InícioEditorialPolítica NacionalZema não recebeu nem buscou Bolsonaro para negociar dívida, diz Haddad

Zema não recebeu nem buscou Bolsonaro para negociar dívida, diz Haddad

Ministro afirmou que o texto do projeto que renegocia débitos dos Estados com a União será entregue em 60 dias

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, depois de ter reunião com os governadores do Sul e Sudeste Hamilton Ferrari/Poder360 – 26.mar.2024

PODER360 27.mar.2024 (quarta-feira) – 13h25

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, alfinetou o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), e afirmou que o mineiro não procurou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) para discutir as dívidas do Estado. A declaração foi dada nesta 4ª feira (27.mar.2024) em entrevista à rádio Itatiaia. 

Segundo Haddad, Zema não foi recebido e nem procurou o governo anterior para debater os mais de R$ 170 bilhões de inadimplência do Estado com a União. O ministro ainda defendeu a proposta que prevê a renegociação de dívidas dos governos estaduais em troca de investimentos em ensino médio técnico ou ativos de empresas dos Estados. 

“Essa é uma troca justa, que dá sustentabilidade para os Estados endividados, coisa que não foi feita no período anterior. Você veja que o governador Zema jamais foi recebido pelo governo anterior para discutir essa questão da dívida, também não procurou. Não houve nenhuma negociação em torno da dívida de Minas”, afirmou. 

Haddad também cutucou Zema após o governador mineiro pedir para que a União desconte os juros das dívidas a partir de 2018, quando foram implantadas escolas de ensino médio técnico em Minas Gerais. Na visão do ministro, não é hora de culpar um ou outro e é preciso união para encontrar soluções para os Estados. 

“Eu pediria, encarecidamente, para que o governador se debruçasse sobre esses números [da educação em Minas Gerais]. Precisamos dar as mãos, não é a hora de ficar empurrando um para o colo do outro o problema”, declarou o ministro. 

O texto prevê a redução dos juros das dívidas caso os Estados invistam em escolas de ensino médio com qualificação técnica. Além disso, os governos podem abater as inadimplências com a entrega de ativos de empresas estaduais. 

A proposta deve ser consolidada nas próximas semanas e deve ser entregue ao Congresso Nacional em até 60 dias. O texto é capitaneado pelo Ministério da Fazenda após cobranças dos governadores do Sul e Sudeste e tem o aval do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Segmento de alimentação abre oportunidades às empresas no Ceará

Saúde, bem-estar e inovação também impulsionam empreendedores no Estado, segundo o Sebrae No Ceará,...

Sete anos após Joesley delatar, Lula vai à JBS e critica a “mentira”

Lula visitou nessa sexta-feira uma indústria de processamento de carne da JBS, elogiou os...

O candidato de Lula a presidente da Câmara não será o de Arthur Lira

A fala original de Ulysses Guimarães, presidente do MDB, da Câmara dos Deputados e...

Atletas olímpicos “convocam” a população para votar nas Eleições 2024

No ano em que o mundo voltará os olhos para os Jogos Olímpicos de...

Mais para você