InícioNotíciasPolíticaAnielle assume Igualdade Racial para “restaurar conquistas ameaçadas”

Anielle assume Igualdade Racial para “restaurar conquistas ameaçadas”

A jornalista e ativista pelos direitos humanos Anielle Franco assumiu o comando do Ministério da Igualdade Racial durante cerimônia de posse conjunta com a ministra dos Povos Originários, Sonia Guajajara (PSol), nesta quarta-feira (11/1). O evento aconteceu no Palácio do Planalto e contou com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Com desafios para ampliar a equidade racial no Brasil, Anielle destaca que a sua gestão focará em reconstruir conquistas que foram ameaçadas durante os últimos anos, no governo de Jair Bolsonaro (PL).

“Não seria possível falar em reconstrução sem que pensemos na nossa memória e naqueles que nos antecederam, na restauração das conquistas que foram ameaçadas pelos retrocessos dos últimos anos e na reparação, sobretudo, daquilo que ainda não conseguimos olhar com a devida atenção e cuidado”, declarou a ministra, em seu discurso de posse.

Com a promessa de transversalidade ministerial, Anielle Franco declarou que contará com o trabalho das ministras Marina Silva, do Meio Ambiente, e Sonia Guajajara, dos Povos Indígenas, no combate ao racismo ambiental e a defesa dos direitos das minorias.

“Esperamos poder contar com vocês nessa tarefa de reconstrução em prol de respeito, cidadania, dignidade e igualdade de oportunidades”, declarou a ministra Anielle Franco.

A ministra ainda detalhou a composição do Ministério da Igualdade Racial. Veja:

Roberta Eugênio, secretaria-executiva do Ministério da Igualdade RacialFlávia Tambor, chefe de gabinete]Márcia Lima, secretária de Políticas de Ações Afirmativas e Combate e Superação do RacismoIêda Leal, secretária de Gestão do Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial – SinapirRonaldo dos Santos, secretário de Políticas para Quilombolas, Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana, Povos de Terreiros e CiganosDesafiosO Brasil possui aproximadamente 212,7 milhões de pessoas que se declaram negras e pardas, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Entretanto, a população negra ocupa apenas 5% dos cargos de gerência ou diretoria no país, de acordo com pesquisa da Vagas.com.

Sônia Guajajara toma posse como ministra dos Povos Indígenas 12

Vinícius Schmidt/Metrópoles

Sônia Guajajara toma posse como ministra dos Povos Indígenas 1

Vinícius Schmidt/Metrópoles

Sônia Guajajara toma posse como ministra dos Povos Indígenas 6

Vinícius Schmidt/Metrópoles

Sônia Guajajara toma posse como ministra dos Povos Indígenas 7

Vinícius Schmidt/Metrópoles

Sônia Guajajara toma posse como ministra dos Povos Indígenas 8

Vinícius Schmidt/Metrópoles

Sônia Guajajara toma posse como ministra dos Povos Indígenas 9

Vinícius Schmidt/Metrópoles

Sônia Guajajara toma posse como ministra dos Povos Indígenas 10

Vinícius Schmidt/Metrópoles

Sônia Guajajara toma posse como ministra dos Povos Indígenas 11

Lula, políticos e ministros comparecem a posse de Sonia Guajajara e Anielle FrancoVinícius Schmidt/Metrópoles

Sônia Guajajara toma posse como ministra dos Povos Indígenas 5

Vinícius Schmidt/Metrópoles

Sônia Guajajara toma posse como ministra dos Povos Indígenas 4

Vinícius Schmidt/Metrópoles

Sônia Guajajara toma posse como ministra dos Povos Indígenas 8

Vinícius Schmidt/Metrópoles

Uma das promessas da ministra Anielle é combater os entraves colocados contra a população negra e construir um país com uma maior equidade racial. Com a garantia de empregos dignos e direitos sociais.

PerfilNatural do Rio de Janeiro, Anielle France é bacharel em Jornalismo e em Inglês pela Universidade Central da Carolina do Norte e bacharel-licenciada em Inglês/Literaturas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Além disso, a ministra possui mestrado em Jornalismo e em Inglês pela Universidade da Florida A&M e em Relações Étnico-Raciais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Anielle é irmã da vereadora Mariellene Franco, assassinada em 2018 no Rio de Janeiro. Em homenagem à irmã, a ministra fundou o Instituto Marielle Franco em busca de ampliar o trabalho da vereadora e a promoção de atividades culturais para crianças e jovens.

Durante a transição de governo, Anielle compôs o grupo técnico de Mulheres e chegou a ser cotada para assumir o Ministério das Mulheres, comandado atualmente por Cida Gonçalves.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Documentos secretos revelam que ditadura expulsou diplomatas gays

Um novo relatório secreto chegou à mesa do ministro José de Magalhães Pinto, em...

Janja brinca com militar, entrega cadela Resistência e a pede de volta

Primeira-dama fez graça durante envio de ração para pets ao Rio Grande do Sul;...

Leo Santana lota Anhangabaú na abertura da Virada Cultural de SP

São Paulo — O começo do show atrasou mais de uma hora e o...

Anac autoriza voos comerciais na Base Aérea de Canoas

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou a operação de voos comerciais na...

Mais para você