InícioEditorialPolítica NacionalPolítica fiscal é um desastre e o marco é uma piada, diz...

Política fiscal é um desastre e o marco é uma piada, diz Caiado

Governador de Goiás critica o novo marco fiscal e o governo por “querer ganhar na arrecadação em cima da inflação”

O governador (foto) criticou a mudança no arcabouço fiscal, que teve seu objetivo alterado para 2024 Ciete Silverio/Esfera – 22.abr.2024

PODER360 22.abr.2024 (segunda-feira) – 20h07

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), disse nesta 2ª feira (22.abr.2024) que a política fiscal do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é um “desastre”. Segundo ele, a mudança na meta de superavit primário em 2025 é “uma piada”.

“Se você quer ver um desastre, acompanhe o que está acontecendo no âmbito fiscal. É o maior deficit que nós já vimos na história do país”, disse durante o “Seminário Brasil Hoje”, realizado pelo grupo Esfera Brasil, em São Paulo.

Caiado também criticou o marco fiscal. “Todo mundo viu que é uma piada. Já foi revogado no 1º ano, autorizado a gastar o quanto quiser. Sair do teto [de gastos] e ir para o arcabouço [fiscal] é uma perda”.

Assista (1min38s):

Na 2ª feira (15.abr), a equipe econômica do presidente Lula apresentou o PLDO (Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias) ao Congresso. O governo decidiu alterar o objetivo fiscal para 2025: saiu de um superavit primário de 0,5% do PIB (Produto Interno Bruto) para um deficit zero –a mesma meta de 2024.

Na prática, o adiamento do ajuste fiscal tem implicações no ritmo de cortes da taxa básica de juros, a Selic. O Copom (Comitê de Política Monetária) indicou que reduzirá o ritmo de corte do juro base em junho, e uma flexibilização do marco fiscal pode frear ainda mais a diminuição da taxa.

A mudança na meta se dá pouco mais de 7 meses depois da aprovação e sanção do marco fiscal.

Para o governador de Goiás, a pressão do governo federal sobre a política monetária para reduzir a Selic é uma estratégia para obter um resultado “falso positivo” na arrecadação. Segundo ele, “o governo quer ganhar na arrecadação em cima da inflação”.

Caiado ainda citou o presidente do BC (Banco Central), Roberto Campos Neto, dizendo que ele está “apanhando” por querer manter a inflação dentro dos parâmetros.

O chefe da autoridade monetária já se manifestou sobre o feito da equipe econômica e afirmou que a mudança não é ideal. Para ele, a alteração faz com que a âncora fiscal fique “menos transparente” e aumente “o custo da política monetária”.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Durante tensão diplomática, Milei diz que viajará à Espanha

Presidente da Argentina pretende ir ao país europeu em 21 de junho para receber...

Vídeo: após TSE rejeitar cassação, Moro diz que julgamento foi técnico

VINÍCIUS SCHMIDT/METRÓPOLES 1 de 1 Imagem colorida do Senador Sérgio Moro (União-PR) deixa gabinete...

Na presidência do G20, Brasil quer menos burocracia nos fundos verdes

A desburocratização do acesso aos quatro principais fundos internacionais voltados para o financiamento de...

Companhias aéreas anunciam voos em Canoas como alternativa a Porto Alegre

As companhias aéreas Azul e Latam anunciaram a oferta de voos com origem ou...

Mais para você