InícioEditorialPolítica NacionalDisse bobagem, mas superei, diz Ricupero sobre escândalo da parabólica

Disse bobagem, mas superei, diz Ricupero sobre escândalo da parabólica

Personagem central do Plano Real, ex-ministro da Fazenda lança livro de memórias e fala de caso que encerrou sua passagem pelo governo Itamar Franco

Rubens Ricupero, 87 anos, ex-ministro da Fazenda (março a setembro de 1994) de Itamar Franco (1930-2011) durante o lançamento do Plano Real –programa que completa 30 anos em 2024–, lançará um livro de memórias neste mês. Dentre os tantos momentos narrados em mais de 700 páginas, um dos episódios que ganha destaque em “Memórias”, é o caso do “escândalo das parabólicas”, que culminou em sua saída do governo. 

“Eu disse muita bobagem. Sinto até hoje vergonha e remorso de ter feito isso porque durante um certo momento eu pus em perigo até o Plano [Real]. Acho que hoje eu superei, mas tenho certa mágoa porque por conta daqueles minutos eu acabei ‘cancelado’ por muita gente”, declarou em entrevista ao Poder360.

O caso ocorreu poucos meses depois do lançamento do Plano Real.

Ricupero tinha a missão de divulgar a estratégia econômica do governo à população e estava passando por uma bateria de entrevistas para jornais.

Em 1º de setembro de 1994, o então ministro aguardava para entrar no ar de um telejornal da TV Globo. A conversa fora das câmeras com o jornalista Carlos Monforte foi captada por antenas parabólicas e vazou. “Eu não tenho escrúpulos. O que é bom a gente fatura; o que é ruim, esconde”, disse Ricupero.

Na época, o Plano Real era posto em dúvida, não tinha popularidade alta e a inflação mensal se mostrava maior do que a equipe econômica esperava.

Em seu livro, Ricupero afirma que o contexto da frase era outro. Ele tinha novos dados positivos sobre o Plano Real, mas que não estavam prontos para divulgação. Ao se justificar para o jornalista por não poder conceder os dados, disse que não tinha “escrúpulos” e que gostaria de divulgar a informação, mas só depois de consultar sua equipe econômica. 

“Foi uma infelicidade verbal, um momento que eu costumo comparar com a boneca Emília [do Sítio do Pica Pau Amarelo], eu abri a ‘torneirinha de asneiras’. Ninguém gosta de ser ridículo, mas naquele momento foi o papel que eu fiz. Até hoje eu tenho sentimento de culpa de ter posto em perigo tudo o que eu estava fazendo”, declarou.

O episódio ficou conhecido como “escândalo das parabólicas”.

LULA “SÓ QUER SABER DE GASTAR” Rubens Ricupero faz um paralelo entre o governo de Itamar e o do atual presidente Lula (PT) na questão econômica.

“O Itamar era um pouco como o Lula, tinha uma visão populista da economia. Ele [Itamar] era muito sensível à pressão que faziam. Queria tabelar os juros, aumentar o salário mínimo de maneira que ia explodir o orçamento da União… Isso teria inviabilizado o Plano”, disse.

“O Lula faz hoje uma política que, se não for a resistência do Haddad [ministro da Fazenda], vai levar de novo à inflação porque ele só quer saber de gastar”, declarou.

Para Ricupero, Haddad tem se mostrado eficiente em seu cargo, no entanto, ele lamenta que, em sua avaliação, o chefe da pasta econômica não seja tão ouvido por Lula. “Infelizmente, ele não tem o apoio nem do presidente nem do partido”. 

Dentro do governo, Haddad é o principal defensor da meta de deficit zero para 2024.

Em 2023, Haddad e nomes do PT divergiram publicamente sobre a meta de deficit zero da Fazenda. Uma resolução do próprio partido chegou a chamar a medida de “austericídio fiscal”.

“Eu tive problemas parecidos com os dele [Haddad]. O Itamar queria aumentar o salário mínimo, o que era impossível para o orçamento, queria financiar grandes obras de infraestrutura, e eu tinha que dizer não. Mas no meu caso, o Itamar sempre me apoiava. Até agora o Haddad tem mantido, mas não sei até quando”, declarou.

LIVRO DE MEMÓRIAS O lançamento do livro será no sábado (15.jun), às 10h, na Japan House, na av. Paulista, em São Paulo.

Segundo Ricupero, a coincidência de datas do lançamento do livro com a época que marca os 30 anos do Plano Real foi uma coincidência. Disse também que se questionou sobre a publicação porque seria um livro muito “íntimo”. 

Além de ex-ministro da Fazenda, Ricupero foi ministro do Meio Ambiente (1993-1994) e o 1º Ministro Extraordinário para a Articulação de Ações na Amazônia Legal (1993). É considerado um dos diplomatas mais experientes do país, tendo sido embaixador do Brasil na Itália (1995) e nos EUA (1991-1993) e secretário da UNCTAD (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento) em Genebra, de 1995 a 2004. 

Nas 714 páginas que compõem seu novo livro, ele discorre sobre vivências pessoais que teve com a política e diplomacia brasileira ao longo dos anos de carreira, em especial o desenrolar do Plano Real e sua relação com o então presidente do Brasil, Itamar Franco. “Eu tinha o dever de contar essas histórias”, disse.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Homem deu entrada em unidade de saúde de Itamaraju, com tiro na barriga

A polícia de Itamaraju, investiga um caso onde um homem deu entrada na unidade...

Lula deixa Alvorada e viaja para São Paulo

LGPD a) Para receber as informações solicitadas, você nos autoriza a usar o seu...

O eleitor cidadão (por Gaudêncio Torquato)

Se a política é a arte do possível, como tem sido conceituada, cabe considerá-la...

Mais para você