InícioEditorialEntretenimentoEstudo revela como o sexo pode ajudar mães de filhos com autismo

Estudo revela como o sexo pode ajudar mães de filhos com autismo

Um novo estudo realizado pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, descobriu que o sexo pode ajudar mães de filhos com transtorno do espectro autista (TEA) a evitar os efeitos nocivos do estresse, especialmente os distúrbios metabólicos.

A pesquisa, publicada na revista Psychoneuroendocrinology, examinou os efeitos do sexo na redução do estresse em mães que cuidam de crianças com autismo. As descobertas indicam que mulheres sexualmente ativas tinham níveis mais saudáveis ​​de hormônios em comparação com aquelas sexualmente inativas.

Para chegar ao resultado, 183 mães, com idades entre 20 e 50 anos e com pelo menos um filho entre 2 e 16 anos, participaram do estudo durante dois anos. Elas foram divididas em grupos de alto e baixo estresse com base nas pontuações na Escala de Estresse Percebido (PSS, em inglês).

Sexo

O bem-estar sexual é considerado um dos pilares da boa saúde pela OMS Getty Images

Pílula anticoncepcional – contraceptivo – sexo – gravidez

O uso de camisinhas previne, além de gravidez, diversas doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) Getty Images

Sexo menopausa

A atividade sexual deve ser prazerosa em todas as etapas da vida Larry Williams/Getty Images

Sexo

Cuidar da saúde sexual é importante para o bem-estar mental, psicológico e emocional Getty Images

Sexo silencioso

Diariamente, a Pouca Vergonha, coluna de sexo do Metrópoles, traz dicas para melhorar sua vida sexual George Doyle/Getty Images

Sexo

O sexo não deve causar dor Getty Images

cenas de sexo

Pessoas sexualmente ativas devem fazer exames médicos periodicamente para assegurar a saúde Getty Images

casal debaixo dos lençóis sexo transa

Brasileiro inicia vida sexual aos 18 anos e tem, em média, 10 parceiros na vida, indica pesquisa conduzida pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) Getty Images

sexo

O sexo é considerado uma atividade física Mizuno K/Pexels

sexo verão

A prática traz diversos benefícios. Queima calorias, melhora a autoestima, aumenta a qualidade do sono, diminui o estresse, colabora com a saúde cardiovascular etc Adam Kontor/Pexels

As participantes também foram submetidas a avaliações. Neste período, as mães realizaram visitas clínicas e responderam a questionários sobre vários assuntos, incluindo sexo. Foram consideradas sexualmente ativas as mulheres que relataram atividade sexual pelo menos uma vez durante cada período analisado.

Por fim, o estudo mediu vários indicadores metabólicos importantes, incluindo insulina, resistência à insulina, leptina e grelina. Além disso, os pesquisadores consideraram outras variáveis, como atividade física e satisfação no relacionamento, para ver se elas se sobrepõem aos efeitos da atividade sexual.

Conclusão Os resultados mostraram diferenças significativas na saúde metabólica entre mães com alto e baixo estresse. Mães com alto estresse apresentaram níveis mais elevados de insulina e níveis mais baixos de grelina. Essas diferenças, por sua vez, foram notavelmente influenciadas pela atividade sexual.

Outro ponto analisado é que, entre as mães sexualmente inativas e do grupo de alto estresse, os resultados metabólicos foram muito piores do que o grupo de baixo estresse. Em contrapartida, as mães sexualmente ativas não exibiram diferenças significativas nos seus perfis metabólicos.

Transtorno do Espectro Autista (TEA) Com isso, os pesquisadores sugerem que a atividade sexual pode mitigar os efeitos do estresse crônico em mães de filhos com autismo. Isso pode ajudar a manter níveis mais saudáveis ​​de insulina e grelina.

“As nossas descobertas sugerem que os prejuízos relacionados ao estresse na saúde metabólica foram significativamente reduzidos entre aquelas que eram sexualmente ativas”, explicou o autor do estudo, Yoobin Park, ao portal norte-americano PsyPost.

Sexo e saúde O estresse de longo prazo é prejudicial ao corpo, aumentando o risco de doenças cardíacas, diabetes, depressão, acidente vascular cerebral e obesidade. No entanto, o estudo demonstrou que a atividade sexual pode ajudar a prevenir tais problemas.

“A atividade sexual emergiu como uma candidata promissora devido aos seus efeitos no alívio do estresse e ao seu impacto positivo em processos como o sono. Até onde sabemos, nenhum trabalho anterior examinou se o sexo pode amortecer os efeitos do estresse, portanto, a pesquisa foi de natureza exploratória, com o objetivo de preencher essa lacuna”, finalizou Yoobin Park.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Tarcísio diz que escolas cívico-militares promovem “direitos humanos”

Governador de São Paulo defendeu modelo de educação em manifestação a Gilmar Mendes; STF...

Juliette se pronuncia após críticas de neto de Luiz Gonzaga

A assessoria de Juliette Freire se manifestou nas redes sociais após Daniel Gonzaga, neto...

DF: 6 mil cobradores temem desemprego com fim do dinheiro nos ônibus

Em meio à mudança que dará fim ao pagamento em dinheiro no transporte coletivo...

Jerônimo prestigia festejos juninos pelo interior do estado, até segunda-feira (24)

Os festejos juninos de alguns municípios baianos serão prestigiados pelo governador Jerônimo Rodrigues, nos...

Mais para você