InícioEditorialPolítica NacionalVeja 5 momentos em que Lula cedeu ao centrão em troca de...

Veja 5 momentos em que Lula cedeu ao centrão em troca de apoio no Congresso

Foto: Ricardo Stuckert/PR

Presidente tem feito negociações a conta-gotas em meio à pressão por pauta econômica 28 de outubro de 2023 | 08:02

O presidente Lula (PT) tem buscado ampliar a sua base de apoio no Congresso Nacional, por meio de tratativas com o centrão, que já ocupam cargos do primeiro escalão do governo, além da presidência da Caixa Econômica Federal.

Com um número pouco consistente de parlamentares a favor de projetos do Palácio do Planalto, partidos como o PP de Arthur Lira (AL) e o Republicanos fazem pressão em torno da pauta econômica de Fernando Haddad (PT) e pedem cargos, além da liberação de emendas parlamentares.

De outro, Lula adota uma estratégia de negociações arrastadas e a conta-gotas. Esse formato de conversas com as siglas tem diminuído o ritmo das votações e gerado momentos tensos para o petista, que arriscou ter a própria organização da Esplanada dos Ministérios rejeitada em maio.

Veja, em cinco momentos diferentes, como esses episódios em busca de cargos e emendas, por parte de partidos de centro e de direita no Congresso, estão vinculados a votações de interesse do Palácio do Planalto.

AS NEGOCIAÇÕES LULA-CENTRÃO EM 5 PONTOS

1 – MP da Esplanada

Quando? Fim de maio

O que estava em jogo? Toda a estrutura ministerial criada por Lula assim que assumiu o mandato, como desmembramento e criação de pastas, além do remanejamento de órgãos entre os ministérios

O que foi negociado? Promessa de acelerar repasse de emendas e início do debate sobre mudanças nos ministérios. União Brasil indica Celso Sabino para Ministério do Turismo

Qual foi o resultado? Lula precisou ceder a recriação da Funasa (Fundação Nacional de Saúde), alvo de cobiça pelo centrão, e viu o Ministério do Meio Ambiente, de Marina Silva (Rede), ser esvaziado; a restruturação foi aprovada por 337 a 125, nas últimas horas antes de a medida provisória caducar

2 – Voto de qualidade do Carf

Quando? Julho

O que estava em jogo? Mudança de regras do tribunal administrativo que julga disputas entre a União e contribuintes sobre impostos —se houvesse empate no julgamento, a ação seria julgada favorável ao governo; proposta é um dos planos de Haddad para aumentar arrecadação

O que foi negociado? Mais de R$ 7,5 bilhões são liberados em emendas na semana. É aberto diálogo da reforma ministerial para entrada do PP e Republicanos no governo

Qual foi o resultado? A Câmara dos Deputados aprovou a proposta, que no mês de agosto foi também avalizada pelo Senado

3 – Reforma Tributária

Quando? Julho

O que estava em jogo? Discutida desde a elaboração da Constituição de 1988, a alteração nos tributos brasileiros prevê um imposto unificado, simplificação na arrecadação e progressividade nas taxas, o que beneficia quem ganha menos

O que foi negociado? Emendas extras, controladas por Lira, entre R$ 3,5 milhões a R$ 7 milhões para cada deputado

Qual foi o resultado? A Câmara aprovou a PEC por 382 a 118 e agora a proposta tramita no Senado; o presidente da Casa se colocou como um fiador do texto e pediu o afastamento da polarização para temas como este

4 – Novo arcabouço fiscal

Quando? Agosto

O que estava em jogo? O projeto findava o teto de gastos, aprovado na gestão de Michel Temer (MDB), além de mudar como o governo pode gastar; viabiliza o aumento de investimentos quando o PIB cresce, e trava despesas quando os resultados da economia são negativos

O que foi negociado? Consolida a nomeação de André Fufuca (PP) e Silvio Costa Filho (Republicanos) para as pastas de Esporte e de Portos e Aeroportos, respectivamente

Qual foi o resultado? Após alterações tanto pela Câmara quanto pelo Senado, o arcabouço foi aprovado pelo Congresso

5 – Projeto de taxação de offshore e de super-ricos

Quando? Outubro

O que estava em jogo? Proposta buscava fechar brechas legais e tributar os chamados fundos exclusivos, usados por super-ricos, e das offshores (empresas sediadas fora do país); estes fundos só pagavam taxas na retirada, sem cobrança semestral

O que foi negociado? Entrega da presidência da Caixa para o centrão, com a demissão de Rita Serrano e a escolha das vice-presidências do banco por Lira

Qual foi o resultado? O projeto foi aprovado pela Câmara por 323 a 119, e agora vai ao Senado

Folha de S. Paulo

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Sarney reúne do governo à oposição para comemorar 94 anos

Ex-presidente recebeu convidados em sua casa para festa de aniversário em Brasília e mostrou...

Cartões de confirmação do CNU, com locais de prova, saem nesta quinta

O governo federal disponibiliza, a partir das 10h desta quinta-feira (25/4), o cartão de...

Apostas em corte de 0,25 ponto percentual da Selic batem novo recorde

As apostas dos investidores num corte de 0,25 ponto percentual da taxa básica de...

Mais para você