InícioNotíciasPolíticaGrammy 2023: mulheres brilham em noite marcada por vitórias históricas

Grammy 2023: mulheres brilham em noite marcada por vitórias históricas

A cerimônia do Grammy reconheceu os melhores artistas da indústria musical na noite deste domingo (5/2), em Los Angeles, nos Estados Unidos. Nas 91 categorias premiadas, as mulheres abrilhantaram a noite e se destacaram ao conseguir conquistas históricas.

Ao vencer a categoria de Melhor Álbum (dance/eletrônica), por Renaissance, Beyoncé fez história e se tornou a artista mais premiada de todos os tempos no Grammy, com 32 troféus da premiação mais importante da música. Mesmo antes de conquistar esse feito, a artista já era a mulher mais indicada da cerimônia.

Beyoncé no Grammy 2023Com a conquista do troféu de Melhor Audiobook, com a biografia Finding Me, Viola Davis tornou-se integrante do EGOT, termo designado para um grupo seleto de artistas que ganharam as quatro principais premiações americanas: Emmy, Grammy, Oscar e Tony Awards.

“Eu escrevi este livro para honrar a Viola de seis anos, sua vida, sua alegria, trauma e tudo. Tem sido uma jornada tão incrível. Acabei de me tornar EGOT!”, comemorou Viola ao subir ao palco para receber o prêmio.

Viola Davis no palco da premiaçãoA estrela de Mulher-Rei venceu dois Tonys, por King Hdley II, em 2001, e Fences, 2010; um Emmy, por How to Get Away with Murder, em 2015; e um Oscar pela atuação em Um Limite Entre Nós, em 2017.

1ª mulher transA cantora e compositora alemã Kim Petras levou o Grammy de Melhor Performance de Duo com Sam Smith por Unholy. Com isso, a artista entra para a história ao ser a 1ª mulher trans a vencer uma categoria do Grammy.

Kim Petras ao lado de Sam Smith“Sam Smith graciosamente quis que eu aceitasse esse prêmio, porque sou a primeira mulher transgênero a vencer. E só quero agradecer a todas as incríveis lendas transgênero antes de mim que chutaram essas portas para que eu pudesse estar aqui essa noite”, exclamou a artista ao receber o troféu.

Durante seu discurso, ela aproveitou para agradecer aos pais, por acreditar em seu potencial e sonhos, e a cantora Madonna, por apoiar as causas LGBTs.

Artista revelaçãoIndicada pela primeira vez, a cantora Anitta não levou o troféu da categoria de artista revelação. O título ficou com Samara Joy, uma cantora de jazz do Bronx, Nova York, que surpreendeu muita gente por não estar entre as principais apostas da imprensa internacional.

Samara posa com seus dois gramofoneEstou aqui por ser eu mesma, por ser quem eu sou desde nascer. Agradeço ao meu time, aos meus empresários, todo mundo da gravadora”, disse a jovem de 23 anos, ao receber o gramofone.

Além do prêmio de artista revelação, Samara também ganhou o prêmio de Melhor álbum de jazz.

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

No STF, PM réu pelo 8/1 vê descoordenação de inteligência e cita erros

O ex-comandante-geral da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) coronel Fábio Augusto Vieira, réu...

Documentos secretos revelam que ditadura expulsou diplomatas gays

Um novo relatório secreto chegou à mesa do ministro José de Magalhães Pinto, em...

Janja brinca com militar, entrega cadela Resistência e a pede de volta

Primeira-dama fez graça durante envio de ração para pets ao Rio Grande do Sul;...

Leo Santana lota Anhangabaú na abertura da Virada Cultural de SP

São Paulo — O começo do show atrasou mais de uma hora e o...

Mais para você