InícioEditorialPolítica NacionalMoraes defende medidas rigorosas contra manipulação eleitoral com inteligência artificial

Moraes defende medidas rigorosas contra manipulação eleitoral com inteligência artificial

Regulamentação e responsabilização das empresas são essenciais para garantir lisura nas eleições

Reprodução/YouTube/Justiça Eleitoral

Alexandre de Moraes participou de um seminário, nesta terça-feira, 12, em Brasília

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, defendeu a adoção de medidas rigorosas para punir aqueles que utilizam inteligência artificial com o intuito de manipular eleições. Durante seu discurso, ele ressaltou a importância de regulamentar essa ferramenta por meio do Congresso Eleitoral. Além disso, Moraes destacou que o Brasil é líder no uso de aplicativos de mensagens para disseminar conteúdos manipuladores. Diante disso, o ministro sugeriu a aplicação de multas e até mesmo a cassação do registro e mandato para os infratores. Com o objetivo de enfrentar esse desafio, o TSE já criou um grupo de trabalho responsável por regulamentar a questão. A proposta é estabelecer diretrizes claras e efetivas para coibir o uso indevido da inteligência artificial durante os processos eleitorais. Moraes também abordou a responsabilidade das grandes empresas de tecnologia, conhecidas como “big techs”, no uso dessa tecnologia. Segundo ele, essas empresas devem ser responsabilizadas caso estejam monetizando e utilizando algoritmos para direcionar conteúdos. “Até você comprovar que isso não é verdade, milhares, senão milhões, vão ter acesso a isso. E depois nem todas as pessoas terão acesso ao desmentido e, mesmo se tiverem, nem todas vão acreditar. É absolutamente necessário que o Congresso regulamente já para as eleições municipais a utilização da inteligência artificial para as eleições”, disse o ministro, durante o seminário “Diálogo entre os Poderes”, promovido pelo IEJA (Instituto de Estudos Jurídicos Aplicados), em Brasília. O ministro comparou as “big techs” a depósitos, afirmando que, se estão lucrando com essa prática, também são corresponsáveis pelos danos causados. Nesse sentido, Moraes ressaltou a importância de estabelecer mecanismos de responsabilização para garantir a integridade dos processos eleitorais e a transparência na divulgação de informações. A regulamentação da inteligência artificial e a responsabilização das empresas são medidas essenciais para combater a disseminação de conteúdos manipuladores e garantir a lisura das eleições no Brasil.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Em ato, Malafaia pede renúncia de comandantes das Forças Armadas

Pastor afirma que os comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica devem deixar os cargos...

Gigolô não! Nego Di conta que está sendo processado por Davi Brito

Davi Brito decidiu processar Nego Di depois de ser xingado pelo humorista, que palpitou...

Mãe sai em defesa de Davi em polêmica com Mani: “É íntegro”

Na noite desse sábado, a mãe de Davi, Rosângela Brito, saiu em defesa do...

Mais para você