InícioEditorial‘Têm de responder legalmente’, diz ministro da Educação sobre ato obsceno de...

‘Têm de responder legalmente’, diz ministro da Educação sobre ato obsceno de estudantes

Em evento em São Paulo nesta terça-feira, 19, o ministro da Educação, Camilo Santana, classificou como “repugnante” o caso dos estudantes de medicina da Universidade Santo Amaro (Unisa) que foram filmados se masturbando em meio ao público durante um jogo de vôlei feminino. O ministro defendeu que, além de serem expulsos, eles respondam legalmente pelo episódio. Camilo disse que recebeu um telefonema do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que está nos Estados Unidos, para falar sobre o tema. O MEC notificou a universidade e deu prazo de 15 dias para que a instituição de ensino se manifeste sobre medidas tomadas. O episódio ocorreu em abril de 2023, mas só repercutiu em redes sociais nesta segunda-feira, 19. À noite, a Unisa anunciou que expulsou os alunos.

“É um episódio repugnante. É inaceitável esse comportamento de um jovem, principalmente dentro de uma universidade, que se pretende ser um médico, cuidar das pessoas. Não só repudiamos, como consideramos um fato inaceitável. Logo que tomei conhecimento determinei que o MEC tomasse todas medidas cabíveis”, disse Camilo Santana a jornalistas durante o 7º Congresso Internacional de Jornalismo de Educação, organizado pela Associação de Jornalistas de Educação (Jeduca), em São Paulo. “Não só é importante a expulsão dos alunos, mas também que possam responder legalmente aos fatos ocorridos. Não podemos imaginar um jovem com esse tipo de atitude, principalmente um jovem que pretende ser médico.”

A Polícia Civil de São Paulo investiga o caso, que deve ser tipificado como ato obsceno. O crime é punido com detenção de três meses a um ano, ou multa. O Ministério das Mulheres também repudiou o episódio. “Romper séculos de uma cultura misógina é uma tarefa constante que exige um olhar atento para todos os tipos de violências de gênero. Atitudes como a dos alunos de Medicina da Unisa jamais podem ser normalizadas – elas devem ser combatidas com o rigor da lei”, afirma publicação da pasta no X/Twitter.

* Com informações do Estadão Conteúdo

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Mulher é presa por atacar jovem com soda cáustica por ciúme

A Polícia Militar do Paraná prendeu a suspeita de atacar a jovem Isabelly Aparecida...

Magda é a 12ª chefe da Petrobras desde o 1º mandato de Lula

Em média, comandantes da maior estatal do Brasil têm se segurado no cargo por...

As duas prefeituras de capital que o PT espera vencer em outubro

O PT espera vencer em duas capitais este ano, o que representaria um crescimento...

Inspetor da Civil pesquisou nome do pai de Marielle Franco, um mês antes de crime

Um relatório da Polícia Federal divulgado nesta sexta-feira (24) revelou novas informações sobre as...

Mais para você