InícioNotíciasPolicialResgatados de trabalho análogo à escravidão no RS são acolhidos na Bahia

Resgatados de trabalho análogo à escravidão no RS são acolhidos na Bahia

Nesta segunda-feira (27), 194 dos 198 trabalhadores baianos que foram resgatados de condições de trabalho análogas à escravidão em uma fazenda na cidade de Bento Gonçalves, região da Serra, no Rio Grande do Sul, tiveram um reencontro com seus lares. O primeiro ônibus com os trabalhadores a fazer parada na Bahia chegou por volta das 11h em Feira de Santana, com 40 pessoas no total. 10 homens ficaram em Feira de Santana, outros 7 foram para São Sebastião do Passé e os demais seguiram para Salvador.

Pela tarde, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), em parceria com a Defensoria Pública e demais órgãos estaduais, federais e municipais, se articulou para receber outros 54 trabalhadores baianos. O acolhimento inicial aconteceu na Defensoria Pública do Estado da Bahia, no bairro do Canela. Outros três ônibus levaram trabalhadores para Serrinha, Lauro de Freitas e Feira de Santana. 

O secretário da SJDH, Felipe Freitas, esteve presente no momento da chegada e destacou que a iniciativa conjunta tem a perspectiva de atender às necessidades de saúde, física e mental, de retorno das pessoas aos seus municípios de origem com a certeza de segurança, moradia e de recolocação no mercado de trabalho em condições dignas.

“Paralelamente a essas iniciativas, nós vamos reunir a Comissão Estadual pela Erradicação do Trabalho Escravo e vamos discutir com o Ministério Público Federal, Polícia Federal e com o Ministério dos Direitos Humanos sobre o incentivo à conciliação nacional para que possamos desmontar essa rede de aliciadores. E, o mais importante, desenvolver medidas preventivas para que casos como esse não voltem a acontecer”, ressaltou o secretário.

Outros trabalhadores também foram encaminhados para espaços de acolhimento instalados em Lauro de Freitas (5) e nos municípios de Serrinha (52) e Feira de Santana (12). Além disso, fazem pare do grupo de acolhidos mais 73 pessoas de cidades da região do sisal. Todos passaram por triagem para avaliação das necessidades de saúde, condições de moradia e viabilização da reinserção em programas sociais e no mercado de trabalho.

Redução de danos

Também fazem parte da articulação conjunta para a redução dos danos causados aos trabalhadores as secretarias estaduais de Assistência e Desenvolvimento Social (Seades), da Saúde (Sesab) e da Segurança Pública (SSP); além da Defensoria Pública do Estado, Ministério Público, Ministério do Trabalho, Emprego e Renda (MTE); e as secretarias de assistência dos municípios de origem das pessoas resgatadas.

De acordo com a defensora pública do Estado, Cristina Ulm, que coordena o Núcleo de Integração da Defensoria Pública do Estado, os defensores vão atuar na identificação das demandas dos assistidos. “Vamos entender a situação de vulnerabilidade. Seja em ações de saúde, seja nas questões de documentação, que eles podem estar com dificuldade ou terem perdido nessa situação, ter sido extraviada, ou na articulação junto com os órgãos do estado e dos municípios”, explicou.

Resgate

Localizados por meio de uma ação conjunta da Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) na noite de quarta-feira (22), em um alojamento, os trabalhadores apresentavam situações precárias de saúde, alguns com quadro de desnutrição.
 

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Mobilização indígena em Brasília vai pressionar contra o marco temporal

Acampamento Terra Livre deve durar 5 dias e organização espera reunir mais de 6...

Monitor da USP diz que ato de Bolsonaro em Copacabana reuniu 32,7 mil pessoas

Foto: Saulo Angelo/Thenews2/Folhapress Ato de Bolsonaro no Rio de Janeiro 21 de abril de...

Destruição da Amazônia reduz etnia Akuntsu a apenas 3 mulheres

A pressão ao longo de décadas de colonizadores e desmatadores reduziu uma das pouco...

Fiscalização da Lei Seca flagra ‘fadas’ cobrando para ajudar motoristas na blitz

A fiscalização da Lei Seca no Rio de Janeiro flagrou motoristas que cobram dinheiro...

Mais para você