InícioEditorialPolítica NacionalRelação entre Brasil e EUA não mudará se Trump vencer, diz chanceler

Relação entre Brasil e EUA não mudará se Trump vencer, diz chanceler

Mauro Vieira diz que Milei demonstrou interesse em manter boas relações com o Brasil e que espera eleições livres na Venezuela

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira Sérgio Lima/Poder360 – 23.fev.2021

PODER360 26.dez.2023 (terça-feira) – 8h33

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, afirmou que a relação do Brasil com os Estados Unidos não mudaria no caso de uma eventual vitória do republicano Donald Trump nas eleições presidenciais de 2024. O chanceler disse que os países vão comemorar o bicentenário do estabelecimento de relações diplomáticas no ano que vem com diferentes eventos. 

“A relação com os Estados Unidos é importantíssima e prioritária. Ano que vem vamos celebrar 200 anos de relações bilaterais, vamos ter uma série de iniciativas para celebrar essa marca”, disse Vieira em entrevista publicada pelo portal Metrópoles nesta 3ª feira (26.dez.2023).

“Temos um comércio importante, Estados Unidos tem o maior estoque de investimentos no Brasil, é uma relação muito importante. Ganhará quem o povo americano escolher, nós vamos continuar a dialogar com o novo governo ou o governo reeleito do presidente Biden, porque os interesses entre os dois países são muito grandes, são importantes e vai se continuar conversando”, afirmou o ministro.

Em relação ao novo presidente da Argentina, Javier Milei, Vieira disse que, durante seus encontros, o libertário informou a ele que o governo argentino tem interesse em manter em “mais alto nível” a relação com o Brasil. Vieira representou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na posse de Milei, em 10 de dezembro.

“Estive duas vezes com ele [Milei]. Logo depois que ele voltou do Congresso para a Casa Rosada, ele me recebeu, antes de qualquer outro visitante estrangeiro ou chefe de Estado. Tivemos uma conversa rápida, mas muito cordial, em que ele disse também que a relação da Argentina com o Brasil é muito importante, fundamental, e que ele quer manter essa relação no mais alto nível, com todo o entendimento e transparência dos 2 lados.”

Vieira também comentou as tensões envolvendo a região de Essequibo, na Guiana, que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pretende anexar. O ministro disse esperar que as eleições na Venezuela sejam realizadas de forma livre, conforme acordado em outubro em compromisso mediado pelo Brasil, EUA, México, Colômbia, Rússia e Países Baixos.

O venezuelanos vão às urnas para escolher presidente no 2º semestre do ano que vem. Próximo de Lula, Nicolás Maduro está no poder desde 2013. Em maio deste ano, Lula o recebeu no Palácio do Planalto com honras de chefe de Estado.

“Houve um grande acordo entre o governo e a oposição, que foi assinado em Barbados há 2 ou 2 meses. O presidente Lula designou o embaixador Celso Amorim para representá-lo nessa assinatura, que é um passo importante para as eleições. Tudo está caminhando bem. É importante dizer que, entre as iniciativas de política externa desse ano, mandamos um embaixador, reabrimos a Embaixada na Venezuela e vamos agora reabrir os consulados”, declarou Vieira.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Após seca histórica, indústria do AM acende alerta para clima em 2024

Meses após a seca histórica no Rio Negro, em Manaus, capital do Amazonas, a...

Governador liga para Lewandowski após ataques com mortes no Ceará

Elmano de Freitas (PT) diz não descartar pedir apoio do governo Lula para reforçar...

Venda agressiva e Gusttavo Lima na propaganda: o que é a Gav Resorts

Com vendedores gravados fazendo promessas “estratosféricas” de investimentos e turistas reclamando de abordagens predatórias,...

2 ministros não reconhecem ligação de Jefferson com 8 de Janeiro

Para Nunes Marques e André Mendonça, ofensas do ex-deputado descritas por Moraes não o...

Mais para você