InícioEditorialPolítica NacionalBolsonaro perguntou à AGU sobre "ato" contra eleições, diz ex-FAB

Bolsonaro perguntou à AGU sobre “ato” contra eleições, diz ex-FAB

Segundo Baptista Jr., o então Advogado-Geral da União, Bruno Bianco, disse ao ex-presidente que o pleito de 2022 se deu de “forma legal”

Bruno Bianco (foto) foi consultado por Bolsonaro sobre possibilidade de “ato” contra o resultado das eleições Divulgação – 5.ago.2021

PODER360 15.mar.2024 (sexta-feira) – 20h36

O ex-comandante da FAB (Força Aérea Brasileira) Carlos Baptista Jr. disse em depoimento à PF (Polícia Federal) que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) consultou o então advogado-geral da União, Bruno Bianco, sobre a possibilidade de se realizar um “ato” contra o resultado das eleições.

Segundo o tenente-brigadeiro, Bianco disse a Bolsonaro que as eleições de 2022 se deram de “forma legal”. “Não haveria alternativa jurídica para contestar o resultado das eleições”, teria dito Baptista Jr. Eis a íntegra (PDF – 5 MB).

A reunião de Bolsonaro com Bianco teria sido realizada em 1º de novembro de 2023. Também teriam participado do encontro o então ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, e os comandantes das Forças Armadas.

Na ocasião, segundo o depoimento do ex-chefe da FAB, Bolsonaro teria criticado o resultado das eleições de 2022. Segundo Baptista, todos os participantes teriam respondido que “não tinha ocorrido fraude nas eleições”.

Baptista Júnior afirmou à PF que, depois da reunião do então presidente da República com o advogado-geral da União, avaliou que “o ambiente estava controlado” e que o ex-presidente não tentaria reverter o resultado.

OPERAÇÃO TEMPUS VERITATIS A PF deflagrou em 8 de fevereiro de 2024 a operação Tempus Veritatis (do latim, “Tempo da Verdade”) contra o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e seus aliados por uma suposta tentativa de golpe de Estado para tentar mantê-lo na Presidência da República.

Além de Bolsonaro, também foram alvos da operação o presidente do PL (Partido Liberal), Valdemar Costa Neto, ex-ministros do governo Bolsonaro e representantes das Forças Armadas.

Relatório da PF encaminhado ao STF afirma que Bolsonaro recebeu uma suposta minuta pedindo a prisão dos ministros Gilmar Mendes e Alexandre de Moraes, além do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). A minuta teria sido o objeto das reuniões convocadas por Bolsonaro no Palácio da Alvorada com integrantes do seu governo e militares da ativa.

Leia mais sobre:

Leia o decreto de GLO apresentado em reunião com Freire Gomes; – Leia a íntegra do depoimento do ex-comandante da Marinha Almir Garnier; Leia a íntegra do depoimento do ex-comandante da FAB Baptista Júnior à PF; Leia a íntegra do depoimento do general Estevam Theophilo à PF; Leia a íntegra do depoimento do ex-comandante Freire Gomes à PF.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Yanomamis rendem garimpeiros e os entregam à Força Nacional

Indígenas dizem que a ação foi motivada pela contaminação da água por mercúrio depois...

Após recuar sobre Padilha, Lira reclama de Randolfe Rodrigues

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado O líder do...

Davi e Mani Reggo serão interpretados por sósias em documentário

Davi Brito vai ganhar um documentário sobre a sua vida, incluindo momentos vividos no...

Vídeo: Wajngarten denuncia nova tentativa de invasão ao seu prédio

São Paulo – O advogado Fabio Wajngarten, que representa o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL),...

Mais para você