Moto Facil

Valmir volta a defender Dilma durante inauguração da última estação do metrô de Salvador

O deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) voltou a defender o governo da presidente Dilma Rousseff e criticou as estratégias políticas dos partidos de oposição. Durante inauguração da última estação do projeto original da Linha 1 do metrô de Salvador, nesta terça-feira (22), o parlamentar petista disse que as ações são para desestabilizar a economia do país e que fazem parte do que chamou de “estratégia baixa da oposição para tentar derrubar o governo”. De acordo com Assunção, a crise econômica vem da instabilidade política gerada por partidos que não aceitam a derrota nas urnas em outubro de 2014.

O deputado federal Valmir Assunção e a presidente Dilma Rousseff - FOTO Divulgação

“Estamos há um ano em terceiro turno e isso desestabiliza qualquer governo. Mas focamos nas políticas sociais e a prova disso é que entregamos milhares de casas do programa Minha Casa, Minha Vida, beneficiando, só nesta entrega cerca de 3,5 mil famílias de Camaçari, Simões Filho e Juazeiro. Além do metrô, que o governador Rui Costa tirou do papel e chega agora a finalizar a primeira fase do projeto original com 12 quilômetros de extensão e oito estações. O sistema metroviário mudou a mobilidade urbana em Salvador”, pontua Valmir. Ainda houve a entrega de residências próprias no Paraná, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e no Distrito Federal.

Conforme o governador Rui Costa, as obras de mobilidade em Salvador deram uma nova configuração ao sistema de transporte público. “O povo da Bahia pode dizer com muito orgulho que a nossa capital passa a ter a melhor mobilidade urbana do país”. Sobre os imóveis do programa federal, a presidente Dilma salienta que a “casa própria é um sonho de todo mundo”. Dados do governo baiano apontam o estado como o que mais contratou pelo programa Minha Casa, Minha Vida, com 294 mil unidades contratadas e 164 mil já entregues. “Já começamos a fase três. Vamos lançar oficialmente no mês que vem”, destaca a presidente.

Por | Ascom

Comentários no Facebook