InícioEditorialPolítica NacionalZanin se diz impedido de julgar recurso de Bolsonaro contra multa

Zanin se diz impedido de julgar recurso de Bolsonaro contra multa

Ex-presidente recorre de punição por impulsionamento ilegal de publicações; na época, ministro entrou com pedido como advogado de Lula

O ministro do STF Cristiano Zanin, ex-advogado de Lula Sérgio Lima/Poder360 – 30.ago.2023

PODER360 15.abr.2024 (segunda-feira) – 13h34

O ministro Cristiano Zanin, do STF (Supremo Tribunal Federal), se disse impedido de analisar o recurso do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) contra uma multa de R$ 70.000 do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). A penalização é resultado de uma ação movida pelo próprio magistrado, à época advogado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O caso envolve uma multa aprovada pela Corte Eleitoral em 2022 depois de Bolsonaro patrocinar um vídeo com ataques ao petista durante a campanha presidencial. Segundo a decisão do TSE, a medida foi ilegal porque o financiamento de publicações só é permitido em casos de divulgação de um candidato, não de críticas a opositores.

Em 21 de março, o ministro Flávio Dino, relator da pauta, rejeitou o recurso apresentado pela defesa do ex-presidente. Disse que não cabe ao STF reavaliar provas julgadas pelo TSE. Agora, os demais ministros decidem, em plenário virtual, se estão de acordo ou não com a decisão de Dino.

No caso de Zanin, a legislação brasileira proíbe um juiz de analisar e julgar processos em que tenha atuado como advogado. Como ele foi o responsável por apresentar o pedido de multa durante a campanha eleitoral de Lula, está impedido de se manifestar na Suprema Corte sobre o recurso.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

CFM diz que vai enviar ao STF estudos científicos contra decisão de Moraes sobre aborto

A norma, que proíbe a prática em fetos com mais de 22 semanas, foi...

Ex-TV Globo revela ter sido vítima de abuso sexual na infância

Helga Nemetik decidiu quebrar o silêncio e expor ter sido abusada sexualmente durante a...

STF proíbe questionamentos sobre vida sexual de mulheres vítimas de violência

O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu, por unanimidade, proibir questionamentos sobre o histórico sexual...

Mais para você