máximo de valor desta conectividade, sempre com foco no aumento de eficiência e ganho de produtividade. Queremos evoluir nossa proposta de orquestrador deste poderoso ecossistema de soluções, reunindo conhecimento técnico, experiência e aportando inovação aos projetos, graças ao vínculo que temos com o universo de startups e parceiros. Automotivo · A baixíssima latência e o alto volume de transmissão de dados oferecidos pelo 5G será a chave ao setor automotivo para a viabilização dos carros autônomos, talvez um dos exemplos mais explorados e abordados pela sociedade quando pensamos em aplicações do 5G. · Atuamos hoje com importantes empresas do setor, como Mercedes-Benz, Hyundai, entre outros para tornar seus veículos conectados, a partir da instalação de e-SIM IoT desde a fábrica. · A conectividade embarcada possibilita ampliar a habilidade de condução de veículos, com dados de falha transmitidos praticamente em tempo real, permitindo um ciclo ágil de melhoria contínua. Este tipo de tecnologia é referência e essencial para que o setor automotivo avance com seus projetos de veículos conectados, antes que a chegada dos carros autônomos aconteça. Comércio · O comércio será um grande beneficiado pela chegada do 5G, sobretudo pela busca do consumidor por personalização e conveniência. Soluções de realidade aumentada, live commerce, reconhecimento facial, recomendação em tempo real de produtos e serviços com base em Big Data Analytics e Inteligência Artificial serão habilitadas pela tecnologia 5G e otimizam a jornada de compra e a experiência do cliente, promovendo fidelização e maior consumo. · Nos últimos anos, o comércio iniciou um grande processo de transformação. É um dos segmentos que mais tangibilizam a digitalização em seu dia a dia, em busca de eficiência operacional em conjunto com a melhor experiência para o seu cliente. Seja no ambiente físico ou virtual. Esta integração entre os dois mundos, ou seja, o “Phygital”, amplia o momento de interação e as possibilidades de conversões em vendas. · Outra tendência é a integração com a rede logística para entregas em curto prazo, originando um novo conceito, no qual a loja física torna-se um showroom para a efetivação de vendas em ambiente online. Fonte: Vivo

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Insegurança alimentar atinge 27,6% dos domicílios brasileiros e 64 milhões de pessoas

Segundo o módulo Segurança Alimentar da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua,...

Saúde feminina: a conexão essencial entre o cuidado físico e mental

A influência do cuidado integral na saúde da mulher revela dados importantes para prevenir...

Jornalistas são barrados de fórum em Londres com ministros do STF

Jornalistas foram impedidos de permanecer no andar do hotel de luxo em que os...

Mais para você