InícioNotíciasPolíticaDF é a 2ª unidade da Federação com maior queda na arrecadação...

DF é a 2ª unidade da Federação com maior queda na arrecadação do ICMS

O Distrito Federal é a 2ª unidade da Federação com maior queda na arrecadação referente ao ICMS.

Entre janeiro e agosto de 2023, o DF arrecadou R$ 6,4 bilhões com o imposto. Em contrapartida, no mesmo período de 2022, o imposto tinha rendido R$ 7,3 bilhões à capital do país. A variação foi de -11,33%.

Apenas Maranhão teve desempenho pior em relação à arrecadação do ICMS, com queda de -14,23%.

Os dados constam no mais recente relatório da Secretaria de Fazenda do Distrito Federal (Sefaz-DF), com informações do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). Veja:

Tabela mostra a arrecadação dos estados e do DF com o ICMS, de janeiro a agosto de 2023 A queda no recolhimento com o ICMS ocorre, principalmente, em função de duas leis federais de 2022 que reduziram a alíquota do imposto sobre combustíveis e outros itens.

Esta semana, o governo federal sancionou a lei que prevê distribuir R$ 27 bilhões aos Estados e ao DF em compensação pela queda na arrecadação com o ICMS.

O DF receberá R$ 129,53 milhões em 2023, dinheiro que será usado para abater a dívida da capital federal com a União, segundo o secretário de Planejamento, Orçamento e Administração do Distrito Federal, Ney Ferraz. Em 2024, a União deverá repassar mais R$ 259,07 milhões ao DF.

-R$ 345,7 milhões em arrecadação Considerando todos os impostos distritais, o DF recolheu R$ 16,2 bilhões entre janeiro e setembro de 2023.

São R$ 345,7 milhões a menos do que a arrecadação registrada no mesmo período do ano passado, já considerada a inflação. A variação foi de -2,1%.

Por um lado, a perda só com o ICMS no período foi de -R$ 795,6 milhões. O DF também arrecadou menos com: IPTU (-R$ 88,7 milhões); com o Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos (ITCD), cuja queda foi de -R$ 41,0 milhões; e com o Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis, de -R$ 17,6 milhões.

Por outro lado, houve aumento no recolhimento do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS), com +R$ 226,6 milhões; do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF), com +R$ 171,5 milhões; e do IPVA (+R$ 170,7 milhões).

Aumento de imposto e Refis Para tentar manter o equilíbrio do erário, diante da queda na arrecadação, o Governo do Distrito Federal (GDF) sancionou a lei que aumenta de 18% para 20% a alíquota modal do ICMS, na última segunda-feira (23/10).

A porcentagem recai sobre lubrificantes e demais mercadorias ou serviços não listados na Lei nº 1.254/1996, bem como produtos de perfumaria ou toucador, preparados e preparações cosméticas.

O GDF também prevê lançar, ainda em 2023, o Refis, para que pessoas e empresas paguem dívidas que possuem com o governo com melhores condições.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Mais de 1,5 mil policiais civis atuarão nos festejos juninos na Bahia

Para coibir os crimes praticados durante os festejos juninos e reforçar a segurança de...

Beijos forçados e toques nas partes íntimas, PM preso suspeito de estuprar adolescente em Itamaraju

Um policial militar foi preso suspeito de estuprar uma adolescente de 15 anos, quando...

Estudo identifica proteína que ajuda covid a fugir do sistema imune

Descoberta de novo mecanismo de evasão viral representa avanço na imunoterapia e perspectiva promissora...

Quem é Luciane, mãe de Matteus, também envolvida em polêmica de cotas

O ex-BBB Matteus Amaral virou assunto nesta sexta-feira (14/6) devido a fraude de cotas...

Mais para você