InícioEditorialPolítica NacionalSaiba quem são os 4 mortos da queda de helicóptero em SP

Saiba quem são os 4 mortos da queda de helicóptero em SP

Estavam a bordo o piloto, uma mulher, sua filha e um amigo da família; polícia encontrou os destroços em Paraibuna

Estavam a bordo: Luciana Marley Rodzewics Santos (mãe), Letícia Roderico Sakumoto (filha), Rafael Torres (amigo) e Cassiano Tete Teodoro (piloto) Reprodução/Redes sociais

PODER360 12.jan.2024 (sexta-feira) – 14h41

O acidente com o helicóptero que estava desaparecido em São Paulo desde o Réveillon e foi encontrado na manhã deste 6ª feira (12.jan.2024) em uma região de mata do município de Paraibuna não deixou sobreviventes. A informação foi confirmada pela Polícia Militar, que encontrou os destroços da aeronave por volta das 9h15.

O helicóptero desapareceu depois de decolar da zona norte de São Paulo rumo a Ilhabela, no litoral. Estavam a bordo o piloto, uma mulher, sua filha e um amigo da família.

Leia abaixo quem eram as vítimas:

Luciana Rodzewics, 46 anos: profissional autônoma e vendedora de roupas. Antes do acidente, gravou o momento da decolagem do helicóptero no aeroporto. Ela estava sentada atrás, ao lado da filha –a qual não aparece na filmagem.  Letícia Ayumi Rodzewics Sakumoto, 20 anos: filha de Luciana. Trabalhava na área de estética. Nas redes sociais, seu namorado, Henrique Thiofilo Stellato, postou mensagens com esperanças de encontrá-la com vida. Raphael Torres, 41 anos: amigo da família e empresário do ramo de medicamentos. Ele que fez o convite do passeio. Sua irmã, Herika Torres, disse à CNN que ele era pai de 2 meninos e que a ideia era fazer um programa breve. Cassiano Tete Teodoro, 44 anos: piloto da aeronave. Teve sua licença e habilitação cassadas pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) por 2 anos antes. Foram 12 dias de buscas pelo helicóptero. Além da Polícia Militar, a FAB (Força Aérea Brasileira) e a Polícia Militar estiveram envolvidas na operação. Em 6 de janeiro, o delegado Paulo Sérgio Pilz, do Departamento de Operações Estratégicas, disse que o celular de uma das ocupantes emitia sinais até 22h14 de 1º de janeiro de 2024. Ou seja, o aparelho não estava na água. 

Após mais de 60 horas de voo por uma área de milhares de quilômetros quadrados que cobriu os municípios de Paraibuna, Natividade da Serra, Redenção da Serra, Serra do mar de Caraguatatuba e São Luiz do Paraitinga, o Comando de Aviação da PM e Polícia Civil se reuniram ontem para traçar um novo plano de buscas.

Com base na triangulação do sinal de antenas de celulares, foi definido uma nova abordagem. Em vez de fazer voos mais rápidos, para cobrir uma área maior, foi acertado que as equipes fariam voos em velocidade e altura menores, em uma área delimitada.

A região foi separada por quadrantes e, na manhã desta sexta, quando os policiais sobrevoaram os primeiros quadrantes, encontraram os destroços na mata.

Veja no mapa abaixo onde fica Paraibuna: 

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Instabilidade na CBF não prejudica sediar Copa feminina, diz Ednaldo

Presidente da entidade retornou ao cargo por decisão liminar de Gilmar Mendes. O Brasil...

Conheça a importância dos ACE no combate à dengue em Teixeira de Freitas

Essenciais para a redução de incidência da dengue e demais doenças transmitidas pelo mosquito...

Vanessa Lopes recebe carinho das amigas após quadro psicótico agudo

Vanessa Lopes apareceu em fotografias no Instagram da mãe, Lica Lopes, nesta quarta-feira (21/2)....

Gisele Bündchen já elogiou Joaquim Valente em entrevista; saiba quem é

Os burburinhos sobre a vida amorosa de Gisele Bündchen ganharam um novo capítulo. De...

Mais para você