InícioNotíciasPolíticaDefesa pede relaxamento da prisão de Mauro Cid

Defesa pede relaxamento da prisão de Mauro Cid

A defesa do tenente-coronel do Exército Mauro Cesar Barbosa Cid, ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), pediu o relaxamento da prisão do oficial ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). A informação foi confirmada ao Metrópoles pela defesa de Cid.

O pedido do advogado de Cezar Roberto Bitencourt acontece após o militar fechar um acordo de delação premiada com a Polícia Federal (PF). O militar está no centro de investigações sobre fraude nos cartões de vacina e desvio de joias entregues ao ex-presidente.

Mauro-Cid-diz-que-permanecerá-em-silêncio-durante-CPI-4

Mauro Cid recebeu visitas de outros investigados na prisão Breno Esaki/Metrópoles

Tenente-coronel do Exército Brasileiro, Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, fica em silêncio durante sessão da CPMI do 8 de Janeiro

Mauro Cid na CPMI Vinícius Schmidt/Metrópoles

presidente Jair Bolsonaro e Mauro Cid descem a rampa do Planalto

Jair Bolsonaro e Mauro Cid Hugo Barreto/Metrópoles

Antes de fechar o acordo com a PF, o ex-ajudante de ordens de Bolsonaro foi ao STF falar sobre o desejo de colaborar com as investigações. O encontro aconteceu no ministro Alexandre Moraes, em Brasília.

Durante o governo Bolsonaro, Mauro Cid era braço direito do ex-presidente e participou de eventos importantes da gestão passada.

Mauro Cid tem colaborado com a Polícia Federal nas investigações sobre a venda ilegal de joias entregues a Bolsonaro por delegações estrageiras e a falsificação de comprovantes de vacina contra a Covid-19.

Além disso, o militar também é suspeito de facilitar o encontro de Jair Bolsonaro com o hacker Walter Delgatti Neto no Ministério da Defesa. A conversa entre os dois seria sobre a possibilidade de fraudar as urnas eletrônicas nas eleições de 2022, que deu a vitória ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Mais para você