InícioEditorialPolítica NacionalMilei cancela ida à reunião com Mercosul, mas nega relação com Lula

Milei cancela ida à reunião com Mercosul, mas nega relação com Lula

Na 4ª feira (28.jun), presidente da Argentina chamou o petista de “corrupto”; o libertário virá ao Brasil para evento conservador

Milei já acusou Lula de ser “corrupto” e “comunista” ao descartar encontro com presidente brasileiro Sérgio Lima/Poder360 e divulgação/Debate Electoral

PODER360 1.jul.2024 (segunda-feira) – 21h36

O porta-voz da Casa Rosada, Manuel Ardoni, confirmou nesta 2ª feira (1º.jul.2024) que o presidente da Argentina, Javier Milei (La Libertad Avanza, de direita), não irá para a Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul, que será realizada em 8 de julho, no Paraguai.

Segundo o porta-voz da Casa Rosada, a ausência de Milei na cúpula do Mercosul não está relacionada aos recentes atritos com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), mas, sim, à “agenda cheia” do líder. O libertário será substituído pela ministra das Relações Exteriores da Argentina, Diana Mondino. 

O anúncio se dá depois de o libertário direcionar ofensas ao petista, chamando-o de “corrupto” durante entrevista ao La Nación, na 4ª feira (28.jun). O presidente brasileiro também fez duras críticas a Milei em mais de uma ocasião (leia abaixo).

Na fala a jornalistas desta 2ª feira (1.jul), Ardoni também confirmou que Milei virá ao Brasil para participar da CPAC (Conferência de Ação Política Conservadora). O evento será realizado em Balneário Camboriú (SC), em 6 e em 7 de julho.

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) também irá discursar na convenção e, segundo o seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), irá se encontrar com Milei. 

Apesar de vir ao Brasil, a Casa Rosada não confirmou que o presidente argentino realizará um encontro junto ao presidente Lula. 

Adorni afirmou que o argentino nunca se ausentaria por causa de “distâncias ideológicas”, mesmo que, no caso de Lula, essas distâncias sejam “astronômicas”.

Troca de ofensas A troca de ofensas entre Lula e Milei marcou o período da campanha eleitoral argentina e os primeiros dias depois do resultado. De 7 de setembro a 21 de novembro (2 dias depois da eleição), os 2 falaram negativamente sobre o outro em ao menos 7 (Milei) e 5 (Lula) ocasiões distintas. Entrevistas, cerimônias oficiais e debates presidenciais foram palco para acusações.

À revista The Economist, o argentino disse, em setembro de 2023, que o presidente brasileiro “não é só um socialista”, mas “alguém com uma vocação totalitária”. Ao jornalista peruano Jaime Bayly, declarou que não faria negócios “com nenhum comunista” e chamou o petista de “grande corrupto”.

Lula, por sua vez, em 15 de março, comparou Milei ao Bolsonaro ao dizer que os 2 agem “contra o sistema” político. Em novembro de 2023, declarou que não era obrigado a gostar do presidente de nenhum país, citando a Argentina como exemplo.

Lula também não foi à posse de Milei, em dezembro de 2023. Enviou o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, para representar o país durante a cerimônia. Já o Bolsonaro foi diretamente convidado pelo presidente argentino e teve lugar de destaque no evento.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Aéreas do Brasil precisam comprar aviões da Embraer, diz Mercadante

Presidente do BNDES afirma que socorro do governo para as companhias aéreas deve ser...

Após polêmica, mãe de Davi faz reflexão e afirma: “É a lei do retorno”

Após as polêmicas envolvendo Davi Brito, a mãe do ex-BBB surgiu nas redes sociais...

Lula ataca privatização e propõe festa a Santos Dumont na Torre Eiffel

São Paulo – Durante agenda na Empresa Brasileira de Aviação (Embraer), nesta sexta-feira (19/7),...

Paraná Pesquisas: Nunes tem 26,9% contra 24,7% de Boulos na corrida pela Prefeitura de São Paulo

O Instituto Paraná Pesquisas divulgou nesta sexta-feira (21) um novo levantamento sobre as eleições...

Mais para você