InícioNotíciasPolíticaCPIs fizeram barulho, mas não tiveram resultado concreto em 2023

CPIs fizeram barulho, mas não tiveram resultado concreto em 2023

No primeiro ano da atual legislatura do Congresso Nacional, parlamentares tentaram movimentar as bases com diversos pedidos para a instalação de comissões parlamentares de inquérito (CPI). A mais popular foi a mista que investigou os atos antidemocráticos de 8 de janeiro, quando as sedes dos Três Poderes em Brasília (DF) foram invadidas e depredadas.

As sessões do colegiado foram marcadas pela forte disputa de narrativas entre a base do governo e a oposição, que divergiram sobre a responsabilidade das invasões. O relatório final, produzido pela senadora Eliziane Gama (PSD-MA), foi aprovado em outubro e enviado para a Procuradoria-Geral da República (PGR), que decide sobre prosseguir ou arquivar as investigações.

Nem todas as CPIs, porém, conseguiram concluir os trabalhos no tempo determinado e algumas acabaram antes mesmo de votar os pareceres. Foi o caso da CPI instituída em maio para apurar as ações do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), com presidência do deputado federal Coronel Zucco (PL-RS) e relatoria do ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles (PL-SP).

O relatório final teve teor altamente ideológico, criminalizando movimentos de esquerda e tentando relacionar o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a invasões no campo. Segundo Zucco, através de documentos, relatos de testemunhas e diligências em acampamentos, a CPI do MST descobriu uma “verdadeira indústria de invasões de terra”.

Deputado federal Zucco, presidente da CPI do MST

Deputado federal Zucco, presidente da CPI do MST Hugo Barreto/Metrópoles

Deputados Ricardo Salles e Zucco, da CPI do MST

Deputados Ricardo Salles e Zucco, da CPI do MST Hugo Barreto/Metrópoles

Deputado Ricardo Salles lê seu relatório na CPI do MST

Deputado federal Ricardo Salles, relator do CPI do MST Hugo Barreto/Metrópoles

Deputado federal Ricardo Salles, relator do CPI do MST

Deputado federal Ricardo Salles, relator do CPI do MST Hugo Barreto/Metrópoles

Deputado federal Ricardo Salles, relator da CPi do MST 2

Hugo Barreto/Metrópoles

CPI do MST ouve João Pedro Stedile, líder do MST – Metrópoles 2

Deputado Federal Kim Kataguiri ao lado do deputado bolsonarista Zé Trovão Igo Estrela/Metrópoles

CPI do MST ouve João Pedro Stedile, líder do MST – Metrópoles 1

Igo Estrela/Metrópoles

CPI do MST ouve João Pedro Stedile, líder do MST – Metrópoles5

Igo Estrela/Metrópoles

CPI do MST ouve João Pedro Stedile, líder do MST – Metrópoles6

CPI do MST ouve João Pedro Stédile, um dos líderes do movimento Igo Estrela/Metrópoles

CPI do MST ouve João Pedro Stedile, líder do MST – Metrópoles4

Igo Estrela/Metrópoles

Deputada Federal Gleisi Hoffmann durante CPI do MST – metrópoles

Igo Estrela/Metrópoles

O deputado bolsonarista Éder Mauro (PL-PA) em provocação ao General G Dias, come melancia no plenário CPI MST

Vinícius Schmidt/Metrópoles

O deputado bolsonarista Messias Donato (Republicanos-ES), em provocação ao General G Dias, comem melancia no plenário CPI MST 3

O deputado bolsonarista Messias Donato (Republicanos-ES), em provocação ao General G Dias, comem melancia no plenário CPI MST Vinícius Schmidt/Metrópoles

O deputado bolsonarista Éder Mauro (PL-PA) em provocação ao General G Dias, come melancia no plenário CPI MST

Vinícius Schmidt/Metrópoles

cpi mst g dias ricardo salles

Vinícius Schmidt/Metrópoles

cpi do mst

Vinícius Schmidt/Metrópoles

g dias ricardo salles cpi mst

Vinícius Schmidt/Metrópoles

cpi do mst ouve gonçalves dias

Ricardo Salles, relator da CPI do MST Vinícius Schmidt/Metrópoles

CPI do MST ouve o general Marco Edson Gonçalves Dias, ex-Ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República 14

Vinícius Schmidt/Metrópoles

CPI do MST ouve o general Marco Edson Gonçalves Dias, ex-Ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República 9

Vinícius Schmidt/Metrópoles

CPI do MST ouve o general Marco Edson Gonçalves Dias, ex-Ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República 8

Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do MST Vinícius Schmidt/Metrópoles

Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do MST vota requerimentos, na volta do recesso legislativo da camara dos deputados em brasilia 13

Deputada federal Samia Bomfim (PSOL-SP)

Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do MST vota requerimentos, na volta do recesso legislativo da camara dos deputados em brasilia 5

Deputada federal Caroline de Toni (PL-SC) Vinícius Schmidt/Metrópoles

Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do MST vota requerimentos, na volta do recesso legislativo da camara dos deputados em brasilia 8

Deputado federal Lucas Redecker (PSDB-RS) Vinícius Schmidt/Metrópoles

Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do MST vota requerimentos, na volta do recesso legislativo da camara dos deputados em brasilia 12

Deputado federal Ricardo Salles (PL-SP), relator da CPI do MST

CPI do MST, na Câmara dos Deputados, vota requerimentos de deputados 9

Vinícius Schmidt/Metrópoles

CPI do MST, na Câmara dos Deputados, vota requerimentos de deputados 11

Kim Kataguiri (União Brasil-SP), 1° vice-presidente da CPI, faz uso da palavra Vinícius Schmidt/Metrópoles

CPI do MST, na Câmara dos Deputados, vota requerimentos de deputados 2

Deputado federal Ricardo Salles (PL-SP), relator da CPI do MST Vinícius Schmidt/Metrópoles

“Por trás dessa máquina de terror existe uma organização criminosa que se aproveita do fracasso do nosso modelo de reforma agrária para a prática dos mais variados tipos de crimes: invasão de propriedade, depredação, furto, extorsão, ameaça, lesão corporal, maus-tratos aos animais, trabalho análogo à escravidão, violência contra a mulher, crimes eleitorais e porte ilegal de armas de fogo, entre outros”, atacou.

O deputado solicitou a prorrogação do colegiado, por meio de publicação de um ato do presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), para conseguir realizar a votação do relatório. O pedido, porém, não foi atendido e a última sessão do colegiado foi cancelada.

Já a CPI das Americanas, criada para investigar o rombo contábil de mais de R$ 20 bilhões na varejista, aprovou o relatório final, mas este não pediu nenhum indiciamento, apenas sugeriu medidas para evitar crises semelhantes.

A CPI das apostas esportivas terminou no fim de setembro, também sem consenso para votar o relatório final, após deputados pedirem vista e criticarem o parecer. Com relatoria do deputado Felipe Carreras (PSB-PE), a CPI apurou manipulação no resultado de jogos de futebol ouviu uma série de autoridades policiais, atletas e representantes de casas de apostas esportivas.

A CPI das criptomoedas, por sua vez, conseguiu aprovar o relatório do deputado Ricardo Silva (PSD-SP). O colegiado pediu o indiciamento de 45 pessoas vistas como envolvidas em moedas digitais que prometiam ganhos irreais, como o ex-jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho e os sócios da empresa 123Milhas.

A última CPI finalizada em 2023 foi a chamada CPI das Organizações Não Governamentais, as ONGs. O colegiado também teve alto teor ideológico, sob presidência do senador Plínio Valério (PSDB-AM).

O relator, Marcio Bittar (União-AC), pediu o indiciamento do presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Mauro Oliveira Pires, por corrupção passiva e improbidade administrativa.

A decisão final também fica com a PGR, mas é improvável que as CPIs de 2023, tirando talvez a do 8/1, produzam desdobramentos na Justiça.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Ex-assessor de Bolsonaro diz à PF que não saiu do Brasil

Filipe Martins depôs nesta 5ª (22.fev); é acusado de integrar núcleo jurídico de grupo...

Ex de Nicole Bahls é preso em flagrante durante busca e apreensão

Na última quarta-feira (21/2), o ex-marido da ex-BBB Roberta Brasil e ex-noivo de Nicole...

Seu cheiro pode dar pistas do quão saudável você está

Centenas de compostos químicos saem de nossos corpos para o ar a cada segundo....

Mais para você